A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Avaliação Final (Objetiva) - Literatura Portuguesa - Uniasselvi

Pré-visualização | Página 1 de 2

Acadêmico:
	Petra Vanessa Solano Pereira (1405200)
	Disciplina:
	Literatura Portuguesa (LET42)
	Avaliação:
	Avaliação Final (Objetiva) - Individual Semipresencial ( Cod.:638928) ( peso.:3,00)
	Prova Objetiva:
	17572569
Parte superior do formulário
	1.
	De uma certa maneira, o estilo Barroco, no cenário social, histórico, econômico e cultural em que surgiu, valia-se da sua estética para disseminar certo terror imposto pela Reforma e pela Contrarreforma. Em suma, ele servia aos interesses desses movimentos, já que, veladamente, impunham-se limites à liberdade de expressão, de pensamento. A sociedade era mantida em estado de submissão, dependência, amedrontada, até, poder-se-ia dizer, presa aos interesses reformistas e contrarreformistas. Na sua estética, o Barroco valia-se de duas correntes: o cultismo e o conceptismo. Acerca dessas duas características, analise as sentenças a seguir:
I- O cultismo foi cultivado pelo espanhol Francisco Gomez Quevedo y Villegaz.
II- O cultismo tinha por objetivo ocultar uma temática banal e estéril.
III- O conceptismo tentava pesquisar a essência íntima dos objetos.
IV- O conceptismo foi cultivado pelo espanhol Luís de Gôngora.
Agora, assinale a alternativa CORRETA:
	
	a) As sentenças I e II estão corretas.
	
	b) Somente a sentença III está correta.
	
	c) As sentenças I e IV estão corretas.
	
	d) As sentenças II e III estão corretas.
	 
	 
	2.
	No que se refere ao Romantismo, há que se entender este estilo com uma ruptura em relação ao modelo clássico, principalmente dentro da arte literária. O novo estilo a vê mais com o olho da originalidade, originalidade esta livre, advinda da subjetividade em relação ao autor. Agora, o novo modelo opõe-se ao clássico, não vendo mais a literatura como imitação de modelos, mas a concebe, sim, na ótica da originalidade como uma criação. Os românticos dão vital importância ao ato imaginativo na criação literária. A nova visão é do literato como um criador. É a imaginação que possibilita ao escritor captar e revelar o mundo e o eu, no seu aspecto sensível e individual. Com relação ao Romantismo, analise as sentenças a seguir:
I- O Romantismo passou a ser analisado a partir da ótica de uma forma expressiva nova, como nova também a maneira de enfrentar a vida e a maneira de pensar.
II- Essa nova escola literária (o Romantismo) opunha-se aos modelos clássicos, por causa das regras fixas que estes preconizavam.
III- Dentro do modelo romântico, recebe grande valorização a figura da mulher, a qual era idealizada e divinizada pelo artista.
IV- O artista romântico procurava, nas suas obras, apegar-se à realidade, refletindo acerca desta, com vistas a criar a consciência crítica do leitor.
V- Os românticos tentavam quase sempre fugir da realidade, valendo-se, para isto, da natureza, via ambientes mais escuros, vazios, noturnos.
Agora, assinale a alternativa CORRETA:
	
	a) As sentenças II, III, IV e V estão corretas.
	
	b) As sentenças I, II, III e V estão corretas.
	
	c) As sentenças I, II, IV e V estão corretas.
	
	d) As sentenças I, III, IV e V estão corretas.
	 
	 
	3.
	Observe os versos d' Os Lusiadas:
"Mas um velho d'aspeito venerando,
Que ficava nas praias, entre a gente,
Postos em nós os olhos, meneando
Três vezes a cabeça, descontente,
A voz pesada um pouco alevantando,
Que nós no mar ouvimos claramente,
C'um saber só de experiências feito,
Tais palavras tirou do experto peito:
-"Ó glória de mandar! Ó vã cobiça
Desta vaidade, a quem chamamos Fama!
Ó fraudulento gosto, que se atiça
C'uma aura popular, que honra se chama!
Que castigo tamanho e que justiça
Fazes no peito vão que muito te ama!
Que mortes, que perigos, que tormentas,
Que crueldades neles experimentas!
FONTE: CAMÕES, Luis Vaz de. Os Lusíadas. Lisboa: Instituto Camões/Ministério dos Negócios Estrangeiros, 2000. Canto IV, estrofes 90 a 104.
Os versos narram o discurso do "Velho Restelo", que se opõem às concepções dominantes da sociedade portuguesa da época, a exemplo do descobrimento de novas terras e da empresa navegadora posta em marcha pela Coroa Lusitana. Quanto à justificativa dessa afirmação, analise as sentenças a seguir:
I- O velho está descontente com o empreendimento português de navegar por novas partes do mundo. Ele desmitifica o ideal da fama, dizendo que ela é tão somente vontade de poder e fraude, que os poderosos utilizam para convencer o povo a apoiar sua política expansionista.
II- O velho afirma que, em nome da fama, engana-se o povo e que o desejo de mandar só produz danos. Mostra que o projeto ultramarino será um desastre para a sociedade portuguesa, ocasionando mortes e perigos.
III- Para ele, a empresa navegadora produzirá riqueza. Execra os que são contrários ao progresso da sociedade portuguesa. Considera todo avanço naval bom, porque ocasiona o desenvolvimento dos seus empreendedores.
Assinale a alternativa CORRETA:
	
	a) As sentenças I e II estão corretas.
	
	b) Somente a sentença II está correta.
	
	c) As sentenças I e III estão corretas.
	
	d) As sentenças II e III estão corretas.
	 
	 
	4.
	Considere os versos do poema Um Sonho, do escritor português, Eugênio de Castro e Almeida:
"Na messe, que enlourece, estremece a quermesse... 
O sol, o celestial girassol, esmorece... 
E as cantilenas de serenos sons amenos 
Fogem fluidas, fluindo à fina flor dos fenos...".
Os versos precedentes são característicos da estética Simbolista, que utiliza a linguagem como expressão das relações e correspondências sonoras. Com base no exposto, analise as sentenças a seguir:
I- O Simbolismo enfatiza a parte sonora final das palavras.
II- O Simbolismo reitera as expressões literárias do passado.
III- O Simbolismo utiliza a assonância, que é a repetição da vogal.
IV- O Simbolismo se vale da aliteração: a repetição da consoante.
Assinale a alternativa CORRETA:
FONTE: ABDALA JÚNIOR, Benjamin; PASCHOALIN, Maria Aparecida. História social da literatura portuguesa. São Paulo: Ática, 1985.
	
	a) As sentenças I, II e IV estão corretas.
	
	b) As sentenças II, III e IV estão corretas.
	
	c) As sentenças I, II e III estão corretas.
	
	d) As sentenças I, III e IV estão corretas.
	 
	 
	5.
	O realismo na literatura se caracteriza sobretudo pela investigação da sociedade e dos caracteres individuais, feita de "dentro para fora", por meio de uma análise psicológica das personagens, ou seja, a narrativa é permeada pela descrição objetiva. No que se refere à estética realista, quando a narração dos fatos ocorre?
	
	a) De modo lento, com apresentação de pormenores.
	
	b) De modo superficial, com omissão de detalhes.
	
	c) De modo sintético, com redução de palavras.
	
	d) De modo lacônico, com a supressão de expressões.
	 
	 
	6.
	"Mas Luísa, a Luisinha, saiu muito boa dona de casa; tinha cuidados muito simpáticos nos seus arranjos; era asseada, alegre como um passarinho, como um passarinho amiga do ninho e das carícias do macho; e aquele serzinho louro e meigo veio dar à sua casa um encanto sério. (...) Estavam casados havia três anos. Que bom que tinha sido! Ele próprio melhorara; achava-se mais inteligente, mais alegre ... E recordando aquela existência fácil e doce, soprava o fumo do charuto, a perna traçada, a alma dilatada, sentindo-se tão bem na vida como no seu jaquetão de flanela!".  
FONTE: Eça de Queirós, O primo Basílio.
O texto do enunciado é parte do romance O primo Basílio, de Eça de Queirós, escritor português cuja produção literária é marcada pela noção de literatura de intervenção, mais voltada para a tomada de consciência dos problemas sociais. Com base no exposto, as sentenças a seguir:
I- A prosa realista empreende a análise de instituições burguesas, como o casamento, denunciando as bases frágeis dessa união.
II- A prosa realista investiga a sociedade e os caracteres individuais, por meio de uma análise psicológica. 
III- A prosa realista defende as instituições e seus fundamentos ideológicos, como, por exemplo, o casamento e o clero.
IV- A prosa realista põe em evidência as questões