A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
PROVA ANTROPOLOGIA GERAL E JURIDICA

Pré-visualização | Página 1 de 2

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ 
 
 
Missão: 
“Promover educação de qualidade, visando a formação de 
cidadãos críticos, solidários, éticos e inovadores, 
comprometidos com a sustentabilidade, a cultura 
amazônica e a melhoria da qualidade de vida” 
 
1ª NDA 
 
Data: ________________ 
 
Valor: 10,0 pontos 
 
Pontos obtidos: ___________ 
 
Rubrica do Professor: 
 
 
Curso: DIREITO 
 
 
Turma: 5º DIN 2020.1 
 
Disciplina: ANTROPOLOGIA JURÍDICA 
 
Professor: KARLA CRISTINA ANDRADE FERREIRA 
 
Aluno(a): 
 
 
BOA PROVA!!!! 
 
QUESTÃO 01 
 
A cultura jurídica do Estado Brasileiro, desde sua formação, sempre foi monolítica e excludente, 
pouco comprometida com a diversidade cultural do país, entretanto, a realidade do DIREITO 
transborda para além do jurídico estatal, a despeito de sua pretensa primazia. Assim, questões 
fundamentais ao saber jurídico que a Antropologia empresta baseiam-se: 
a) Em reforçar que a relação entre o Direito e a Antropologia não se faz necessária, pois as 
contribuições da ciência antropológica à reflexão jurídica sempre se mostrou questionável; 
b) Em reforçar o dogmatismo existente na chamada Ciência Jurídica; 
c) Em resgatar a verdadeira função jurídica – a paz e a felicidade dos homens – só possível, 
no entanto, pelo respeito e tolerância a toda a diversidade cultural, étnica, racial, religiosa, 
política, econômica e demais possibilidades de diferença entre os homens; 
d) No esforço da Antropologia Jurídica em identificar e fortalecer o dogmatismo jurídico; 
e) Na denuncia de que as leis surgiram dos anseios da classe popular, representando a 
dominação ilegítima. 
COMENTÁRIO: A resposta correta é a letra C, O despertar para a diversidade e a 
alteridade e o reconhecimento jurídico do pensamento antropológico proporcionam ao 
Direito a percepção da imensa amplitude e riqueza que o torna tão especial. 
 
QUESTÃO 02 
 
A teoria geral do direito, que Bobbio propõe nas suas obras Teoria da norma jurídica e 
Teoria do ordenamento jurídico, segue uma linha estruturalista. Essa posição, contudo, 
passa por uma revisão. Assim: 
 
a) Assim, em a função promocional do direito, investiga novas técnicas de controle social como 
exigência do Estado social contemporâneo; 
 
 
b) Essas técnicas são centradas unicamente em comportamentos repudiados pela sociedade, 
c) Sob o enfoque funcionalista, a ordem jurídica pode ser vista apenas como o reflexo da realidade 
social subjacente; 
d) A preocupação acerca da concepção de ser humano não é um tema de destaque na 
antropologia jurídica; 
e) Todas as alternativas anteriores estão incorretas 
COMENTÁRIO: A resposta correta é a letra A . Neste sentido, quando identificamos 
restritivamente o direito como o sistema jurídico estatal, estamos reproduzindo o ponto de vista 
que o próprio Estado tem de si mesmo e da experiência normativa humana. 
 
QUESTÃO 03 
Conforme Boaventura de Sousa Santos (1988: 73), o pluralismo jurídico tem lugar sempre que as 
contradições se condensam na criação de espaços sociais, mais ou menos segregados, no seio 
dos quais se geram litígios ou disputas processados com base em recursos normativos e 
institucionais internos. Dessa forma, assinale a alternativa correta sobre o pluralismo jurídico 
a) A nova orientação da antropologia jurídica tem auxiliado teoricamente em suprimir os 
estudos acadêmicos sobre a produção jurídica não estatal; 
b) A antropologia jurídica tem negado o fenômeno conhecido como pluralismo jurídico; 
c) O pluralismo jurídico tem lugar sempre que as contradições se condensam na criação de 
espaços sociais, mais ou menos segregados, no seio dos quais se geram litígios ou 
disputas processados com base em recursos normativos e institucionais internos 
d) Verifica que o pluralismo jurídico, por ser mais institucionalizado, com maior poder 
coercitivo e com discurso jurídico de menor espaço retórico 
e) verifica que o direito estatal, por ser menos institucionalizado, com menor poder coercitivo 
e com discurso jurídico de maior espaço retórico se mostra mais eficaz que o Direito de 
favela; 
COMENTÁRIO: A resposta correta é a letra C, pois atualmente as sociedades são divididas pelas 
desigualdades entre todos nós. Assim, o direito de igualdade torna-se de forma impossível de se 
concretizar, pois o Estado cria leis que não são eficazes para as camadas sociais inferiores, 
tornando cada vez maior a desigualdade social. Pois existe um desequilíbrio entre o texto 
Constitucional e a realidade social. Enquanto uma minoria da população tem seus direitos 
atendidos pelo Estado, outros simplesmente não conhecem seus direitos. 
 
QUESTÃO 04 
 
O ser humano é, pois, o centro articulador não apenas do pensamento antropológico, mas 
também do pensamento jurídico. Assim: 
 
a) As conexões do direito com a antropologia são evidentes, visto que o ser humano constitui 
objeto central dessas duas áreas do conhecimento, motivo pelo qual temas como igualdade e 
diferença são, ao mesmo tempo, jurídicos e antropológicos. 
b) Não se evidencia na antropologia jurídica uma leitura da sociedade e suas evoluções jurídicas 
que estão em curso e que apontam para um direito mais maleável, com punições flexíveis. 
c) As conexões do direito com a antropologia NÃO são evidentes, visto que o ser humano 
constitui objeto central dessas duas áreas do conhecimento,motivo pelo qual temas como 
igualdade e diferença são EXCLUSIVOS da antropologia 
d) Malinowski propõe uma estratégia conceitual em que o objetivo da generalidade se sobrepõe 
 
 
ao da especificidade, motivo pelo qual conclui que, em todos os povos, qualquer que seja o grau 
de seu “primitivismo”, NÃO existe o direito. 
e) Todas as alternativas anteriores estão erradas. 
COMENTÁRIO: A resposta correta é a letra A, as questões sobre gênero, índio, quilombolas, 
comunidades tradicionais e território, servirão de base para fundamentar a importância de um 
diálogo especifico, o respeito e reconhecimento da diferença. 
 
QUESTÃO 05 
 
 
Malinowski combateu o evolucionismo com o relativismo cultural (uma cultura não pode ser 
pensada em termos hierárquicos e evolucionista), e foi o primeiro a realizar o trabalho de campo 
através da observação participante (contato direto com o objeto de estudo). Propõe que a 
antropologia seja a ciência da alteridade, que estuda a lógica própria de cada cultura. Dessa 
forma podemos inferir que a escola funcionalista defendia que: 
a) As comunidades diferentes eram passiveis de serem dominadas e exploradas; 
b) As comunidades simples poderiam também evoluir se quisessem, para chegar ao nosso 
estágio; 
c) A escola funcionalista defende a ideia de que, em certas condições de convívio com a 
natureza, os grupos humanos se desenvolvem mais ou menos rapidamente em uma 
mesma direção, do mais simples para o mais complexo, do inferior para o superior, do 
atrasado para o desenvolvido; 
d) Diferença não é sinônimo de inferioridade, nem de atraso tecnológico e nem todas as 
sociedades possuem organização social simples; 
e) A direção do desenvolvimento será sempre determinada pelas tecnologias que conseguem 
desenvolver 
COMENTÁRIO: A resposta correta é a letra D, pois ele ampliou o seu objeto de estudo para além 
do estudo do exótico, distante, intocável ou primitivo 
 
 
 
QUESTÃO 06 
 
Para Ferraz Jr. (1995: 21, 22), o direito é um dos fenômenos mais notáveis na vida humana. 
Compreender o direito é compreender uma parte de nós mesmos. É saber por que obedecemos, 
por que mandamos, por que nos indignamos, por que aspiramos mudar em nome de ideais e por 
que em nome de ideais conservamos as coisas como estão. Ser livre é estar no direito e, no 
entanto, o direito também nos oprime e nos tira a liberdade. 
a) O direito não serve para expressar e produzir a aceitação da situação existente, mas sim 
como sustentação moral da indignação e da rebelião. 
b) O estudo do direito não exige precisão e rigor científico, e nem abertura para o humano, 
para a história, para o social;

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.