A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Acadêmico 4

Pré-visualização | Página 1 de 2

Acadêmico:
	Mariana Guimaraes 
	
	Disciplina:
	História da África (HID02)
	Avaliação:
	Avaliação Final (Objetiva) - Individual Semipresencial ( Cod.:638666) ( peso.:3,00)
	Prova:
	18145224
	Nota da Prova:
	10,00
	
	
Legenda:  Resposta Certa   Sua Resposta Errada  
Parte superior do formulário
	1.
	A descoberta e a conquista da América acarretaram um novo impulso ao comércio de escravos. Os portugueses comercializavam com os espanhóis através de sistema de asientos. Este sistema significava:
	 a)
	Uma permissão que a coroa espanhola concedia aos seus súditos para comercializar escravos com a coroa portuguesa.
	 b)
	Uma concessão dada pelos espanhóis aos portugueses, que permitia a venda de escravos africanos em troca de produtos espanhóis.
	 c)
	Um acordo entre as coroas portuguesa e espanhola. A partir deste acordo os espanhóis só poderiam comprar escravos dos portugueses.
	 d)
	Um Tratado entre Portugal e Espanha intermediado pelo papa da Igreja Católica.
	2.
	O historiador, antropólogo e médico senegalês Cheik Anta Diop (1923-1986) foi um dos principais críticos da historiografia tendenciosa sobre a África. Na década de 1950, defendeu a tese de que a civilização egípcia antiga havia sido uma cultura formada por negros africanos. Em relação ao significado do termo negro, Diop afirmava que:
	 a)
	O conceito de negro estava associado à ideia de que as civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras, todavia, Diop afirmava que estas duas civilizações haviam sofrido influências europeias e que suas origens estavam vinculadas ao Continente Europeu.
	 b)
	O conceito de negro apresentado sob a perspectiva de Diop colocava as sociedades africanas como sendo harmoniosas e pacíficas, assemelhando-as às culturas europeias.
	 c)
	Deveria ser eliminado o estigma que a palavra carregava e que este conceito deveria ser expandido para se assemelhar ao de branco. As civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras e ter suas origens mantidas no Continente Africano.
	 d)
	Deveria ser preservado o estigma que a palavra carregava e que este conceito deveria ser restrito aos povos africanos. As civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras e terem suas origens mantidas no Continente Africano.
	3.
	Os afrodescendentes no Brasil correspondem atualmente a aproximadamente 46,2% da população nacional, o que leva à afirmação de que o Brasil seria a segunda maior nação no mundo com população de origem africana, ficando atrás somente da:
	 a)
	Nigéria.
	 b)
	Itália.
	 c)
	Jamaica.
	 d)
	Austrália.
	4.
	Conseguir escravos na África era muito simples e a forma mais comum era através das guerras. Todavia, um homem podia tornar-se escravo no Continente Africano caso perdesse seus direitos de membro da sociedade. Geralmente, esses direitos eram perdidos devido às seguintes situações. Assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	Relegar o islamismo.
	 b)
	Impossibilidade de pagar dívidas.
	 c)
	Falta de prestação de contas para as autoridades.
	 d)
	Ausência de autoridade na família.
	5.
	O tráfico de escravos representou um negócio altamente lucrativo ao longo dos séculos XVI ao XVIII, o que causou impactos demográficos no interior do continente africano. Exatamente sobre este aspecto reside a diferença entre a escravidão ocorrida como moderna e as formas de escravidão praticadas em outras épocas da História. Do ponto de vista demográfico, qual foi o perfil da escravidão da época moderna?
	 a)
	Foi praticada por comerciantes árabes e africanos e acabou por criar postos comerciais específicos de escravos no interior da Europa.
	 b)
	Foi praticada preferencialmente por europeus, foi responsável por submeter e dizimar as populações nativas brasileiras.
	 c)
	Foi praticada preferencialmente por europeus e africanos e acabou por submeter um número muito grande de indivíduos.
	 d)
	Foi praticada somente por europeus e submeteu a maior parte das populações nativas no interior do Brasil, que eram transportadas para o Oriente Médio.
	6.
	O movimento de independência dos países africanos criou, por parte de uma nova elite política e intelectual, a necessidade da elaboração das identidades africanas dentro do Continente, e deste diante do mundo. Para esse intento, era necessário retornar ao passado em busca de elementos que legitimassem uma História Africana rica e diversificada, tanto quanto a história da Europa. De acordo com Kwame Anthony Appiah, entre esses primeiros pensares pós-independência estaria o aparecimento de ideologias que defendiam e ressignificavam a identidade africana. Essas ideologias ficaram conhecidas como:
	 a)
	Movimento negro e dos panteras negras.
	 b)
	Pan-africanismo e a negritude.
	 c)
	Cem por cento negro e pan-africanismo.
	 d)
	Black power e a negritude.
	7.
	O contato entre portugueses e o Reino do Congo foi facilitado por um fator determinante que possibilitou a circulação e o estabelecimento de portugueses naquela região. Em relação a esta informação, assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	O contato dos portugueses com o Congo teve como agente que lhe facilitou a circulação e o estabelecimento na região a influência islâmica. Isto é, o comércio entre portugueses e árabes facilitou a presença dos portugueses na região, pois os árabes dominavam a região e submeteram os congoleses a comercializar com os portugueses.
	 b)
	O contato dos portugueses com o Congo foi facilitado pelo comércio de escravos. Este comércio foi importante para o estabelecimento dos portugueses naquela região.
	 c)
	O contato dos portugueses com o Congo não foi facilitado por nenhum fator. As relações que se estabeleceram entre estes dois povos foram conflituosas e os congoleses expulsaram os portugueses da região.
	 d)
	O contato dos portugueses com o Congo foi muito facilitado pelo fervor religioso do  manicongo.
	8.
	O Primeiro Congresso Afrobrasileiro, realizado em Recife no ano de 1934, teve como organizadores brasileiros pesquisadores da causa Gilberto Freyre e Ulisses Pernambucano. Este congresso reuniu intelectuais e pessoas que buscavam compreender algumas questões. Sobre essas questões, assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	A influência que a imigração negra trouxe para a cultura europeia da Região Sul do Brasil.
	 b)
	A influência das teorias que tratam da erradicação do analfabetismo entre os afrodescendentes no Brasil obtidas no Brasil.
	 c)
	A influência das teorias raciais do século XIX, principalmente as teorias de Hegel e Marx, que discutem a formação das raças na espécie humana.
	 d)
	A influência africana na formação do Brasil e valorizar a tradição africana, a fim de torná-la mais próxima da sociedade que ainda relutava em reconhecer e aceitar sua presença na cultura nacional.
	9.
	Em 1972, o historiador africano Joseph Ki-Zerbo apontava para o fato de que a valorização da história africana estava associada a fatores de ordem interna e externa. Em relação aos fatores de ordem interna é correto afirmar que:
	 a)
	O interesse em escrever a História da África ficou restrito ao Continente Africano, pois os historiadores deste continente objetivavam construir uma história total e esta história só interessaria aos africanos.
	 b)
	O interesse em projetar a História da África em âmbito mundial estava associada ao interesse do mercado africano em monopolizar o comércio com a China e com a Índia.
	 c)
	O interesse em projetar a História da África era o resultado do ardor subjetivo ao processo de independência de vários países africanos, que buscavam resgatar uma identidade africana.
	 d)
	O interesse em difundir a História da África estava afastado do desejo de mostrar ao mundo que os africanos foram vítimas dos europeus.
	10.
	O roteiro do filme Amistad relata a história de 53 pessoas que foram sequestradas na África por traficantes de escravos e se tornaram  protagonistas de um motim no navio Amistad em 1839. Apesar das críticas ao filme, ele apresenta uma forma de resistência