A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
168 pág.
DIREITO CIVIL SUCESSOES - SIMULADOS

Pré-visualização | Página 1 de 50

DIREITO CIVIL – SUCESSOES EXERCICIOS E SIMULADOS 
Aulas de 1 a 5 
1a Questão 
 
Carlos elabora testamento em que nomeia José legatário de duzentos mil reais porque, ao tempo em que seu pai esteve 
internado, foi o enfermeiro que melhor se dedicou à cura e ao bem-estar do ente amado. Contudo, à época do cumprimento do 
testamento, descobre-se não haver enfermeiro com tal nome trabalhando no hospital no período mencionado. Assim, marque a 
alternativa correta: 
 
 
Não há vício na disposição testamentária, mas apenas ineficácia se alegada pela parte interessada. 
 
O fato eiva o testamento de nulidade, não havendo modo de se aproveitar a disposição. 
 Apesar do vício de consentimento, é possível cumprir a vontade do testador se identificada a pessoa a quem se 
refere o testamento. 
 
Por se tratar de claro erro quanto à pessoa, a disposição é anulável pelo prazo de 4 anos. 
Respondido em 23/05/2020 18:33:37 
 
 
 
 
 2a Questão 
 
 
(TJ/MT) Assinale a alternativa CORRETA. 
 
 
A sucessão por morte obedece à lei do domicílio do de cujus, quanto à capacidade de suceder dos herdeiros e legatários. 
 Todas as alternativas anteriores estão incorretas. 
 
A sucessão por morte obedece, quanto aos bens situados no Brasil, à lei brasileira. 
 
A sucessão por morte obedece, quanto aos herdeiros brasileiros, à lei de seu domicílio, desde que lhe seja mais benéfica, 
desimportando a localização, situação ou natureza dos bens. 
 
A sucessão por morte obedece à lei de nacionalidade do de cujus, mesmo que os bens estejam situados no Brasil. 
Respondido em 23/05/2020 18:34:57 
 
 
Explicação: 
Todas as alternativas anteriores estão incorretas. 
 
 
 
 
 3a Questão 
 
 
Julgue os itens a seguir, marcando apenas a alternativa verdadeira: 
 
 
O processo de inventário consiste na descrição minuciosa dos bens para fins de se apurar o quinhão de cada herdeiro, 
para o pagamento das dívidas do de cujus e para o recolhimento do imposto de transmissão ao fisco municipal. 
 
O processo de inventário será sempre judicial, exceto quando todos os herdeiros forem capazes e houver 
consentimento para remessa ao juízo arbitral. 
 No processo de inventário a meação do cônjuge nunca deve ser considerada para fins de cálculo do imposto de 
transmissão causa mortis. 
 
O Espólio permanece na posse do cônjuge sobrevivente, até o que inventariante nomeado preste compromisso nos 
autos. 
 
Será nomeado inventariante, pela ordem, na impossibilidade ou inexistência do cônjuge sobrevivente, o filho mais 
velho do falecido. 
Respondido em 23/05/2020 18:34:30 
 
 
Explicação: A questão visa aferir a compreensão dos primeiros procedimentos processuais após a abertura da sucessão e do 
processo de inventário. 
 
 
 
 
 4a Questão 
 
 
A responsabilidade jurídica de guarda e proteção de arquivos, independentemente de vínculo de propriedade é chamada de: 
 
 
Dação. 
 
Compra e Venda 
 
Herança. 
 
Sucessão. 
 Custódia. 
Respondido em 23/05/2020 18:34:25 
 
 
Explicação: 
GABARITO- Custódia 
- Responsabilidade jurídica de guarda e proteção de arquivos, independentemente de vínculo de propriedade. 
 
 
 
 
 5a Questão 
 
 
Sobre o direito de representação na herança é correto afirmar que: 
 
 O representante herda o quinhão do representado na herança do ascendente quando ocorrer pré-morte, declaração de 
indignidade ou deserdação 
 
Ocorrendo a transmissão da herança a um representante menor, o representado excluído poderá gerir e usufruir de tais 
bens, pois a prorrogativa concedida pelo direito de família não pode ser revogada pelo direito sucessório 
 
No caso de renúncia à herança, os descendentes do renunciante herdarão por direito de representação como se o 
renunciante fosse pré-morto 
 
O cônjuge sobrevivente representa o cônjuge falecido na herança que este tiver de receber devido ao seu parentesco 
civil em 1º grau 
 
Um cônjuge sobrevivente sucede representando o outro em caso de comoriência deste com o seu ascendente, quando 
o ascendente deixar bens 
Respondido em 23/05/2020 18:34:28 
 
 
Explicação: A questão visa aferir conhecimentos sobre o Direito de Representação na sucessão legítima. 
 
 
 
 
 6a Questão 
 
 
Assinale a alternativa INCORRETA quanto ao Direito das Sucessões. 
 
 
O cônjuge sobrevivente concorre com os descendentes nos bens particulares, não nos comuns, na ordem da vocação 
hereditária. 
 
Os herdeiros do indigno herdam por representação, nos casos previstos em lei. 
 
A parte do renunciante acresce à dos coerdeiros da mesma classe e do mesmo grau. 
 
A herança jacente é sempre transitória. 
 O herdeiro necessário perderá o direito à legítima se lhe forem deixados bens em testamento que constituam a parte 
disponível do testador 
Respondido em 23/05/2020 18:34:18 
 
 
Explicação: 
O herdeiro necessário perderá o direito à legítima se lhe forem deixados bens em testamento que constituam a parte disponível 
do testador 
 
 
 
 
 7a Questão 
 
 
 
A sucessão provisória: 
 
 
 
 
Se o ausente deixou procurador, poderá ser requerida após 4 anos da arrecadação 
 
 
Poderá ser requerida pelos credores de obrigações vencidas e não pagas 
 
 
 
Será aberta por solicitação do Inventariante 
 
 
Será Requerida por um terceiro não interessado 
 
 
Poderá ser requerida depois de 2 anos da arrecadação dos bens do ausente 
 
Respondido em 23/05/2020 18:33:42 
 
 
Explicação: 
Resposta: Letra D Dispõe o art. 26, do Código Civil, que decorrido 01 ano da arrecadação dos bens do ausente, ou, se ele 
deixou representante ou procurador, em se passando 03 anos, poderão os interessados requerer que se declare a ausência e se 
abra provisoriamente a sucessão. Serão considerados interessados: o cônjuge, herdeiros, legatários testamentários, 
dependentes e credores de obrigações vencidas e não pagas (art. 27). A sentença da sucessão provisória passará a produzir 
efeitos após 180 dias de sua publicação. 
 
 
 
 
 8a Questão 
 
 
A regra do droit saisine: 
 
 
É aplicável apenas aos herdeiros legítimos e dispõe que os herdeiros ficarão investidos na posse dos bens que compõe o 
espólio no momento imediato da morte do sucedido; 
 Dispõe que aberta a sucessão, com a morte do sucedido, a herança transmite-se, desde logo, aos herdeiros legítimos e 
testamentários. 
 
Dispõe que a transmissão da herança aos herdeiros legítimos e testamentários somente se dará com a conclusão do 
processo de inventário e expedição do competente formal de partilha. 
 
Indica que apenas para os herdeiros legítimos, os bens deixados pelo sucedido serão transmitidos desde logo, a partir 
da abertura da sucessão; 
 
É aplicável tanto aos herdeiros legítimos quanto testamentários e dispõe que os herdeiros ficarão investidos na posse 
dos bens que compõe o espólio no momento imediato da morte do sucedido; 
Respondido em 23/05/2020 18:33:31 
 
 
Explicação: Art. 1.784 do CC 
 
 
 
1a Questão 
 
 
A sucessão provisória: 
 
 
 
Poderá ser requerida pelos credores de obrigações vencidas e não pagas 
 
 
Será Requerida por um terceiro não interessado 
 
 
Será aberta por solicitação do Inventariante 
 
 
 
Se o ausente deixou procurador, poderá ser requerida após 4 anos da arrecadação 
 
 
 
Poderá ser requerida depois de 2 anos da arrecadação dos bens do ausente 
 
Respondido em 20/05/2020 19:44:36 
 
 
Explicação: 
Resposta: Letra D Dispõe o art. 26, do Código Civil, que decorrido 01 ano da arrecadação dos bens do ausente, ou, se ele 
deixou representante ou procurador, em se passando 03 anos, poderão os interessados requerer que se declare a ausência e se 
abra provisoriamente a sucessão. Serão considerados interessados: o cônjuge, herdeiros, legatários testamentários, 
dependentes e credores de obrigações vencidas e não pagas (art. 27). A sentença da sucessão provisória passará a produzir 
efeitos após 180 dias de sua publicação.