eBookIEPREV 2018
240 pág.

eBookIEPREV 2018


DisciplinaDireito Previdenciário11.794 materiais87.775 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Roberto de Carvalho Santos 
Coordenador 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
DIREITO PREVIDENCIÁRIO 
 
Primeira coletânea de artigos do 
Curso de Especialização em Direito Previdenciário 
 
Regime Geral da Previdência Social (RGPS) 
Instituto de Estudos Previdenciários ( IEPREV) 
Universidade Cândido Mendes (UCAM) 
 
 
 
 
 
 
 
Belo Horizonte 
2018 
 
 
©2018 Roberto de Carvalho Santos. 
 
Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei n. 9.610 de 19/02/1998. 
Reprodução parcial ou total permitida, desde que citada a fonte. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Santos, Roberto de Carvalho (Org.). 
 Direito Previdenciário: primeira coletânea de artigos do Curso de 
Especialização em Direito Previdenciário - Regime Geral da Previdência 
Social (RGPS), Instituto de Estudos Previdenciários (IEPREV), Universidade 
Cândido Mendes (UCAM) [Recurso Eletrônico] / Santos, Roberto de 
Carvalho. - Belo Horizonte: IEPREV, 2018. 
 
 230 p. 
 
 e-book 
 Prefixo Editorial: 53112 
 ISBN: 978-85-53112-00-5 
 
 1. Direito Previdenciário. 2. Regime Geral de Previdência Social. 
3. Seguridade Social. I. Santos, Roberto de Carvalho. II. Instituto de 
Estudos Previdenciários - IEPREV. III. Título. 
 
 
 
 
 
 
PREFÁCIO 
 
 
O Instituto de Estudos Previdenciários (IEPREV) tem a plena convicção de que a 
preservação dos direitos sociais fundamentais somente se consubstancia com a maior 
conscientização dos destinatários das políticas de seguridade social delineadas na 
Constituição Federal de 1988. 
O conhecimento, pela população brasileira, do rol dos direitos previstos, por exemplo, 
na Lei n. 8.213/91, que regulamenta o Plano de Benefícios da Previdência Social, é 
sobremaneira incipiente, seja pela ausência de eficientes programas de educação 
previdenciária, seja pelas mudanças frequentes que o Direito Previdenciário é 
submetido, dificultando a difusão das regras de acesso às prestações previdenciárias. 
A falta de uma robusta consciência previdenciária é terreno fértil para retrocessos que 
acontecem à revelia dos interesses da coletividade dos segurados do Regime Geral de 
Previdência Social. 
Os profissionais que militam na seara previdenciária também precisam de permanente 
atualização e capacitação, pois, além das mutações normativas diuturnas, verifica-se 
uma profusão de alterações de entendimentos jurisprudenciais. 
É fundamental que o advogado conheça as inovações sobrevindas pelo Código de 
Processo Civil para fazer frente a julgados que violam o princípio da segurança jurídica 
e utilize de forma adequada a força dos precedentes com o escopo de aprimorar o 
sistema processual, conferindo-lhe celeridade e isonomia, sem se descuidar pela busca 
de um justo processo previdenciário. 
Para tanto, a instrução probatória no âmbito dos processos administrativo e judicial 
precisa ser muito bem conduzida para que as decisões proferidas sejam 
constitucionalmente fundamentadas e compatíveis com a natureza fundamental do 
direito previdenciário postulado. A sobrevivência e a dignidade dos 
segurados/dependentes estão depositadas nas mãos dos profissionais que abraçaram 
esse fascinante ramo do Direito. 
O advogado não somente deve dominar as novas técnicas do processo judicial, mas 
conhecer os meandros do processo administrativo, desde o agendamento do pedido de 
benefício no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), justificação administrativa, 
manejo adequado das novas ferramentas como INSS DIGITAL e MEU INSS, bem como a 
correta interposição dos recursos administrativos perante o Conselho de Recursos do 
Seguro Social (CRSS). 
 
Muitas demandas podem ser solucionadas na via administrativa caso haja uma instrução 
probatória apropriada e, na hipótese de insucesso do pleito no âmbito do processo 
administrativo, a apreciação da celeuma pelo Poder Judiciário se mostra mais escorreita 
e eficaz quando os elementos de prova foram produzidos desde a instauração do 
processo administrativo junto à Agência da Previdência Social até o julgamento 
definitivo pelas instâncias do CRSS. 
Os desafios para o advogado previdenciário se tornam ainda maiores ante os gargalos 
existentes no Juizado Especial Federal com decisões judiciais contrárias a 
entendimentos da própria Turma Nacional de Uniformização dos Juizados Especiais 
Federais, dos Tribunais Regionais Federais, do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo 
Tribunal Federal, exigindo do advogado conhecimentos tanto acerca do direito material 
como processual para reverter pronunciamentos que destoam do ordenamento jurídico 
previdenciário. A criação do Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas (IRDR) 
pelo Código de Processo Civil, por exemplo, é um dos instrumentos que podem ser 
manejados pelos advogados para tentar reverter a multiplicidade de julgados 
dissonantes. 
A advocacia previdenciária, por outro lado, exige do profissional uma atuação 
multifacetada e atenta à interdisciplinaridade com outros ramos do conhecimento 
científico, incluindo a medicina do trabalho, engenharia de segurança do trabalho, 
serviço social, etc. 
O IEPREV tem a honra de publicar alguns artigos, selecionados pelo organizador desta 
obra. Os artigos foram produzidos pelos alunos que concluíram o curso de Pós-
Graduação Lato Sensu em Direito Previdenciário como resultado da parceria firmada 
entre o Instituto e a Universidade Cândido Mendes (UCAM). Infelizmente excelentes 
artigos científicos ficaram fora desta publicação pelo número de artigos que 
previamente foi definido pela linha editorial. 
Parabenizamos todos os alunos que dedicaram seu tempo para produzir belíssimos 
artigos científicos e principalmente pela busca incessante de capacitação para melhor 
desempenhar o seu nobre mister. 
Esperamos também que os artigos aqui publicados para toda a comunidade jurídica 
contribuam para um estudo mais aprofundado sobre os temas abordados por cada um 
dos novos especialistas em Direito Previdenciário. 
 
Roberto de Carvalho Santos 
Presidente do IEPREV - Instituto de Estudos Previdenciários 
Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Direito Previdenciário do IEPREV/UCAM 
 
 
 
SUMÁRIO 
APOSENTADORIA ESPECIAL: a especialidade da atividade exercida em 
ambientes de saúde ................................................................................ 1 
Ana Luiza Antunes ............................................................................................................ 1 
2.1 Da comprovação da especialidade da atividade ...................................................... 4 
2.2 Da habitualidade e permanência .............................................................................. 7 
2.3 Do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI) .............................................. 8 
4.1 Da controvérsia de entendimento entre a esfera administrativa e judicial ........... 12 
RECONHECIMENTO DA ATIVIDADE DE MOTORISTA COMO TEMPO 
ESPECIAL NO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RGPS) .............. 19 
Ana Maria Perpétua Gomes Araújo ............................................................................... 19 
2.1 Enquadramento da especialidade de motorista por presunção legal .................... 22 
2.2 Enquadramento da especialidade de motorista por exposição a agente nocivo .. 23 
CONTRIBUINTE INDIVIDUAL: o direito à aposentadoria especial e a 
dificuldade da prova .............................................................................. 33 
Brunno Amazonas Galvão .............................................................................................. 33 
CONTRIBUINTE INDIVIDUAL: viabilidade da indenização