A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
46 pág.
Slide 3 fundamentos da administração

Pré-visualização | Página 1 de 3

Prof. Marcelo Mello
UNIDADE III
Fundamentos
da Administração
 A teoria neoclássica alterou o foco das atividades meios para as atividades fins da 
organização e também os seus objetivos e alvos estratégicos.
 A questão da administração mudou do “Como administrar?” para o 
“Por que administrar?”.
 A primeira questão prevalecia nos postulados clássicos, 
teoria científica e teoria clássica, que enfatizavam em 
como fazer corretamente o trabalho (the best way de 
Taylor), porque essas teorias almejavam alcançar 
a eficiência.
Administração por objetivos – APO
 Com a APO, passou-se a dar ênfase em fazer o trabalho certo, ou seja, o trabalho 
mais relevante para se alcançar os objetivos da organização.
 Em outras palavras: alcançar a eficácia. 
 A execução tomou a posição que sempre deveria ter tido: a de meio para o 
alcance dos fins organizacionais, em vez de ser considerado um fim em si mesmo.
Administração por objetivos – APO
 A APO é identificada pelo seu pragmatismo e constitui um modelo de gestão 
muito difundido.
 Surgiu em 1954, quando Peter F. Drucker lança o livro The practice of
management (Prática de administração de empresas), em que é caracterizada 
pela primeira vez essa abordagem.
Administração por objetivos – APO
 A teoria direciona os esforços dos gestores para a solução de problemas, pois 
entende-se que os fundamentos da administração estão enraizados nos métodos a 
serem adotados para identificar e solucionar problemas – dos mais simples e 
cotidianos até os mais complexos – que podem envolver todas as áreas 
da organização.
Administração por objetivos – APO
 O nível de envolvimento das equipes passou a ser imprescindível para a eficiência 
e a eficácia gerencial.
 O envolvimento deve aumentar e se intensificar até se tornar um comprometimento 
pessoal com a eficiência nas atividades e com a eficácia na realização dos 
objetivos estabelecidos.
Administração por objetivos – APO
 Como as metas são estabelecidas conjuntamente entre chefes e subordinados, é 
necessário definir meios para monitoramento do desempenho tanto de um como 
de outro.
 Os indicadores de desempenho de produtividade, custos, qualidade, rapidez, 
confiabilidade e flexibilidade devem ser aplicados com precisão e permitir o 
acompanhamento e o embasamento da tomada de decisões, ajustando-se, assim, 
os procedimentos em todos os níveis hierárquicos. O principal é que os resultados 
estejam sempre sendo buscados.
Administração por objetivos – APO
O processo da APO pode ser uma operação complexa e trabalhosa para ser 
implantado e operado no cotidiano da empresa. Para facilitar o seu entendimento, 
pode-se resumi-lo a:
 Estabelecimentos de metas e objetivos organizacionais.
 Desenvolvimento do plano de ação.
 Revisão periódica.
 Avaliação periódica.
Administração por objetivos – APO
 A APO é prática e voltada para resultados. 
 Isso condiciona os colaboradores a pensar e agir em função de fatos, dados reais 
e sem perder o foco de suas metas. 
 Se os objetivos individuais estiverem alinhados com os objetivos organizacionais, o 
nível de comprometimento e a motivação dos colaboradores é ótimo.
As principais vantagens apresentadas pelo método 
resumem-se a:
Administração por objetivos – APO
 Concentração de esforços na eficácia organizacional.
 Controle do desempenho e identificação de oportunidades de melhorias.
 Dinâmicas organizacionais especificando as responsabilidades.
 Melhoria da comunicação e identificação de necessidades de treinamentos.
 Aperfeiçoamento do sistema de avaliação, além de 
promoção e remuneração mais equitativas, com base 
no desempenho.
Administração por objetivos – APO
O processo da APO pode ser uma operação complexa e trabalhosa para ser 
implantado e operado no cotidiano da empresa. Para facilitar o seu entendimento, 
pode-se resumi-lo a (escolha a alternativa incorreta):
a) Estabelecimentos de metas e objetivos organizacionais.
b) Desenvolvimento do plano de ação.
c) Revisão periódica.
d) Avaliação periódica.
e) Avaliação estratégica.
Interatividade
O processo da APO pode ser uma operação complexa e trabalhosa para ser 
implantado e operado no cotidiano da empresa. Para facilitar o seu entendimento, 
pode-se resumi-lo a (escolha a alternativa incorreta):
a) Estabelecimentos de metas e objetivos organizacionais.
b) Desenvolvimento do plano de ação.
c) Revisão periódica.
d) Avaliação periódica.
e) Avaliação estratégica.
Resposta
 Na década de 1930, Abraham Maslow desenvolveu a pirâmide das necessidades 
humanas, que resultaram na conhecida “pirâmide de Maslow”. 
 Foi defensor da ideia de que as necessidades humanas deveriam ser satisfeitas 
em ordem crescente na hierarquia estabelecida. 
 Primeiramente, deveriam ser satisfeitas as necessidades fisiológicas, 
as mais básicas. 
 Em seguida seria necessário satisfazer as de segurança e 
assim sucessivamente.
Teoria da hierarquia das necessidades
Pirâmide da hierarquia de Maslow
Estima
Sociais
Segurança
Fisiológicas
Autorrealização
 A teoria comportamental apresenta estudos voltados a compreender o 
comportamento humano dentro das empresas, ou seja, o que leva o colaborador a 
agir de uma forma ou de outra. 
 O estudo da motivação é a base para o entendimento de uma força significativa, 
que influencia o comportamento humano.
 A motivação é vontade e o desejo de esforços, voltados para a conquista de 
objetivos e resultados. 
 Esses objetivos ou metas podem ser individuais ou 
organizacionais e se dispõem a atender expectativas e 
satisfazer certas necessidades. É um fenômeno individual, 
cada indivíduo tem suas características próprias e deve 
assim ser tratado.
A motivação
 Quando está relacionada a recompensas emocionais e psicológicas como posição 
social e respeito, a motivação está muito ligada ao resultado da interação com os 
superiores hierárquicos e é denominada motivação intrínseca. 
 A motivação extrínseca é identificada quando impulsionada por recompensas 
tangíveis como remuneração, benefícios, melhoria de cargo e está mais ligada ao 
contexto do ambiente de trabalho.
A motivação
 Denomina-se ciclo motivacional o processo de estímulo que é encabeçado pelo 
superior hierárquico, que tem o papel de encaminhar o indivíduo na direção do 
alcance dos resultados planejados. 
 Há um estímulo inicial, que pode derivar do líder hierárquico ou de outras 
condições favoráveis. Recebido o estímulo, esse impulso será utilizado como 
propulsão pelo indivíduo, de forma a fazer frente às suas necessidades 
identificadas, gerando-se uma tensão e uma grande vontade de atuar.
A motivação
 Esse ciclo se divide em seis etapas, iniciando-se nas necessidades individuais não 
satisfeitas, o que gera uma procura de alternativas para satisfazer essas 
necessidades; escolhe-se então uma das alternativas para se alcançar o objetivo 
desejado e toma-se uma atitude. Ou seja, parte-se para a ação propriamente dita.
A motivação
A motivação
Estímulo
Necessidade, 
tensão, 
vontade
Atitude,
Postura,
Decisão
Esforço
Ação
Avaliação
Comportamento motivado
 Douglas McGregor era economista e foi professor de Harvard. PHD em psicologia 
social, sendo também professor do MIT – Massachussets Institute of Tecnology.
 McGregor escreveu The human side of enterprise (O lado humano das 
organizações), em 1960, e definiu as teorias X e Y, nas quais procurou nortear as 
relações entre as empresas e seus trabalhadores.
 Segundo a teoria X, as pessoas não gostam do trabalho e o evitariam 
se pudessem. 
 Já a teoria Y defende que o esforço físico e mental são 
naturais para o ser humano. Sendo que o ser humano é 
proativo e autogerido no trabalho.
Teorias X e Y de McGregor
 A organização da empresa é definida como o agrupamento das funções e dos 
recursos, de forma a alcançar os objetivos e os resultados estabelecidos.
 Organizar consiste em