HORMONIOS DO PÂNCREAS
4 pág.

HORMONIOS DO PÂNCREAS


DisciplinaAnatomofisiologia509 materiais1.364 seguidores
Pré-visualização2 páginas
HORMÔNIOS DO PÂNCREAS
O pâncreas endócrino 
O pâncreas secreta 2 principais hormônios peptídeos importantes a insulina e o glucagon, cujas as funções coordenadas regulam o metabolismo da glicose, dos ácidos graxos, e dos aminoácidos. Ele também secreta somatostanina e poliptídeo pancreático cujas as funções são menos estabelecidas. 
As células endócrinas do pâncreas são organizadas em aglomerados chamados de ilhotas pancreáticas que representam 1% a 2% da massa pancreática. Existe cerca de 1 milhão de ilhotas pancreáticas cada uma contendo cerca de 2,500 células. As ilhotas contem 4 tipos de células, cada célula secreta hormônio ou peptídeo diferente, as células B compõem 65% de ilhota e secretam a insulina. As células a compõem 20% das ilhotas e secretam o glucagon. As células delta compõem 10% de ilhotas e secretam a somatostatina. As células remanescentes secretam o polipeptídio pancreático ou outros peptídeos 
O núcleo central da ilhota pancreática contém principalmente as células B e as células a são distribuídas ao redor da borda externa. As células delta são interpostas entre as células a e b. e seu contato íntimo com outros tipos de células sugere função parácrina. 
INSULINA
A insulina que é sintetiza e secretada pelas células b, apresenta variedade impressionante de \u201cprimeiros\u201d foi o primeiro hormônio a ser isolado de fontes animais em forma que poderia ser administrada, terapeuticamente, em humanos; o primeiro hormônio a ter sua estrutura primária e terciaria determinada. O primeiro hormônio a ser medido por raioimunoensaio. O primeiro hormônio conhecido por ser sintetizado de precursor maior pró- hormônio e o primeiro hormônio a ser sintetizado com a tecnologia do DNA recombinante.
A inulina é um hormônio peptídeo consistindo de duas cadeias lineares a cadeia A (21 aminoácidos) e cadeia (B 30 aminoácidos). Duas pontes dissulfeto está situada na cadeia A 
A síntese da insulina é orientada por gene no cromossoma, 11 membro da superfamília de genes que codifica os fatores de crescimento relacionados. O RNA orienta a síntese ribossômica de pré \u2013 pro \u2013 insulina, com quatro peptídeos: o peptideo de sinalização, as cadeias A e B de insulina e o peptídeo de conexão (peptídeo C). 
Ações da insulina
A insulina é conhecida como o hormônio da abundância ou fartura. Quando a disponibilidade de nutrientes excede as demandas do organismo, a insulina assegura 	que o excesso de nutrientes seja armazenado como glicogênio no fígado, como gordura no tecido adiposo, e como protina no musculo. Esses nutrientes armazenados ficam, então, disponíveis durante os períodos subsequentes de jejum para manter a distribuição glicose para o cérebro, músculos e outros órgãos.
Diminui a concentração de glicose no sangue. A ação hipoglicemia da insulina pode ser descrita de duas maneiras: A Insulina provoca franca diminuição da concentração sanguínea de glicose e limita o aumento da glicemia que ocorre após a ingestão de carboidratos. A ação hipoglicemiante da insulina é resultado de respostas coordenadas que simultaneamente, estimulam a oxidação da glicose e inibem a gliconeogênese \u2013 A insulina aumenta o transporte da glicose para as células-alvo, como as musculares e adiposas.
Regulação da secreção de insulina
Fatores que influenciam a secreção:
	Fatores estimulantes
	Fatores inibidores
	Aumento da concentração de glicose 
	Redução da Glicemia em Jejum
	Aumento da concentração de aminoácidos 
	Exercicíos físicos
	Aumento da concentração de ácido graxo e cetoácidos 
	Somatostatina
	Obesidade
Alta produção de cortisol
	Células agonistas a-adrenérgicos
Diazóxido
	Estimulação vagal: acelticolina, fármacos sulfonilureia ex tolbutamida, gliburida
	
Destes fatores mostrados na tabela o mais importante é a glicose. O aumento da concentração de glicose no sangue, rapidamente, estimula a secreção de inulina. Devido a proeminência da glicose como estimulante, ela é usada para descrever o mecanismo de secreção de insulina pela célula B. 
GLUCAGON
O Glucagon é sintetizado e secretado pelas células A das ilhotas pancreáticas. Na maioria dos aspectos regulação da secreção, ações e efeitos sobre os níveis sanguíneos, o glucagon é a \u201cimagem especular\u2019\u2019 da insulina. Assim, enquanto a insulina, é hormônio da abundância o glucagon é o hormônio da \u201cfome\u201d. Ao contrário da insulina que promove o armazenamento de combustíveis metabólicos, o glucagon promove sua mobilização e utilização.
O principal fator estimulante da secreção de glucagon é a diminuição da concentração de insulina no sangue. A coordenação com esse efeito estimulatório de glicose baixa no sangue e a ação inibitória distinta da insulina. Assim a presença de insulina diminui, modula, o efeito da baixa concentração de glicose no sangue, estimulando a secreção do glucagon. Na ausência de inulina (diabetes mellitus tipo I). Contudo, a resposta do glucagon a hipoglicemia está reduzida e pode levar a perpetuação da hipoglicemia grave. 
A secreção de glucagon também é estimulada pela ingestão de proteínas especificamente, dos aminoácidos da arginina, alanina. Como o gucagon promove a mobilização e a utilização dos nutrientes armazenados, para manter a glicemia em jejum. O Glucagon tem os seguintes efeitos sobre os níveis sanguíneos:
	 Ação do glucagon 
	Efeito no nível sanguíneo
	Aumenta a glicogenólise 
	Aumenta a glicemia 
	Aumenta a gliconeogenese
	
	Aumenta a lipólise 
	Aumenta ácidos graxos sanguíneos
	Aumenta a formação dos cetoácidos
	Aumenta cetoácidos sanguíneos
SOMATOSTATINA
A Somatostaina pancreática, polipeptídeo com 14 aminoácidos, é secretada pelas células das ilhotas. A secreção da somatostatina, é estimulada pela ingestão de todas as formas de nutrientes (glicose, aminoácidos e ácidos graxos), por vários hormônios gastrointestinais, pelo glucagon e pelos agonistas B-adrenérgicos. A secreção de somatostatina, é inibida pela insulina por um mecanismo parácrino intrailhota. 
A somatostina pancreática inibe a secreção de insulina e glucagon por ações parácrinas, nas células a e B. Assim, a somastostina é secretada pelas células em resposta a refeição, difunde para as células a e B e inibe a secreção de seus respectivos hormônios. Aparentemente a função da somastostatina é de modular, ou limitar, as respostas da insulina e do glucagon a ingestão de alimentos.
Referencias
LINDA, S. Costanzo; Fisiologia. Tradução Denise costa Rodrigues. Rio de Janeiro. 5°Edição Rio de Janeiro. Editora Elsevier, 2014.
SCHUNKE, Michael; SCHULTE, Erick; SCHUMACHER, Udo ; Et all. Prometheus Atlas de anatomia: Órgãos internos. 2°Edição. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro. 2013. 
HORMÔNIOS
 
DO 
PÂNCREAS
 
O 
pâncreas
 
endócrino 
 
O pâncreas secreta 2 principais hormônios peptídeos importantes a 
insulina e o glucagon, cujas as funções coordenadas regulam o metabolismo da 
glicose, dos ácidos graxos, e dos aminoácidos. Ele também secreta 
somatostanina e polipt\ufffd\ufffddeo pancreático cujas as funções são menos 
estabelecidas. 
 
As células endócrinas do pâncreas são organizadas em aglomerados 
chamados de ilhotas pancreáticas que repre
sen
tam 1% a 2% da massa 
pancreática. Existe cerca de 1 milhão de il
hotas 
pancreáticas cada
 
uma contendo 
cer
ca de 2,500
 
células
. As ilhotas contem 4 tipos de células, c
a
da célula secreta 
hormônio ou peptídeo diferente, 
as
 
células B compõem 65% 
de ilhota e
 
secretam 
a insulina. As células a compõem 20% 
das ilhotas
 
e secretam
 
o glucagon. As 
células delta compõem 10% de ilhotas e secretam a somatostatina.
 
As células 
remanescentes secretam
 
o 
polipeptídio
 
pancreático ou outros peptídeos 
 
O núcleo 
central da ilhota pancreática conté
m 
principalmente
 
as células B 
e as células a são 
distribuídas ao redor da borda externa. As 
células
 
delta são 
interpostas entre as células a e b. e seu contato 
íntimo
 
com outros tipos de 
células sugere função parácrina. 
 
 
INSULINA
 
 
A insulina que é 
sintetiza e
 
secretada pelas células