23705-127404-1-PB
31 pág.

23705-127404-1-PB


DisciplinaDireito Administrativo I62.689 materiais1.106.732 seguidores
Pré-visualização13 páginas
ISSN 1981-3694 
(DOI): 10.5902/1981369423705 
 
A (DES)NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSA 
COLETIVA NO BRASIL: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DO VALOR 
SOCIAL DO TRABALHO E DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 
 
NELMA KARLA WAIDEMAN FUKUOKA 
VICTOR HUGO ALMEIDA 
 
 
 
Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM www.ufsm.br/revistadireito v. 12, n. 1 / 2017 p.104-134 
104 
 
A (DES)NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSA 
COLETIVA NO BRASIL: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DO VALOR 
SOCIAL DO TRABALHO E DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 
 
THE NEED(LESSNESS) OF REGULATION ABOUT THE COLLECTIVE DISMISSAL 
IN BRAZIL: AN ANALYSIS UNDER THE PERSPECTIVE OF SOCIAL VALUE OF 
WORK AND HUMAN DIGNITY 
 
 
NELMA KARLA WAIDEMAN FUKUOKA 
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Direito da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (UNESP). Franca, 
SP, Brasil. 
nelmawf@terra.com.br 
 
VICTOR HUGO ALMEIDA 
Doutor em Direito do Trabalho pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Docente vinculado ao 
Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP). São 
Paulo, SP, Brasil. 
victorhugo.professor@gmail.com 
 
 
 
 
RESUMO 
 
No cenário brasileiro atual, não é raro se noticiar a 
ocorrência de dispensas coletivas envolvendo um 
grande número de trabalhadores. As justificativas têm 
se baseado em fatores vinculados à situação 
econômica do país. Nesse contexto, o presente 
trabalho tem por objetivo examinar a dispensa 
coletiva arbitrária, sob o viés dos ditames da 
preservação de empregos insculpido na Constituição 
Federal de 1988 e dos princípios do valor social do 
trabalho e da dignidade humana. Como método de 
procedimento, adotou-se o levantamento de dados por 
meio da técnica de pesquisa bibliográfica. E, como 
método de abordagem, adotou-se o método dedutivo. 
Destaca-se, na atualidade, a imperativa necessidade 
de modernizar e atualizar o Direito do Trabalho face à 
realidade econômica, no sentido de enfrentar os 
grandes desafios próprios desse ramo do direito, 
dentre os quais a crise do emprego se afigura o mais 
complexo. 
 
Palavras-chave: dignidade da pessoa humana; Direito 
do Trabalho; dispensa coletiva; valor social do 
trabalho. 
ABSTRACT 
 
In the current Brazilian scenario, it is not uncommon 
to report the occurrence of collective dismissals 
involving a large number of workers. The justifications 
are based on factors linked to the economic situation 
of the country. In this context, this paper aims to 
examine the arbitrary collective dismissal, under the 
perspective of preservation of jobs inserted in the 
Federal Constitution of 1988, as well as the principles 
of social value of work and human dignity. As a 
method of procedure, we adopted the data collection 
through the technique of literature research. As a 
method of approach, the deductive method was used. 
It stands out, nowadays, the imperative need to 
modernize and upgrade the labor laws in face of the 
economic reality, in a way to face the great 
challenges typical to this area of law, among which 
the employment crisis appears to be the most 
complex. 
 
 
Keywords: human dignity; Labor Law; collective 
dismissal; social value of work. 
 
 
 
mailto:nelmawf@terra.com.br
mailto:victorhugo.professor@gmail.com
ISSN 1981-3694 
(DOI): 10.5902/1981369423705 
 
A (DES)NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSA 
COLETIVA NO BRASIL: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DO VALOR 
SOCIAL DO TRABALHO E DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 
 
NELMA KARLA WAIDEMAN FUKUOKA 
VICTOR HUGO ALMEIDA 
 
 
 
Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM www.ufsm.br/revistadireito v. 12, n. 1 / 2017 p.104-134 
105 
 
 
SUMÁRIO 
 
INTRODUÇÃO; 1 CRISE ECONÔMICA E DISPENSA COLETIVA; 2 O VALOR SOCIAL DO TRABALHO E A 
EFETIVAÇÃO DO PRINCÍPIO DA DIGNIDADE HUMANA; 3 A DISPENSA COLETIVA NO CENÁRIO JUSLABORAL 
BRASILEIRO; 4 A (DES)NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSA COLETIVA NO BRASIL; 
CONCLUSÃO; REFERÊNCIAS. 
 
INTRODUÇÃO 
 
No cenário brasileiro atual, não é raro se noticiar a ocorrência de dispensas coletivas 
envolvendo um grande número de trabalhadores. As justificativas têm se baseado em fatores 
vinculados à situação econômica da empresa, do setor ou da atividade em geral, bem como em 
decorrência de causas disciplinares, tecnológicas ou financeiras. Assim, o presente trabalho tem 
por objetivo examinar a dispensa coletiva arbitrária, sob o viés dos ditames da preservação de 
empregos e dos princípios do valor social do trabalho e da dignidade humana, insculpidos na 
Constituição Federal de 1988. 
Como método de procedimento, adotou-se o levantamento de dados por meio da 
técnica de pesquisa bibliográfica em materiais já publicados (por exemplo, doutrinas, legislação, 
entendimentos jurisprudenciais, artigos, matérias publicadas em jornais/revistas, sítios 
eletrônicos, dissertações, entre outros). E, como método de abordagem, adotou-se o método 
dedutivo, buscando-se, a partir das premissas do valor social do trabalho e da dignidade da 
pessoa humana, examinar a (des)necessidade de regulamentação da dispensa coletiva e o papel 
da Justiça do Trabalho frente a esse fenômeno sociojurídico. 
Na primeira parte do presente artigo, aborda-se a situação de permanência dos 
trabalhadores brasileiros à margem de qualquer garantia formal de emprego e sustento, visto 
inexistirem regras positivas que coíbam a dispensa em massa como artifício empresarial de 
diminuição de custos da produção, principalmente em tempos de crise ecônomica. O segundo 
tópico apresenta uma análise reflexiva a respeito da preservação de empregos, sob o viés da 
garantia dos princípios constitucionais do valor social do trabalho e da dignidade humana. 
Elucidando-se através da terceira parte, é que deve ser identificado e compreendido o 
direito à garantia de emprego contra o despedimento arbitrário ou injusto, segundo o disposto 
no art. 7º, inciso I, da Constituição Federal de 1988. A partir desse dispositivo, elucida-se o 
tratamento dado às dispensas coletivas no Brasil até o presente momento. Por fim, no último 
ISSN 1981-3694 
(DOI): 10.5902/1981369423705 
 
A (DES)NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO DA DISPENSA 
COLETIVA NO BRASIL: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DO VALOR 
SOCIAL DO TRABALHO E DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA 
 
NELMA KARLA WAIDEMAN FUKUOKA 
VICTOR HUGO ALMEIDA 
 
 
 
Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM www.ufsm.br/revistadireito v. 12, n. 1 / 2017 p.104-134 
106 
tópico, são expostos os desafios do Direito do Trabalho face ao desemprego e da revisão de 
modelo brasileiro de relações de trabalho, sob o enfoque do Direito Coletivo, revelando ser 
marcante o clamor para que a imperatividade constitucional seja efetivamente garantida e 
aplicada. 
 
1 CRISE ECONÔMICA E DISPENSA COLETIVA 
 
O desemprego, como fenômeno coletivo que atualmente se mostra, é coetâneo da 
moderna economia capitalista, apresentando-se como fenômeno estrutural em razão da extrema 
divisão do trabalho, dos métodos de produção, da distribuição e da acumulação de renda.1 
Através do uso da tecnologia e da exigência de trabalhadores extremamente qualificados, o 
modelo toyotista criou um exército de reserva, pronto para ocupar postos de trabalho, cada vez 
mais raros, elevando as taxas de desemprego no contexto global.2 
Nas palavras de Enoque Ribeiro dos Santos: 
 
É inegável que a globalização da economia e seus efeitos \u2013 abertura dos 
mercados, aumento da concorrência, maior fluidez financeira, transferência de 
propriedade, novas tecnologias, introdução de novos procedimentos eletrônicos e 
de informatização, diminuição das margens de benefícios concedidos aos 
empregados, alteração da política de pessoal \u2013 ocasionam maior descentralização 
das empresas e são responsáveis não apenas pelo recrudescimento do nível de 
desemprego na economia, como também por transformações profundas no 
mercado de trabalho.3 
 
Neste contexto, é