A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Núcleo Interfásico

Pré-visualização | Página 1 de 1

Núcleo Interfásico
Definição: 
O núcleo é a principal característica que distingue uma célula eucarionte de uma procarionte .
 A maior parte da informação genética da célula está contida no DNA do núcleo, existindo apenas uma porção fora dele nas mitocôndrias e cloroplastos. 
Além disso, o núcleo controla o metabolismo celular pela transição do DNA nos 
diferentes tipos de RNAs. 
O ciclo da vida é dividido em duas fases principais: a mitose e a interfase. 
Na mitose ocorre a divisão das células, enquanto entre o período de duas divisões constitui a interfase. Assim, de acordo com a fase em que a célula se encontra, distinguem-se o núcleo interfásico e o núcleo mitótico. 
→ G1 – síntese de proteínas para a replicação do DNA; 
→ S – síntese de DNA; 
→ G2 – preparação para a divisão celular (fase M), com a síntese de proteínas, aumento de volume e do tamanho 
→ G1 – síntese de proteínas para a replicação do DNA; 
→ S – síntese de DNA;
→ G1 – síntese de proteínas para a replicação do DNA; 
→ S – síntese de DNA;
· G1 – síntese de proteínas para a replicação do DNA;
· S – síntese de DNA;
· Preparação para a divisão celular ( fase M), com síntese de proteínas, aumento de volume e tamanho das organelas.
· O núcleo interfásico é composto pelo envelope nuclear, o nucleoplasma, a cromatina, a lâmina nuclear e os nucléolos.
 
COMPONENTES:
Envelopamento Nuclear:
Separa o núcleo do citoplasma, sendo responsável pela manutenção do núcleo como um compartimento distindo e permitindo que a célula controle o acesso ao seu material genético. 
É constituído por duas unidades de membrana concêntricas, uma interna e outra externa que apresentam um espaço intermembranar que se comunica como o RER, o que ajuda na exportação de proteínas. 
Há a presença de poros nucleares na membrana, que permitem a comunicação entre núcleo e citoplasma. Tais poros são específicos as membranas nucleares e constituem o 
complexo do poro.
 Membrana nuclear externa ( MNE) : se comunica com filamentos intermediários. Atua na sustentação do núcleo. Presença de polirribossomos aderidos á sua superfície. A composição da membrana nuclear externa assemelha-se muito a membrana do RE, com qual ela é continua .
Membrana Nuclear interna ( MNI): Se comunica com as laminas. Atua na sustentação do núcleo. A membrana nuclear interna contém proteínas que atuam como sítios de ligação para os cromossomos e para a lâmina nuclear. 
Apresenta componentes fundamentais à estruturação nuclear, principalmente os receptores para componentes da lâmina nuclear e, por ancorar componentes proteicos.
Lamina Nuclear:
Associada a superfície interna do envoltório nuclear está a lamina nuclear, uma rede fibrosa que se interrompe nos poros nucleares. A lâmina é constituída pelas proteínas laminas, que pertencem a classe de filamentos intermediários. Além de manter a forma e dar suporte estrutural ao envoltório nuclear, a lâmina nuclear também é responsável pela ligação das fibras cromatínicas ao envoltório. Apresentam função importante na mitose, visto que a fosforilação das proteínas lamina é sinal para a desmontagem da lamina nuclear, a qual perde sua configuração de rede, desmontando as membranas Com a desfosforilação das laminas há o arranjo e a montagem da carioteca pela recomposição de sua estrutura reticular.
Nucleopasma 
É constituído por uma solução aquosa de proteínas, RNAs, nucleosídeos, nucleotídeos e íons, onde estão mergulhados os nucléolos e a cromatina. Muitas das proteínas presentes no nucleoplasma são enzimas envolvidas coma transcrição e duplicação do DNA. A associação das técnicas de extração, fracionamento e microscopia eletrônica demonstrou a existência, no núcleo, de um endoesqueleto: a matriz celular (rede fibrilar interna).
-Moléculas que saem do núcleo: RNAm, RNAt, RNAr e subunidades ribossomais
-Moléculas que entram no núcleo: proteínas nucleares.
Cromatina
Consiste no complexo de DNA, RNAs, prote ínas existente no núcleo. Na maior parte do tempo o DNA está compactado e associado a histonas, formando o nucleossomo. 
O empacotamento da cromatina diminui o tamanho do DNA e auxilia no controle da expressão gênica. O enovelamento também ajuda no controle da expressão gênica, 
pois determinado gene não será transcrito se a região no qual se encontra estiver em heterocromatina, logo não será expresso todo o tempo, sendo transcrito apenas quando a região que se encontra es tiver em eucromatina.
As fases de compactação do DNA são as seguinte: 
Nucleólos:
Os nucléolos são estruturas nucleares esféricas não envolvidas por membranas. O nucléolo corresponde à região em que estão sendo sintetizados os ribossomos, por isso apresenta-se mais denso que o resto da eucromatina. Suas principais funções são
-O nucléolo é a organela celular cuja função principal é produzir ribossomos.
-O nucléolo é também o local onde outros RNAs são produzidos e outros complexos RNA proteínas são reunidos.
-RNAt que transportam aminoácidos para a síntese protéica são processadas no nucléolo.
COMPONENTES:
 
N
Envelope Nuclear ou Carioteca 
→ Membrana nuclear externa (MNE) = Se comunica com filamentos intermediários. Atua na sustentação do 
G2 – preparação para a divisão celular (fase M), com a síntese de proteínas, aumento de volume e do tamanho