MANKIW, Gregory Introdução à Economia_cap 21 ao 29
195 pág.

MANKIW, Gregory Introdução à Economia_cap 21 ao 29


DisciplinaIntrodução à Economia.417 materiais999 seguidores
Pré-visualização50 páginas
TC5PECOS iE.
A TEORIA DA ESCOLHA
DO CO1SUMIDOR
Quando voce' entra em uma loja, confronta-se com milhares de bens que poderia
comprar. Naturalmente, como os seus recursos financeiros são limitados, voc'e
pode comprar todas as coisas que quer. Portanto, voce considera o prec;o dos varios
bens à venda e compra um conjunto de bens que, dados os seus recursos, melhor
atenda as suas necessidades e desejos.
Neste capitulo, desenvolveremos a teoria que descreve como os consumidores
tomam decis6- es sobre o que comprar. Ate este ponto do livro, resumimos as deci-
ses dos consumidores por meio da curva de demanda. Como vimos nos capitulos
4 a 7, a curva de demanda de um bem reflete a disposi o do consumidor para
pagar por ele. Quando o preo de um bem aumenta, os consumidores esto dis-
postos a pagar por menos unidades, de modo que a quantidade demandada dimi-
nui. Agora analisaremos com maior profundidade as decis .6es que estio por tras da
curva de demanda. A teoria da escolha do consumidor apresentada neste capitulo
permite um entendimento mais completo da demanda, assim como a teoria da
empresa competitiva do Capitulo 14 proporciona um entendimento mais comple-
to da oferta.
Um dos Dez Principios de Econon\u2022a discutidos no Capftulo 1 e de que as pessoas
se deparam com tradeoffs. A teoria da escolha do consumidor examina os tradeoffs
com os quais as pessoas se deparam no papel de consumidores. Quando um con-
454 PARTE 7 TOPICOS DE ESTUDOS AVANcADOS
sumidor compra major quantidade de urn bem, tem de comprar menos de outros
bens. Quando despende mais tempo desfrutando de lazer e menos tempo traba-
lhando, tern renda menor e pode consumir menos. Quando gasta mais de sua
renda no presente e poupa menos, ele deve aceitar urn nivel de consumo mais
baixo no futuro. A teoria da escolha do consumidor examina como os consumido-
res que se deparam corn esses tradeoffs tomam decisoes e como respondem a
mudancas em seu ambiente.
Apos desenvolver as bases da teoria da escolha do consumidor, iremos aplica-la
a fres questoes sobre as decisoes das famflias. Mais especificamente, perg,untaremos:
\u2022 Todas as curvas de demanda tern inclinacao negativa?
\u2022 Como os salarios afetam a oferta de mao-de-obra?
\u2022 Como as taxas de juros afetam a poupanca das familias?
A primeira vista, parece que essas questoes nao estao relacionadas. Mas, como
iremos ver, podemos usar a teoria da escolha do consumidor para responder a cada
uma delas.
A 7E01100 OKAMENTARIA:
0 QUE 0 CONSUNDOR PODE GASTAR
A maioria das pessoas gostaria de aumentar a quantidade ou a qualidade dos bens
que consome \u2014 tirar ferias mais longas, dirig,ir carros mais imponentes ou comer em
restaurantes melhores. ksp esso a s consomem menos do cue desejam porque suas
.,-
(1,Apesas estao restringidas, ou seja, estao limitacias por sua renqa. Comecaremos
nosso estu o da e c a do consumidor examinando essa 1ac4o entre renda e
esas.
simplificar, vamos examinar a decisdo de urn consumidor que compra
somente dois bens: Pepsi e pizza. E claro que, no mundo real, as pessoas compram
milhares de diferentcs tipos dc bens. Mas admitir que so haja dois bens simplifica
o problema sem alterar a compreensao b6sica a respeito da escolha do consumidor.
Primeiro, vamos examinar como a renda do consumidor restringe o montante
que ele gasta em Pepsi e pizza. Suponha que o consumidor tenha renda de $ 1 mil
por mes e decida gastar toda a sua renda, a cada mes, em Pepsi e pizza. 0 preco de
uma lata de Pepsi sao $ 2, e o de uma pizza, $ 10.
A tabela da Figura 1 mostra algumas das rnuitas combinacoes de Pepsi e pizza
que o consumidor pode comprar. A primeira linha da tabela indica que, se o con-
sumidor gastar toda a sua renda em pizza, podera corner 100 pizzas durante o
rnes, mas nao podera comprar qualquer quantidade de Pepsi. A segunda linha
mostra outra combinacao de consumo possivel: 90 pizzas e 50 latas de Pepsi. E
assim por diante. Cada combinacdo de consumo mostrada na tabela custa exata-
mente $ 1 mil.
0 g,rafico da Figura 1 ilustra as combinacoes de consumo que o consumidor
pode escolher. 0 eixo vertical mede o niimero de latas de Pepsi, e o eixo horizon-
tal, o numero de pizzas. Tres pontos estao marcados na figura. No ponto A, o con-
sumidor n5o comj,-)ra Pepsi e consome 100 pizzas. No ponto B, o consumidor nao
compra pizza e consome 500 latas de Pepsi. No ponto C, o consumidor compra 50
pizzas e 250 latas de Pepsi. 0 ponto C, que esta exatamente no meio da linha que
liga A e B, é o ponto em que o consumidor gasta a mesma quantia ($ 500) em Pepsi
e pizza. Naturalmente, estas sao apenas fres das muitas combinacoes de Pepsi e
Restrição oramentkia
do consumidor
50 1 00 Quantidade
de Pizza
CAPITULO 21 A TEORIA DA ESCOLHA DO CONSUMIDOR 455
A Restri b Orcamenthria do Consumidor
A restricao orcomentOria mostra os vOrias combinacaes de bens que o consumidor pode comprar com urna determinada rencla Aqui, o consumidor com-
pro combinacaes de Pepsi e pizza. A tabela e o grOfico mostram o que o consumidor pode compror se sua renda for de $ 1 mil, o preco de uma Pepsi
for $ 2 e o de umo pizzo for $ 10.
Latas
de Pepsi
Nmero
de Pizzas
Despesa
em Pepsi
Despesa
em Pizza
Despesa
Total
Quantidade
de Pepsi
0 100 $ 0 $1.000 $1.000
50 90 100 900 1.000 500
100 80 200 800 1.000
150 70 300 700 1.000
200 60 400 600 1.000
250 50 500 500 1.000
300 40 600 400 1.000
350 30 700 300 1.000
250
400 20 800 200 1.000
450 10 900 100 1.000
500 0 1.000 0 1.000
A A
estri0o oramenthria
o limite das combinaces de(
\u201e"
) 
consumo de bens que o
-)___consumidor pode adquirir
pizza que o consumidor pode escolher. Todos os pontos da linha que vai de A a B
s" "o possiveis. Essa linha, chamada de restri o oNamenffi-ia, mostra as combina-
b'es de consumo de que o consumidor disp6e. Nesse caso, representa o tradeoff
entre Pepsi e pizza con-i que o consumidor se depara.
restri or_c_a_r~r-ia mede a taxa a que o cons dor_p_ocle
t,roca ro. Corno vimos no apen\u2014dice\c16\u2013C4itu10 2, a
entre dois pontos e calculada como a variaio da distffilcia vertical dividida pela
varia o da distffilcia horizontal ("aumento sobre distffilcia"). Do ponto A ao ponto
B, a disffincia vertical é de 500 latas e a distncia horizontal e de 100 pizzas. Assirn,
a inclinação é de 5 latas por pizza. (Na verdade, como a restri o oNamentEiria se
inclina para baixo, a inclinação e um nUmero negativo. Para nosso prop5sito, entre-
tanto, vamos ignorar o sinal negativo.)
Observe que a inclinação da restri o oNamentEiria é igual ao prep relativo dos
dois bens \u2013 o prec;o de um bem comparado ao preo do outro. Uma pizza custa 5
vezes mais do que uma lata de Pepsi, de modo que o custo de oportunidade de uma
pizza s.- o 5 latas cle Pepsi. A inclinação da restric;; .-io oNamentEiria no valor de 5 refle-
te o tradeoff que o mercado oferece ao consumidor: 1 pizza por 5 latas de Pepsi.
Teste R4ido Represente graficamente a restrick orcamentria de uma pessoa com renda de $ 1 mil,
se o preco da Pepsi for $ 5 e o da pizza for $ 10. Qual a inclinack dessa restri0o orcament a?
TMgS 1
2
Curve de
indifererica
Qua ntidade
de Pizza
456 PARTE 7 TOPICOS DE ESTUDOS AVANcADOS
PREFERENC1AS: 0 QUE 0 CONSUM1DOR QUER
Nosso objetivo neste capitulo é ver como os consumidores fazem escolhas. A res-
tricao orcamentaria é uma parte da analise: ela mostra quais combinacoes de bens
o consumidor pode adquirir, dados a sua renda e o preco dos bens. As escolhas do
consumidor, contudo, nao dependem apenas de sua restricao orcamentria, Inas
tambem de suas preferencias em relacao aos dois bens. Portanto, as preferencias do
consumidor representam a proxima parte de nossa analise.
(--'
; curva de indiferenca
/ uma curia que mostra as
, combinacOes de consumo
( que proporcionam ao
consumidor o mesmo nivel
_de satisfacao
Representacao das Preferencias corn Curvas de Indiferenca
As preferencias do consumidor lhe permitem escolher entre diferentes combina-
cOes de Pepsi e pizza. Se voce oferecer ao consumidor duas combinacoes diferen-
tes, ele escolhera aquela