Tipos de Próteses de MMII e MMSS
17 pág.

Tipos de Próteses de MMII e MMSS


DisciplinaPróteses e Órteses242 materiais466 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Gabriely Melo Pereira RGM:142.711
Próteses passivas ou estéticas
São próteses para MMII e MMSS, com objetivo exclusivo de complementação do membro amputado;
O material de confecção deve ser o mais próximo possível do membro natural(textura, coloração e contornos anatômicos);
O silicone tem sido grande aliado nas complementações de pequenas partes do corpo (nariz, dedos, mãoes, face, etc...).
Próteses ativas(funcionais) ENDOENERGÉTICAS, MECÂNICAS OU DE PROPULSÃO MUSCULAR
A energia propulsora origina-se no próprio corpo do paciente.(Correias e cabos)
Vantagens: peso reduzido; fonte energética do corpo; elementos de fabricação simples; baixo custo; conserva o tônus muscular; boa resistência; fácil conservação e limpeza.
Desvantagens: inexistência de relação entre potencia muscular e função; menor função quanto mais alto nível de amputação, esforço corporal pode favorecer o aparecimento de algias e alterações posturais.
Mãos e ganchos: as mãos são revestidas por luvas cosméticas da mesma coloração e relevo venoso da mão contralateral. Os ganchos são destacáveis e utilizados principalmente para a realização das atividades diárias.
Antebraço mecânico com ganchos: confeccionada em polylite sendo a suspensão realizada através de cabos e correias com dispositivo terminal(gancho). Neste tipo de prótese, a movimentação se dá por propulsão muscular. Através do cabo de aço preso à correia ancorada no ombro oposto se consegue a movimentação( abertura e fechamento do gancho). A indicação é semelhante á prótese mioelétrica.
Braço com cotovelo mecânico: confeccionada em polylite com suspensão por cabos,correias e tiras de velcro. Neste tipo de prótese temos a opção de um cotovelo com trava externa(fixação manual) ou com trava interna( fixação através de um pequeno cabo, aciona e trava) ou o gancho. Indicada para amputações transumerais.
Prótese híbrida: esse tipo de prótese tem como característica a utilização de um sistema híbrido, onde a mão é mioelétrica e o cotovelo mecânico. A suspensão se faz por cabos e correias, sendo que o flexo-extensão do cotovelo é feita pelo cabo, e a abertura e o fechamento da mão correm pela ação dos eletrodos. Como vantagem este sistema apresenta maior facilidade no manuseio da prótese, requerendo também menor gasto energético.
PRÓTESE DE DESARTICULAÃO DO OMBRO/PRÓTESE DE DESARTICULAÇÃO DO COTOVELO: movidas a propulsão muscular. Três tipos de cotovelos disponíveis: com trava externa, com trava interna ou articulação externa com trava opcional. Podem ser utilizadas com 3 tipos de mãos: mecânica, passiva(cosmética) e ganchos. Materiais: resina, cabos, tiras e velcro.
Prótese estética para desarticulação do ombro: de finalidade estética, tem como característica a sua levaza. Estrutura tubular com acabamento em espuma e luva cosmética.
Prótese endoesquelética acima do joelho: prótese modulares( endoesquelética) com a conexão da articulação do joelho com o pé realizada por tubos e adaptadores. Esses tubos poderão ser em aço,titânio ou fibra de carbono. A escolha dos componentes dependerá das condições do coto, estado físico, idade do paciente, peso, altura e grau de atividade física. O soquete poderá ser quadrilateral com apoio isquiático ou inclusão do ísquio. A suspensão será feita por válvula de sucção, podendo ser associada ao cinto silesiano. Joelhos disponíveis: modulares com unidade hidráulica ou impulsor incorporado ou mesmo com unidade pneumática. Utilizado com o pé dinâmico.
PRÓTESES ATIVAS(FUNCIONAIS) EXOENERGÉTICAS OU DE PROPULSÃO ARTIFICIAL
-A energia propulsora origina-se no fora do corpo do paciente.(pneumática, mioelétrca e elétrica).
Vantagens: Funcionamento do dispositivo terminal com emprego de pouca força, diversidade funcional, dispensa sistema de cabos e correias, forte preensão.
Desvantagens: A estética poderá ser prejudicada, peso elevado, depende sempre de energia artificial, danos mecânicos frequentes, alto custo, o mecanismo pode ser alterado por campo elétrico externo, cuidados especiais contra água, detritos e poeiras.
As próteses de braço com controle mioelétrico são próteses que possuem abertura e fechamento da mão através da ação muscular. Através de um complexo processo biomecânico, a cada contração de um músculo se produz uma tensão elétrica, que pode ser medida através da pele. Estes sinais são captados e amplificados através de eletrodos e enviados a um micro processador, responsável pelo controle dos movimentos da mão.
Prótese de mão mioelétrica com cotovelo
Prótese de mão mioelétrica
Prótese mioelétrica vista pelo lado de dentro
Prótese não convencional: fabricada sob medida. Tem sua indicação para as graves e complexas malformações congênitas dos membros inferiores associadas a grandes encurtamentos.
Próteses para amputação do antebraço com acionamento mioelétrico: a mão é acionada pelos potenciais gerados por correntes musculares existentes no coto, que são captados e amplificados por eletrodos.Além da abertura e fechamento da mãe, também poderá realizar a prono-supinação. Indicado para paciente com amputação do 1/3 proximal e médio do antebraço.
PRÓTESES PARA MMSS
Componentes das próteses para amputações de MMSS
-Qualquer prótese funcional de MMSS necessita de:
-fonte de energia;
-sistema de transmissão de fonte;
-sistema de comando;
-dispositivo terminal
Para o nível mais alto de amputação:
-Dispositivo terminal(mão ou gancho)
-Articulação de punho
-Bloco correspondente ao antebraço
-Articulação do cotovelo
-Bloco correspondente ao braço
-Monobloco (soquete ao nível SH)
-Articulação do ombro
-Sistema de cabos e correias.
Mão protética
Os critérios de escolha na prescrição de uma mão nunca deve ser o fato dela ser a última fabricada, pois nem sempre a tecnologia supera a funcionalidade.
A mão passiva deve ser acompanhada de luva de boa cosmese, se possível de silicone.
A mão funcional merece o mesmo procedimento quanto a cosmese e o seu sistema pode ser de abertura ou fechamento voluntário, mecânico (endoenergético) ou exoenergético.
Mão protética funcional voluntária
Abertura
Apresenta movimento do I,II e III dedos em pinça, enquanto o IV e V são passivos. A movimentação dos cabos e correias são realizados de forma discreta do tronco e membro amputado. O polegar é o dedo de maior importância funcional na mão.
Fechamento
O modelo mais clássico é o com fixação do polegar em duas posições e trava de fechamento na posição desejada.
Punho
 São peças usadas adaptar o dispositivo funcional á prótese por meio de rosca universal, favorecendo a rotação da mão ou gancho para o posicionamento adequado conforme a tarefa realizada.
Cotovelo
Algumas variáveis desde componente que colabora para o desempenho funcional da prótese:
-Infantil ou adulto;
-Endo ou exoesquelética;
-Endo ou exoenergética;
-Endo com controle ativo ou passivo;
Cabos
São responsáveis pelo funcionamento do dispositivo terminal das prótese endoenergéticas. São tensionados a partir das seguinte manobras.
-inspiração;
-elevação dos ombros;
-abdução das escápulas;
Prescrição
A correta prescrição de próteses para MMSS deve ter uma sequência lógica dependendo do nível e dos componentes:
-Endo ou exoesquelética;
-Endo ou exoenergética;
-funcional ou passiva;
-Nivel de amputação;
-Componentes (dispositivos terminal, punho, cabos, cotovelo, almofada pra tríceps, tipo de soquete, monobloco).
Ombro
Possibilita abdução e flexão do ombro protético, suaviza a postura do membro afetado, pois obrigatoriamente terá um monobloco. Facilita as atividades sentada(refeições, escrita, etc), onde mantemos uma abdução em 45º.
As próteses mioelétricas são muito complexas para o acionamento do ombro e pecam n aspecto funcional além de serem de alto custo e pesadas. O sistema mecânico ou endoenergético é mais prático, porém pouco funcional e estético.
Prótese para amputação transradial. 
Substituindo a parte do membro perdido essa prótese não é para uso somente estético, ela auxilia de forma muito importante, aonde o portador da mesma pode realizar funções com na imagem que o garoto esta andando