A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Resumo NP1 Psicodiagnóstico UNIP

Pré-visualização | Página 1 de 1

Contexto Geral do diagnóstico Psicológico:
1) Modelo médico: Enfatiza o modelo de diagnóstico de doença física para doença mental, classifica e descreve-as surgindo assim as psicopatologias, procuravam no organismo as causas das doenças mentais, tratando o sujeito como “paciente” enfatizando um caráter de doença.
2) Modelo psicométrico: Utilizavam testes psicométricos para diagnosticar, classificar e medir aptidões, inicialmente eram aplicadas em crianças com dificuldade de aprendizagem escolar.
3) Modelo Behaviorista: Utiliza o método da analise do comportamento para entender o comportamentos humano.
4) Modelo humamista: critica o psicodiagnostico, considerando esse método classificatório e enquadrador, acredita que é possível ajudar o sujeito por meio do relacionamento estabelecido na psicoterapia.
5) Modelo fenomenológico existência: utiliza o psicodiagnostico e suas ferramentas ajudando-o em seu autoconhecimento como resultado terapêutico.
6) Modelo psicanalítico: enfatiza o inconsciente como originador dos comportamentos, utiliza no psicodiagnostico a entrevista como método principal, a transferência e contratransferência e a expressão dos aspectos da personalidade por meio de técnicas projetiva.
Para um prognostico eficaz é essencial realizar a integração e dinâmica das técnicas dos variados modelos de psicodiagnostico existente até o momento, pois uma complementa a outra de modo a compreender o homem biopsicosocial.
Desafios no Psicodiagnostico infantil: 
Hoje se dá pela falta de embasamento teórico para os novos modelos familiares emergentes pelo mundo moderno, deixando a critério do próprio psicólogo dar conta da demanda. 
O modelo de família que é atendida no psicodiagnostico são geralmente monoparentais, casais que tem seus filhos de outros casamentos e filhos no casamento atual, crianças que por algum motivo moram com avós. Cabe ao psicólogo dar conta das demandas do mundo moderno, no qual a criança é inserida em contextos de violência.
Etapas do psicodiagnostico tradicional e interventivo:
O psicodiagnostico tradicional é baseado em uma coleta de dados feita através da investigação da dinâmica familiar e da criança durante os atendimentos baseados na queixa trazida pelos pais, afim de propor um encaminhamento seja terapêutico ou de caráter clinico de acordo com o prognóstico. Não é realizada visitas domiciliares e escolares, tudo é baseado na queixa que os pais levam e no comportamento da criança durante os atendimentos. O caráter interventivo nesse contexto é transferido para o profissional em que é encaminhado.
No psicodiagnostico interventivo, baseado na abordagem da psicológicologia fenomenológica existencial. O psicólogo tem valor colaborativo, de modo a contextualizar a queixa não apenas no que os pais trazem, mas também considera o comportamento da criança em seus contextos escolares e domiciliares (visita escolar e visita domiciliar), também considera as expressões das observações lúdicas. Por meio dos dados levantados ele, junto com o cliente constrói compreenssões e modos de intervenção.
Tecnicas do Psicodiagnóstico: São as entrevistas (inicial, anamnse e devolutiva), observação ludica, colagem.
Entrevista utilizadas no Psicodiagnóstico: 
Entrevista inicial: É realizada para receber a demanda, ou seja, é nela que o cliente traz a queixa, também é realizado nessa entrevista o esclarecimento do modo de trabalho e seu objetivo.
Entrevista de anaminese: É realizada afim de conhecer a historia de vida do cliente.
Entrevista devolutiva: É um levantamento de tudo que foi realizado no processo psicodagnóstico, é compartilhado com o cliente as percepções do psicólogo e como se articulam com a queixa, são levantadas intervenções se necessário, pode ser realizado o encaminhamento ou não do cliente.
O psicólogo como ouvinte, deve saber interpretar a narrativa dos fatos como reveladora de experiências vividas. 
Observação Ludica:
Durante a aplicação lúdica, o psicólogo deve observar o modo de brincar da criança: plasticidade, rigidez e estereotipia e perseverança
Motricidade: se a criança apresenta alguma limitação motora atípica de sua idade.
 Personificação: se a criança tem capacidade de se colocar no lugar do outro.
Criatividade: se ela consegue relacionar elementos para a contrução de uma nova utilização do brinquedo.
Tolerancia a frustração:
Capacidade de simbolozação:
A forma com que a criança manipula o brinquedo é a projeção que ela faz do seu momento de vida atual, a criança projeta pesrpectiva que ela tem do seu mundo na hora da brincadeira.
Colagem:
A colagem é um tecnica que auxilia o processo de psicodiagnostico devido seu carater projetivo, ela ajuda na compreensão da dinâmica familiar, toda sua elaboração é organizada por meio de um valor que criança da em sua existência. Durante a aplicação se é observado o modo como a criança se apropria do material, seu comportamento gestual e verbal.
O modo de como a criança se apropria do material revela a dinâmica familiar, o estagiário é responsável pela elaboração do material e pela observação da apropriação desse material pela criança, e sua interpretação, ele não pode intervir diretamente na ação, mas pode tecer alguns comentários durante a aplicação.
Visita Domiciliar
Tem por objetivo conhecer não apenas o relacionamento famiiar que ali se dá, mas também a estrutura e o modo de como esse espaço é organizado devido a casa ser singularidade de cada individuo que habita, ela compartilha historias ali vividas, sua observação pode ser integrada aos outros levantamentos ajudando numa compreensão mais ampla ou ate mesmo decisiva.
Visita Escolar
Independente da queixa a visita escolar faz parte do Psicodiagnostico, Tem por objetivo observar o comportamento da criança nesse contexto e como os professores e funcionários lidam com essa criança, é observado o espaço de recreação, bem como materiais pedagógicos.