Curso de Direito Penal parte especial volume III_ Rogério Greco
1153 pág.

Curso de Direito Penal parte especial volume III_ Rogério Greco


DisciplinaDireito Penal I75.213 materiais1.253.001 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Tudo	tem	a	sua	ocasião	própria,	e	há	tempo
para	todo	propósito	debaixo	do	céu.
Eclesiastes	3.1
©	2017,	Editora	Impetus	Ltda.
Editora	Impetus	Ltda.
Rua	Alexandre	Moura,	51	\u2013	Gragoatá	\u2013	Niterói	\u2013	RJ
CEP:	24210-200	\u2013	Telefax:	(21)	2621-7007
Conselho	Editorial:
Ana	Paula	Caldeira	\u2022	Benjamin	Cesar	de	Azevedo	Costa
Ed	Luiz	Ferrari	\u2022	Eugênio	Rosa	de	Araújo	\u2022	Fábio	Zambitte	Ibrahim
Fernanda	Pontes	Pimentel	\u2022	Izequias	Estevam	dos	Santos
Marcelo	Leonardo	Tavares	\u2022	Renato	Monteiro	de	Aquino
Rogério	Greco	\u2022	William	Douglas
Projeto	Gráfico:	Editora	Impetus	Ltda.
Editoração	Eletrônica:	SBNigri	Artes	e	Textos	Ltda.
Adaptação	para	ebook:	C&C	Criações	e	Textos	Ltda.
Capa:	Bruno	Pimentel	Francisco
Revisão	de	Português:	C&C	Criações	e	Textos	Ltda.
Equipe	de	Pesquisa:	Patrícia	Costa	de	Mello	e	Thiago	Gomes	de	Carvalho	Pinto
G829c
\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002Greco,	Rogério.
\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002Curso	de	Direito	Penal:	 parte	 especial,	 volume	 III	 /	Rogério	Greco.	 \u2013	 14a	 ed.	Niterói,	RJ:	 Impetus,
2017.
\u2002\u2002\u2002\u2002\u20021184	p.	;	17	x	24	cm.
\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002Isbn:	978-85-7626-931-1
\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002Isbn	digital:	978-85-7626-943-4
\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002\u2002	1.	Direito	penal	\u2013	Brasil.	I.	Título.
CDD:	345.81
O	autor	é	seu	professor;	respeite-o:	não	faça	cópia	ilegal.
todos	 os	 direitos	 reservados	\u2013	É	 proibida	 a	 reprodução,	 salvo	 pequenos	 trechos,	mencionando-se	 a	 fonte.	 A	 violação	 dos	 direitos
autorais	(Lei	nº	9.610/1998)	é	crime	(art.	184	do	Código	Penal).	Depósito	legal	na	Biblioteca	Nacional,	conforme	Decreto	nº	1.825,	de
20/12/1907.
A	Editora	Impetus	informa	que	quaisquer	vícios	do	produto	concernentes	aos	conceitos	doutrinários,	às	concepções	ideológicas,	às
referências,	à	originalidade	e	à	atualização	da	obra	são	de	total	responsabilidade	do	autor/atualizador.
www.impetus.com.br
A	Jesus	Cristo,	o	Príncipe	da	Paz,	Autor	da	Vida.
O	AUTOR
Rogério	Greco,	casado	com	Fernanda	Greco	e	pai	de	Daniela,	Emanuella,	Rafaella,	João	Paulo	e
Rogério,	 é	 Procurador	 de	 Justiça,	 tendo	 ingressado	 no	Ministério	 Público	 de	Minas	 Gerais	 em
1989.	 Foi	 vice-presidente	 da	 Associação	 Mineira	 do	 Ministério	 Público	 (biênio	 1997-1998)	 e
membro	 do	 conselho	 consultivo	 daquela	 entidade	 de	 classe	 (biênio	 2000-2001).	 É	 membro
fundador	 do	 Instituto	 de	 Ciências	 Penais	 (ICP)	 e	 da	 Associação	 Brasileira	 dos	 Professores	 de
Ciências	Penais,	e	membro	eleito	para	o	Conselho	Superior	do	Ministério	Público	durante	os	anos
de	2003,	2006	e	2008;	Professor	de	Direito	Penal	do	Curso	de	Pós-Graduação	da	PUC/BH;
Professor	do	Curso	de	Pós-Graduação	de	Direito	Penal	da	Fundação	Escola	Superior	do	Ministério
Público	de	Minas	Gerais;	Assessor	Especial	do	Procurador-Geral	de	Justiça	junto	ao	Tribunal	de
Justiça	de	Minas	Gerais;	Mestre	em	Ciências	Penais	pela	Faculdade	de	Direito	da	Universidade
Federal	 de	 Minas	 Gerais	 (UFMG);	 especialista	 em	 Direito	 Penal	 (Teoria	 do	 Delito)	 pela
Universidade	de	Salamanca	(Espanha);	Doutor	pela	Universidade	de	Burgos	(Espanha);	Membro
Titular	da	Banca	Examinadora	de	Direito	Penal	do	XLVIII	Concurso	para	Ingresso	no	Ministério
Público	de	Minas	Gerais;	palestrante	em	congressos	e	universidades	em	todo	o	País.	É	autor	das
seguintes	 obras:	 Direito	 Penal	 (Belo	 Horizonte:	 Cultura);	 Estrutura	 Jurídica	 do	 Crime	 (Belo
Horizonte:	 Mandamentos);	 Concurso	 de	 Pessoas	 (Belo	 Horizonte:	 Mandamentos);	 Leis	 Penais
Especiais	\u2013	Crimes	Hediondos	e	Tortura	 (Rio	de	 Janeiro:	 Impetus);	Direito	Penal	\u2013	Lições	(Rio	de
Janeiro:	Impetus);	Direito	Penal	do	Equilíbrio	(Rio	de	 Janeiro:	 Impetus);	Curso	de	Direito	Penal	\u2013
Parte	 geral	 e	 Parte	 Especial	 (Rio	 de	 Janeiro:	 Impetus);	 Código	 Penal	 Comentado	 \u2013	 Doutrina	 e
Jurisprudência	(Rio	de	Janeiro:	Impetus);	Atividade	Policial	\u2013	Aspectos	Penais,	Processuais	Penais,
Administrativos	e	Constitucionais	(Rio	de	Janeiro:	Impetus);	Vade	Mecum	Penal	e	Processual	Penal
(Coordenador);	A	Retomada	do	Complexo	do	Alemão	(Rio	de	Janeiro:	Impetus);	Virado	do	Avesso	\u2013
Um	 Romance	 Histórico-Teológico	 sobre	 a	 Vida	 do	 Apóstolo	 Paulo	 (Rio	 de	 Janeiro:	 Nah-gash);
Sistema	 Prisional	 \u2013	 Colapso	 Atual	 e	 Soluções	 Alternativas	 (Rio	 de	 Janeiro:	 Impetus);	 Derechos
Humanos,	Crisis	de	la	Prisión	y	Modelo	de	Justicia	Penal	(Espanha:	Publicia	Editorial).	É	embaixador
de	Cristo.
Fale	direto	com	o	autor	pelo	e-mail:	atendimento@impetus.com.br
e	pelo	site:	www.rogeriogreco.com.br
NOTA	DO	AUTOR
Muitas	 vezes	 lamentamos,	 murmuramos,	 pensamos	 que	 Deus	 nos	 abandonou.	 Pequenos
problemas	ou	provações	nos	 fazem	perder	a	esperança,	acreditar	que	somos	piores	do	que	os
outros,	incapazes,	que	não	nascemos	para	ter	sucesso.
Quando	 converso	 com	 pessoas	 que	 possuem	 esse	 tipo	 de	 sentimento,	 logo	 me	 vem	 à
memória	a	história	de	José,	narrada	no	livro	de	Gênesis,	capítulos	37	a	50,	da	Bíblia.
Quem	se	detivesse	em	cada	um	dos	terríveis	momentos	por	que	José	havia	passado	diria	que
o	 seu	 futuro	 seria	 negro.	 José	 era	 o	 décimo	 primeiro	 filho	 de	 Jacó.	 A	 Palavra	 de	Deus	 diz,	 em
Gênesis	37:3,	que	Israel	(Jacó)	"amava	mais	a	José	que	a	todos	os	seus	filhos,	porque	era	filho	de
sua	velhice".	Isso	fez	com	que	seus	irmãos	nutrissem	um	sentimento	de	ciúmes	e	de	inveja	muito
intensos	contra	José,	porque	percebiam	que	o	pai	deles	o	tratava	de	forma	diferente.
José	era	um	homem	de	coração	puro,	 temente	a	Deus.	Não	mentia,	 e	 isso	 também	 irritava
seus	irmãos.
Certo	 dia,	 o	 pai	 de	 José	 pediu-lhe	 que	 fosse	 até	 o	 campo,	 a	 fim	 de	 trazer	 notícias	 de	 seus
irmãos,	 que	 se	 encontravam	 em	 Siquém	 apascentando	 o	 rebanho	 de	 ovelhas	 da	 família.	 Ao
avistarem	 José,	 seus	 irmãos	 foram	 tomados	 por	 um	 ódio	 profundo,	 principalmente	 quando
perceberam	que	estava	vestido	 com	a	 túnica	que	 lhe	 fora	dada	por	 seu	pai,	 que	 representava,
simbolicamente,	sua	posição	de	filho	preferido.
Assim,	resolveram,	primeiramente,	matá-lo.	No	entanto,	foram	dissuadidos	pelo	irmão	mais
velho,	Rúben,	que	sugeriu	que	José	fosse	colocado	em	uma	cisterna	sem	água.
Com	o	coração	ainda	destilando	ódio,	os	irmãos	de	José,	ao	perceberem	que	por	ali	passava
uma	caravana	de	mercadores	midianitas	dirigindo-se	ao	Egito,	resolveram	vendê-lo,	pois,	assim,
se	livrariam	do	incômodo	irmão	sem,	contudo,	matar	alguém	que	possuía	o	mesmo	sangue	que
eles.
Ao	 voltarem	 para	 casa,	 mentiram	 ao	 pai	 dizendo	 que	 José	 havia	 sido	morto	 por	 feras	 no
campo,	mostrando-lhe	sua	túnica	manchada	de	sangue	do	bode	que	haviam	matado	para	ajudar	a
simular	o	fato.
Jacó	entrou	em	desespero,	pois	amava	muito	José.
Ao	chegar	ao	Egito,	José	foi	vendido	a	um	grande	comandante	do	Faraó,	chamado	Potifar.	A
Bíblia	nos	relata,	em	Gênesis	39:2-6,	que	"o	Senhor	era	com	José,	que	veio	a	ser	homem	próspero;
e	estava	na	casa	de	seu	senhor	egípcio.	Vendo	Potifar	que	o	Senhor	era	com	ele	e	que	tudo	o	que
ele	fazia	o	Senhor	prosperava	em	suas	mãos,	logrou	José	mercê	perante	ele,	a	quem	servia;	e	ele	o
pôs	 por	mordomo	 de	 sua	 casa	 e	 lhe	 passou	 às	mãos	 tudo	 o	 que	 tinha.	 E,	 desde	 que	 o	 fizera
mordomo	de	sua	casa	e	sobre	tudo	o	que	tinha,	o	Senhor	abençoou	a	casa	do	egípcio	por	amor	de
José;	a	bênção	do	Senhor	estava	sobre	tudo	o	que	tinha,	tanto	em	casa	como	no	campo.	Potifar
tudo	o	que	tinha,	confiou	às	mãos	de	José,	de	maneira	que,	tendo-o	por	mordomo,	de	nada	sabia,
além	do	pão	com	que	se	alimentava".
Vejam	como	Deus	começou	a	 transformar	a	história	de	 José.	De	escravo,	vendido	por	 seus
irmãos	a	uma	caravana,	Deus	o	colocou	na	casa	de	Potifar	e	fez	prosperar	tudo	o	que	ele	tocava,	a
ponto	 de	 o	 comandante	 entregar-lhe	 todos	 os	 seus	 bens	 para	 que	 ele	 os	 administrasse,	 pois,
como	 vimos	 na	 passagem	 acima,	 Potifar	 não	 se	 preocupava	 com	 mais	 nada	 desde	 que	 José
assumira	a	posição	de	mordomo	naquela	casa.
No	entanto,	nossa	vida	é	feita	de	altos	e	baixos.	E	isso	também	acontecia	com	José.	Assim,	a
mulher	 de	 Potifar,	 vendo	 que	 José	 tinha	 boa	 aparência,	 começou	 a	 interessar-se	 por	 ele,
querendo,	a	todo	custo,	que	mantivessem	relação