Lei Orgânica - Ribeirão Pires
71 pág.

Lei Orgânica - Ribeirão Pires


DisciplinaDidática37.599 materiais728.920 seguidores
Pré-visualização20 páginas
LEI ORGÂNICA
Dispõe sobre a Lei Orgânica do
Município de Ribeirão Pires.-
Nós, representantes do povo do Município de Ribeirão Pires, querendo governar com
espírito democrático e afirmar os valores da Constituição Federal, promulgamos, sob a
proteção de Deus, a Lei Orgânica Municipal.
TÍTULO I
DA ORGANIZAÇÃO MUNICIPAL
Capítulo I
DO MUNICÍPIO
SEÇÃO I
DISPOSIÇÕES GERAIS
 O Município da Estância Turística de Ribeirão Pires é uma unidade do Território do
Estado, com autonomia política, administrativa e financeira, nos termos assegurados pelas
Constituições Federal e Estadual. (NR)1
 São poderes do Município, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo e o
Executivo.
 São símbolos do Município a Bandeira, o Brasão e o Hino, definidos em lei, e
representativos de sua cultura e história.
 Constituem bens do Município todas as coisas móveis e imóveis, direitos e ações
que a qualquer título lhe pertençam.
SEÇÃO II
DA DIVISÃO ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO
 O território do Município poderá ser dividido em distritos, mediante lei municipal,
atendidos os requisitos previstos em lei complementar estadual; será administrado com
transparência de seus atos e ações, com moralidade, com participação popular nas
decisões, com descentralização administrativa, e seus habitantes terão garantia de vida
digna.
Capítulo II
DA COMPETÊNCIA DO MUNICÍPIO
Art. 1º
Art. 2º
Art. 3º
Art. 4º
Art. 5º
1/71
 
LeisMunicipais.com.br - Lei Orgânica 1/1990 (http://leismunicipa.is/sgmth) - 04/01/2020 17:48:37
https://www.leismunicipais.com.br
http://leismunicipa.is/sgmth
 Compete ao Município:
I - legislar sobre assuntos de interesse local;
II - suplementar a legislação federal e a estadual, no que couber;
III - instituir e arrecadar os tributos de sua competência, bem como aplicar sua rendas, sem
prejuízo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em
lei;
IV - criar, organizar e suprimir distritos, observada a Legislação Estadual;
V - organizar e prestar, por administração direta os serviços públicos de interesse local,
prioritariamente o transporte coletivo que tem caráter essencial, ou por regime de
concessão ou permissão até completa municipalização;
VI - manter, com cooperação técnica e financeira da União e do Estado, programas de
Educação Pré-Escolar e de ensino fundamental;
VII - prestar, com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado, serviços de
atendimento à saúde da população;
VIII - promover, no que couber, adequado ordenamento territorial, mediante planejamento e
controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano;
IX - promover a proteção do patrimônio histórico-cultural local, observada a legislação e a
ação fiscalizadora federal e estadual;
X - elaborar o seu orçamento, prevendo a receita e fixando a despesa, com base em
planejamento adequado, garantida a participação popular;
XI - fixar e cobrar preços públicos;
XII - organizar o quadro e estabelecer o regime de seus servidores, observados os
princípios da Constituição Federal;
XIII - dispor sobre a administração, utilização e alienação de seus bens;
XIV - adquirir bens, inclusive mediante desapropriação por necessidade, ou utilidade
pública ou por interesse social;
XV - elaborar o seu Plano Diretor como instrumento básico da política de desenvolvimento
e de expansão urbana, ordenamento das funções sociais da cidade e garantia do bem-
estar de seus habitantes;
XVI - estabelecer servidões administrativas necessárias aos seus serviços;
Art. 6º
2/71
 
LeisMunicipais.com.br - Lei Orgânica 1/1990 (http://leismunicipa.is/sgmth) - 04/01/2020 17:48:37
https://www.leismunicipais.com.br
http://leismunicipa.is/sgmth
XVII - regulamentar a utilização dos logradouros públicos e, especialmente, no perímetro
urbano:
a) determinar o itinerário e os pontos de parada dos transportes coletivos;
b) fixar os locais de estacionamento de táxis e demais veículos;
c) fixar as respectivas tarifas dos serviços de transportes coletivos;
d) fixar e sinalizar os limites das "zonas de silêncio" e de trânsito e trafego em condições
especiais; e
e) disciplinar os serviços e carga e descarga, e fixar a tonelagem máxima permitida a
veículos que circulam em via públicas municipais.
XVIII - sinalizar as vias urbanas e as estradas municipais, bem como regulamentar e
fiscalizar a sua utilização; e
XIX - prover sobre limpeza das vias e logradouros públicos, remoção e destino do lixo
domiciliar e de outros resíduos de qualquer natureza, diretamente ou por terceiros,
mediante concorrência pública;
XX - ordenar as atividades urbanas, fixando condições e horários para funcionamento de
estabelecimentos industriais, comerciais e similares, observadas as normas federais
pertinentes;
XXI - dispor sobre serviço funerário e cemitérios, encarregando-se da administração
daqueles que forem públicos e fiscalizando os pertencentes a entidades privadas;
XXII - elaborar o seu Código de Posturas, observadas as seguintes normas básicas:
a) utilização do espaço do Município, das vias e logradouros públicos;
b) higiene e condições de segurança das edificações; 2
c) preservação do meio ambiente;
d) do licenciamento e funcionamento do comércio, indústria e prestadores de serviços; 3
e) dos divertimentos públicos;
f) da propaganda e da publicidade em geral;
g) das medidas referentes aos animais;
h) da exploração de pedreiras, cascalheiras, olarias, depósitos de areia e saibro e demais
recursos naturais; 4
i) garantia de acessibilidade nos espaços de uso público e/ou coletivo; e 5
j) das infrações e penalidades. (NR)6
Parágrafo único. Os planos de loteamento, arruamento e parcelamento do solo, referidos
neste artigo, deverão obedecer ao disposto na legislação federal e estadual específica e na
legislação municipal.
XXIII - a criação e regulamentação de zonas industriais, de acordo com as diretrizes de
desenvolvimento urbano e critérios do Estado; e
3/71
 
LeisMunicipais.com.br - Lei Orgânica 1/1990 (http://leismunicipa.is/sgmth) - 04/01/2020 17:48:37
https://www.leismunicipais.com.br
http://leismunicipa.is/sgmth
XXIV - organizar e manter a Guarda Municipal destinada à proteção de seus bens, serviços
e instalações.
Capítulo III
DA COMPETÊNCIA COMUM DO MUNICÍPIO COM O ESTADO
 É competência comum do Município com o Estado:
I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das instituições democráticas e conservar o
patrimônio público;
II - cuidar da saúde e assistência públicas, da proteção e garantia da pessoa com
deficiência; 7
III - proteger os documentos, as obras e outros bens de valor histórico, artístico, e cultural,
os monumentos, as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos;
IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização de obras de arte e de outros
bens de valor histórico, artístico ou cultural;
V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação e à ciência;
VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas;
VII - preservar as florestas, a fauna e a flora;
VIII - fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimento alimentar;
IX - promover programas de construção de moradias e melhoria das condições
habitacionais e de saneamento básico;
X - combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização, promovendo a
integração social dos setores desfavorecidos;
XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as concessões de direito de pesquisa e exploração
de recursos hídricos e minerais em seus territórios;
XII - estabelecer e implantar política de educação para a segurança do trânsito;
XIII - prover sobre extinção de incêndios;
XIV - conceder licença ou autorização para abertura e funcionamento de estabelecimentos
industriais, comerciais e similares;
XV - fiscalizar, nos locais de produção e venda direta ao consumidor, as condições
Art. 7º
4/71
 
LeisMunicipais.com.br - Lei Orgânica 1/1990 (http://leismunicipa.is/sgmth) - 04/01/2020 17:48:37
https://www.leismunicipais.com.br
http://leismunicipa.is/sgmth
sanitárias dos gêneros alimentícios;