CASO 1 - HABEAS CORPUS - DIA 16 05 2020
4 pág.

CASO 1 - HABEAS CORPUS - DIA 16 05 2020


DisciplinaDireito Constitucional I72.129 materiais1.666.793 seguidores
Pré-visualização1 página
ESTUDO DE CASO
PÓS - GRADUAÇÃO
	CÓDIGO:
	
	
	POS-FOR-34
	
	ELABORADO POR:
Adriana Sabóia \u2013 
Gerente de Pós- Graduação
	APROVADO POR:
Adriana Sabóia \u2013
 Gerente de Pós- Graduação
	DATA:
16/05/2020
	PÁGINA:
3 / 4
	VERSÃO:
01
	CURSO:
	DIREITO PROCESSUAL
	CÓDIGO DE TURMA
	DISCIPLINA:
	PROCESSO CONSTITUCIONAL
	CH: 30 HS
	PROFESSOR (A):
	JOSÉ ADAUMIR ARRUDA DA SILVA
	Aluno 1
	ROSIANE DE ASSUNCAO SILVA
	Aluno 2
	
	Aluno 3
	
	Aluno 4
	
	 DESCRIÇÃO DO CASE ANALÍTICO
	
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na sessão do dia 20.02.18, por maioria de votos, conceder Habeas Corpus (HC 143641) coletivo para determinar a substituição da prisão preventiva por domiciliar de mulheres presas, em todo o território nacional, que sejam gestantes ou mães de crianças de até 12 anos ou de pessoas com deficiência, sem prejuízo da aplicação das medidas alternativas previstas no artigo 319 do Código de Processo Penal (CPP).
	DESCRIÇÃO DO PROBLEMA
	
Inicialmente, os ministros da Segunda Turma discutiram o cabimento do HC coletivo. Tem previsão constitucional ou legal? De onde se extrai a possibilidade da impetração coletiva? No mérito o que fundamentou a decisão de Supremo Tribunal Federal? 
	PROPOSIÇÕES DE RESOLUÇÃO (Resumo)
	
- Interpretação das normas constitucionais
- Análise principiológica da Constituição como base para o deferimento da ordem;
- Análise da ADPF 347 como fundamento para o deferimento da ordem;
- Análise do artigo 227 da Constituição, que estabelece prioridade absoluta na proteção às crianças;
- Análise da Lei 13.257/2016 (Estatuto da Primeira Infância).
a) HC coletivo tem previsão constitucional ou legal?
Resp: O Habeas Corpus trata de uma ação à proteção de direito à liberdade de locomoção, o que no termo do art. 5ª, LXVIII, da Constituição e que expressa no sentido do reconhecimento de sua impetração na modalidade coletiva pois as lesões podem vir a ultrapassar a esfera isolada do indivíduo podendo atingir um amplo contingente de pessoas. E diante do princípio da atipicidade das ações coletivas prevista no art. 83 do CDC, a corte suprema reconhece mesmo sem previsão constitucional ou legal expressa o HC coletivo.
b) De onde se extrai a possibilidade da impetração coletiva?
Resp: do ordenamento jurídico brasileiro ao direito de locomoção.
c) No mérito o que fundamentou a decisão do STF?
Resp: Se faz necessário que como qualquer outra ação coletiva, haja uma adequada delimitação do grupo favorecido, por meio da especificação da questão comum.
	OBSERVAÇÕES