A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
UM POUCO DA HISTÓRIA DA AGRICULTURA

Pré-visualização | Página 1 de 5

UM POUCO DA HISTÓRIA 
DA AGRICULTURA
2
REVOLUÇÃO NEOLÍTICA
• A primeira atividade agrícola ocorreu entre 
9000 e 7000 a.C. - Sírio-Palestina, sul da 
Anatólia e norte da Mesopotâmia.
• Na Índia (há 8.000 anos)
• Na China (7.000)
• Na Europa (6.500) 
• Na África Tropical (5.000) 
• E nas Américas (México e Peru) (4.500). 
3
4
5
Os centros de origem definidos por 
Vavilov:
1. Chinês
2. Indiano
2a. Indo-malaio
3. Asiático Central
4. Oriental Próximo
5. Mediterrânico
6. Abissínio
7. Mexicano do sul e centro-americano
8. Sul-americano
8a. Chiloé
8b. Brasileiro-paraguaio
6
Localização dos centros de origem das 
espécies cultivadas. Fonte: VAVILOV (1926)
7
Continuação.....
• O conhecimento destes centros, também 
chamados de diversidade, são 
fundamentais para o entendimento da 
origem das plantas cultivadas, seu 
melhoramento genético e conservação de 
germoplasma.
• Hoje reconhece-se 3 centros de diversidade 
de cereais e 12 para plantas alimentícias
• Todos estes centros localizam-se em áreas 
tropicais, subtropicais ou, no mínimo, em 
regiões temperadas cálidas.
8
Continuação.....
• Transição do hábito nômade de caçador-
coletor para o hábito sedentário foi o 
primeiro passo em direção à civilização.
• A domesticação de plantas e animais foram 
eventos que ocorreram praticamente na 
mesma época em vários locais.
• Primeiras plantas domesticadas: herbáceas, 
crescimento rápido e prolíferas.
• Os produtos cultivados variavam de região 
para região, mas geralmente consistiam em 
cereais (trigo e cevada), o milho, raízes 
(batata-doce e mandioca) e o arroz.
9
Continuação.....
• As sementes das plantas domesticadas 
eram maiores (reservas) e tegumento 
delgado e os frutos permaneciam aderidos 
ao eixo da infrutescência.
• Primeiros animais domesticados: gregários 
e com liderança.
• Cães, caprinos, ovinos, bovinos e suínos.
• A domesticação levou a uma redução do 
tamanho destes animais.
10
Continuação.....
• O uso do fogo e de 
algumas 
ferramentas, assim 
como do esterco 
animal, passaram a 
fazer parte do 
cotidiano dos 
aglomerados 
urbanos, os quais 
deram origem às 
cidades.
11
Modernização da 
agricultura
• Revoluções agrícolas
• Apropriativismos
13
AGRICULTURA MODERNA
• Teve início nos séculos 
XVIII e XIX.
• Aproximação das 
atividades agrícolas e 
pecuárias em várias 
regiões da Europa.
• Este período é
conhecido como 
Primeira Revolução 
Agrícola.
14
Primeira Revolução Agrícola
• O crescimento populacional e a queda da 
fertilidade dos solos utilizados após anos de 
sucessivas culturas no continente europeu, 
causaram, entre outros problemas, a 
escassez de alimentos. 
• Nesse sentido, por volta dos séculos XVII e 
XIX, intensifica-se a adoção de sistemas de 
rotação de culturas com plantas forrageiras 
(gramíneas e leguminosas) e as atividades 
de pecuária e agricultura se integram.
• Intensificação do uso da terra e 
desaparecimento do sistema de pousio.
15
Continuação...
• Contudo o esterco produzido era 
insuficiente para a re-fertilização do solo.
• Outro fator de comprometimento era a 
grande quantidade de mão de obra e tempo 
para este tipo de fertilização.
• Também a manutenção de animais exigia a 
ocupação de terras com plantas forrageiras 
o que impedia a expansão do cultivo de 
grãos, que eram mais rentáveis.
• Desde a primeira metade do século XIX, 
houve um processo acelerado de inovações 
tecnológicas e transformações econômicas 
e sociais que configuraram, em seu 
conjunto, uma nova revolução agrícola.
16
Segunda Revolução Agrícola
• Justus Von Liebig, químico 
alemão (1803-1873), 
constestou a teoria húmica
de Aristóteles.
• Difundiu a idéia de que o 
aumento da produção 
agrícola seria diretamente 
proporcional à quantidade 
de substâncias químicas 
incorporadas ao solo.
• As descobertas de Liebig
estavam apoiadas em 
comprovações científicas.
17
Continuação...
• Apoiou-se nos estudos de 
Nicolas Théodore De Saussure, 
químico e botânico (1767-
1845) sobre a fotossíntese;
• de Jean-Baptite Boussingault, 
químico agrícola francês 
(1802-1887), que demonstrou 
o ciclo biológico do nitrogênio
e como as plantas captavam 
nitrogênio do solo e dióxido de 
carbono da atmosfera. 
18
Continuação...
19
Continuação...
• Por volta de 1870 a teoria 
mineral de Liebig já era 
considerada reducionista.
• As descobertas de Louis 
Pasteur (1822-1895), 
biólogo francês –
fermentação do vinho e da 
cerveja não eram só reações 
químicas, mas pela ação de 
micoorganismos (leveduras) 
– nitrificação é um processo 
bacteriológico.
20
Continuação...
• Serge Winogradsky (1856-1953) e 
Martinus Beijerinck (1851-1931), 
precursores da microbiologia dos solos -
Rhizobium.
21
Continuação...
• Contudo as descobertas de Liebig não 
haviam se limitado ao meio científico.
• Abre-se um promissor mercado: o de 
fertilizantes.
• Inaugura-se, então, o apropriacionismo da 
agricultura pela indústria.
• Primeiros Apropriacionismos – Fertilizantes 
e rações.
• Impõe-se, então, a monocultura –
processos mais simplificados e obtenção de 
rendas diferenciais.
22
Continuação...
• Depois veio a 
apropriação 
referente aos 
implementos 
agrícolas.
• Arado de ferro 
fundido.
• 1850 arado de 
chapa de aço.
• Colheitadeiras 
mecânicas por 
tração animal.
23
Fordson 1922
24
Continuação...
• Em seguida vem o 
apropriacionismo 
genético e biológico.
• Redescoberta e 
reconhecimento das Leis 
de Mendel, início do 
século XX.
• Produção de sementes 
de variedades 
selecionadas e 
melhoradas – controle 
da hibridação por volta 
de 1930.
25
Aumento de rendimentos culturais
PRAGAS E DOENÇAS
Variedades melhoradas
+
Fertilizantes químicos
+
Moto-mecanização
+
Monoculturas 
Continuação...
26
Continuação...
• Desenvolvimento de 
técnicas de proteção das 
plantas cultivadas – novo 
apropriacionismo da 
agricultura pela indústria 
química.
• Impulsionado pelas duas 
grandes guerras.
• DDT (Dicloro-Difenil-
Tricloroetano) – sintetizado 
em 1874, Othmar Zilder –
propriedades inseticidas, 
1939, Paul Müller.
27
Continuação...
• DDT usado na segunda guerra no controle 
de insetos vetores da malária e tifo.
• 2,4-D (Ácido diclorofenoxiacético) e 2,4,5-T 
(Ácido Triclorofenoxiacético) – desfoliantes 
– Agente laranja, Guerra do Vietnã –
Dioxina- Câncer, déficits imunológicos, 
malformações congênitas, abortos 
naturais, lesões no sistema nervoso e 
cloroacne (sintoma característico de 
envenenamento).
• 1966 – 8.000 indústrias agrotóxicos –
60.000 formulações.
28
Pulverização do DDT – controle sanitário 
de vetores
29
Mal formações congênitas devidas aos 
efeitos da guerra química no Vietnã
Revolução Verde
"Alimentos para a Paz"
?????!!!!!!!!!
31
Revolução Verde
• Norman Ernest Borlaug.
• Criação de milho e trigo 
anão.
• Uso da biotecnologia com a 
adubação química.
• Prêmio Nobel da Paz em 
1970 pelo aumento da 
produção de grãos.
• Pai da revolução verde.
32
• Fundamentou-se:
– Aumento dos índices de produtividade;
– Substituição dos moldes de produção 
local;
– Conjunto homogêneo de práticas 
tecnológicas:
• Variedades geneticamente melhoradas muito 
exigentes em fertilizantes solúveis, 
agrotóxicos, irrigação e moto-mecanização.
Revolução Verde
Pacote tecnológico
33
Continuação...
• Intuito:
– Internacionalização do processo de 
apropriacionismo;
– Adoção em larga escala dos sistemas 
monoculturais.
• 1950 – 1985 – produção mundial de 
grãos passo de 700 milhões de t para 
1,8 bilhões t – taxa de crescimento 
anual de 2,7%.
• 1950 – 1984 – disponibilidade de 
alimento/habitante aumentou em 
40%.
34
Continuação...
• Produção animal também foi afetada.
• 1954 - 1985 - uso agropecuário de 
antibióticos passou de 200 para 4500 
t.
• 1945 - 1975 - Produção leiteira 
passou de 2000 para 4700 kg/vaca -
aumento de 1 bilhão kg leite/ano.
• Redução dos rebanhos de 26,6 
milhões para 11,6 milhões de cabeças.
35
Continuação...
• Por outro lado:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.