A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
LEGISLAÇÃO E NORMAS TÉCNICAS EM SEGURANÇA DO TRABALHO - QUESTIONÁRIO UNIDADE III

Pré-visualização | Página 1 de 2

LEGISLAÇÃO E NORMAS TÉCNICAS EM SEGURANÇA DO TRABALHO
	QUESTIONÁRIO UNIDADE III
	
· Pergunta 1
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Considerando que a Carteira de Trabalho e Previdência Social é documento de suma importância na relação de emprego, devemos observar que:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	d. 
A contratação do empregado deve ser anotada pelo empregador na CTPS no prazo máximo de 48 horas.
	Respostas:
	a. 
A contratação do empregado deve ser anotada pelo empregador na CTPS, sem prazo determinado.
	
	b. 
A CTPS é entregue no ato da admissão pelo empregado ao empregador, mediante recibo.
	
	c. 
A falta de registro/anotação não implica imposição de multa.
	
	d. 
A contratação do empregado deve ser anotada pelo empregador na CTPS no prazo máximo de 48 horas.
	
	e. 
Todas as alternativas estão corretas.
	Feedback da resposta:
	Resposta: D
Comentário: a contratação do empregado deve ser anotada pelo empregador na CTPS no prazo máximo de 48 horas, sendo que o artigo 53, da CLT, descreve: “A empresa que receber Carteira de Trabalho e Previdência Social para anotar e a retiver por mais de 48 horas ficará sujeita à multa de valor igual à metade do salário-mínimo regional”.
	
	
	
· Pergunta 2
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Considerando que o Direito do Trabalho é o ramo do Direito que tem por objeto as normas jurídicas que disciplinam as relações de trabalho subordinado, determinam os seus sujeitos e as organizações destinadas à proteção desse trabalho, em sua estrutura e atividade, qual é a parte hipossuficiente na relação de emprego?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	b. 
O empregado.
	Respostas:
	a. 
O empregador.
	
	b. 
O empregado.
	
	c. 
A pessoa física não subordinada.
	
	d. 
A pessoa jurídica com poder de direção.
	
	e. 
Somente a pessoa física que não presta serviços pessoalmente.
	Feedback da resposta:
	Resposta: B.
Comentário: o empregado é parte mais fraca da relação.
	
	
	
· Pergunta 3
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Nos termos do art. 2º, da CLT, considera-se empregador aquele que, além de exercer o poder de direção:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
Assume o risco de sua atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço.
	Respostas:
	a. 
Assume o risco de sua atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço.
	
	b. 
Sem assumir o risco de sua atividade, transfere ao empregado quaisquer prejuízos em decorrência da prestação de serviços.
	
	c. 
Paga o salário para aquele que presta serviço eventual.
	
	d. 
Fiscaliza o serviço do prestador de serviço.
	
	e. 
Não assume o risco da atividade econômica, mas fiscaliza e paga o salário do empregado.
	Feedback da resposta:
	Resposta: A
Comentário: conforme art. 2º, da CLT, “art. 2º – Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço”.
	
	
	
· Pergunta 4
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Nos termos do art. 3º, da CLT, considera-se empregado aquele:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
Que presta serviços subordinados, de forma habitual e pessoal, recebendo salário.
	Respostas:
	a. 
Que presta serviços subordinados, de forma habitual e pessoal, recebendo salário.
	
	b. 
Que exerce o poder de direção e aplica advertências.
	
	c. 
Que presta serviços não subordinados impessoal e habitualmente.
	
	d. 
Que recebe o pagamento pelo serviço prestado.
	
	e. 
A pessoa física que somente recebe ordens de outrem, sem qualquer garantia.
	Feedback da resposta:
	Resposta: A.
Comentário: conforme art. 3º, da CLT, considera-se “empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual ao empregador, sob dependência deste mediante salário”, ou seja, que presta serviços subordinados, de forma habitual e pessoal, mediante salário.
	
	
	
· Pergunta 5
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	O Princípio da Proteção surge com o exclusivo objetivo de equilibrar as relações empregatícias e desdobra-se em algumas regras, entre elas:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	d. 
In dubio pro operario e da norma mais favorável.
	Respostas:
	a. 
Razoabilidade.
	
	b. 
Princípios gerais do Direito.
	
	c. 
Responsabilidade solidária do empregador.
	
	d. 
In dubio pro operario e da norma mais favorável.
	
	e. 
Conglobamento.
	Feedback da resposta:
	Resposta: D
Comentário: Princípio da Proteção, o princípio  in dubio pro operario, modernamente, possui a finalidade intrínseca de proteger a parte mais frágil na relação jurídica, ou seja, o trabalhador. Tal princípio dá ao aplicador da lei, na dúvida quanto à interpretação da norma, a escolha entre as interpretações legais viáveis, sendo que a norma a ser aplicada deverá ser a mais benéfica ao trabalhador, desde que não afronte a vontade do legislador.
	
	
	
· Pergunta 6
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Qual é a diferença entre relação de trabalho e relação de emprego?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
Na relação de emprego, o prestador de serviço é subordinado, recebe salário, além de exercer com habitualidade e de forma pessoal a sua função.
	Respostas:
	a. 
Na relação de trabalho, o prestador de serviço é subordinado e recebe salário.
	
	b. 
Na relação de emprego, o prestador de serviço é eventual e não recebe ordens.
	
	c. 
Na relação de emprego, o prestador de serviço é subordinado, recebe salário, além de exercer com habitualidade e de forma pessoal a sua função.
	
	d. 
Na relação de trabalho, o empregado é assim considerado nos termos do art. 3º, da CLT.
	
	e. 
Na relação de emprego, o empregador é assim considerado nos termos do art. 2º, da CLT.
	Feedback da resposta:
	Resposta: C
Comentário: conforme art. 3º, da CLT, “art. 3º – Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante salário.
Parágrafo único – Não haverá distinções relativas à espécie de emprego e à condição de trabalhador, nem entre o trabalho intelectual, técnico e manual.”
	
	
	
· Pergunta 7
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Qual é a principal diferença entre convenção coletiva de trabalho e acordo coletivo?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
A convenção coletiva de trabalho abrange sindicatos dos empregados e o sindicato da categoria profissional; o acordo coletivo, somente sindicatos dos empregados de uma ou mais empresas.
	Respostas:
	a. 
A convenção coletiva de trabalho abrange sindicatos dos empregados e o sindicato da categoria profissional; o acordo coletivo, somente sindicatos dos empregados de uma ou mais empresas.
	
	b. 
A convenção coletiva de trabalho abrange somente sindicatos dos empregados de uma ou mais empresas; o acordo coletivo, sindicatos dos empregados e o sindicato da categoria profissional.
	
	c. 
Não há qualquer diferença.
	
	d. 
A convenção coletiva de trabalho é realidade do empregador; e o acordo coletivo, do empregado.
	
	e. 
A convenção coletiva de trabalho determina somente os direitos para os empregadores; e o acordo coletivo, para os empregados.
	Feedback da resposta:
	Resposta: A
Comentário: conforme art. 611, da CLT, Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) é um acordo firmado entre a entidade sindical dos trabalhadores e uma determinada empresa. Já a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) é um acordo celebrado entre dois sindicatos, ou seja, é um acordo feito entre sindicato dos trabalhadores e o sindicato patronal.
	
	
	
· Pergunta 8
0,25 em 0,25 pontos
	
	
	
	Quanto ao contrato de trabalho individual, considera-se o ajuste de vontades pelo qual uma pessoa física (empregado) se compromete a prestar pessoalmente serviços subordinados, não eventuais, a outrem (empregador), mediante pagamento de salário. Quais são as características dessa relação?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
Subordinação, onerosidade, habitualidade e pessoalidade.
	Respostas:
	a. 
Subordinação, onerosidade, habitualidade e impessoalidade.
	
	b. 
Onerosidade e habitualidade.
	
	c. 
Subordinação, onerosidade, habitualidade e pessoalidade.