Paralisia do sono
5 pág.

Paralisia do sono


DisciplinaPercepção395 materiais945 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Paralisia do sono
Introdução:
Este fenômeno é uma condição comum que é definida por um despertar que a pessoa não consegue se mover ou falar, pode acontecer quando ela estiver indo dormir ou até mesmo ao acordar. A pessoa fica consciente, acordada mas não consegue se mover ou falar, durante este episódio a pessoa pode ver ou ouvir coisas (alucinações). Isso pode resultar num medo ou pânico muito grande, ou simplesmente o fato de estar acordado ou paralisado e sentir que não consegue mexer o corpo e que não está com domínio do próprio corpo, automaticamente, gera um pânico muito grande, que a pessoa acaba acordando. Esses episódios podem durar segundos ou até mesmo minutos. Estes episódios pode ser isolados da pessoa, geralmente acontece um episódio em um mês e o outro meses depois ou pode ser de repetição. 
A grande questão é que a paralisia do sono é relativamente comum e benigna, ela acontece em pessoa saudável, tipicamente em adolescentes que estão estudando muito e estão com privação de sono. Ela pode estar relacionada também com algumas condições genéticas ou familiares mais rara, o mais típico é de um cérebro que está em maturação do processo de sono e estar sofrendo algumas perturbações no processo do sono. A pessoa que tem paralisia do sono, ela comumente está vindo desencadeada por privação do sono, ou estresse psicológico, físico, ou alteração do ciclo do sono, ou pode está tendo uma mudança de fuso horário, e pode ter também elementos como apneia do sono, ou elementos que podem ser fatores de riscos para a pessoa ter a paralisia do sono. A paralisia do sono é explicada neurologicamente, tem a ver com uma disfunção do sono R.E.M (Rapid Eye Movement \u2013 Movimento Rápido dos Olhos), é a fase do sono na qual ocorrem os sonhos mais vívidos. Durante esta fase, os olhos movem-se rapidamente, devido ação do tálamo e a atividade cerebral é similar ao estado de acordado. Neste estado do sono R.E.M, é quando o cérebro está mais próximo de estar acordado mas o corpo está plenamente paralisado. Quando acontece a paralisia do sono, acredita-se que seja uma disfunção do sono R.E.M. 
O cérebro fica acordado suficiente a ponto da pessoa saber que está consciente e que ela está acordada mas a paralisia do corpo ainda está acontecendo e a pessoa ainda não teve um completo despertar. Ainda pode ter elementos do sono que são as alucinações dela, ouvir coisas, ver coisas e sentir coisas que não existe, essas interferência desses elementos do sono REM, vem tipicamente quando o corpo ainda está tendo pressão para dormir mais e ainda outra pressão no cérebro para ficar acordado para ficar em hiper-vigília. Além disso, a paralisia do sono, pode estar relacionada com algumas doenças neurológica, a doença neurológica mais comum é a narcolepsia, doença caracterizada por ataque de sono. A pessoa durante o dia tem ataques de sono e geralmente são ataques incoercível de sono. As vezes associada com catalepsia. Além disso a narcolepsia, a pessoa tem episódio de paralisia de sono e alucinações hipnagógicas. É quando a pessoa tem a alucinação no despertar ou adormecer. 
Sintomas de paralisia do sono
Os sintomas da paralisia do sono, que podem ajudar a identificar este problema são:
· Não conseguir mover o corpo apesar de estar supostamente acordado;
· Sensação de falta de ar;
· Sensação de angústia e medo;
· Sensação de estar caindo ou flutuando sobre o corpo;
· Alucinações auditivas como ouvir vozes e sons não característicos do local;
· Sensação de afogamento.
Embora possam surgir sintomas preocupantes, como falta de ar ou sensação de estar flutuando, a paralisia do sono não é perigosa, nem coloca em risco a vida. Durante os episódios, os músculos da respiração e todos os órgãos vitais continuam funcionando normalmente. Um dos principais motivos para este fenômeno chama-se Atonia Muscular, é um mecanismo de defesa do nosso corpo que ajuda a relaxar e evita que nos machucamos durante o sonho. Esse relaxamento muscular, chamado atonia, às vezes pode ocorrer enquanto você está acordado. Como tal, você será incapaz de se mover, mesmo se estiver consciente. Esta é uma das características comuns da paralisia do sono. Apesar de causar uma sensação ruim e de impotência a paralisia do sono não é prejudicial à saúde. Afeta cerca de 10% da população normal e geralmente cada episódio dura em média dois minutos. 
Como é dividido os cinco estágios do sono?  
Nosso sono tem variações fisiológicas e neurológicas, e ao deitarmos iniciamos um processo em que sentimos inicialmente o adormecimento para então evoluirmos para o sono profundo.
O nosso sono é dividido em cinco estágios/fases:  n1, n2, n3, n4 e rem.
· A fase n1, tem duração aproximada de 10 minutos para se completar;
· A fase n2 tem duração aproximada de 35 minutos para se completar;
· A fase n3 tem duração aproximada de 10 minutos para se completar;
· A fase n4 tem duração aproximada de 15 minutos para se completar;
· A fase REM (Rapid Eyes Movement) tem duração aproximada de 20 minutos para se completar.
A cada etapa em que complementamos estas cinco fases denominamos de um ciclo. Cada ciclo tem duração, em média, de 90 minutos. Em uma noite de sono, realizamos entre 4 e 6 ciclos, perfazendo um total de 6 a 9 horas de sono.
· A fase 1 do sono
É a fase do sono leve, onde você experimenta um entrar e sair do sono, podendo ser facilmente acordado. O movimento dos olhos e os movimentos do corpo desaceleram. Pode ocorrer movimentos espasmódicos de pernas ou de outros músculos. Este sono inicial e os espasmos são os que causam as repentinas sensações de queda que acordam um indivíduo no susto. Nesta fase o indivíduo perde a postura muscular.
· A fase 2 do sono
Cerca de 50% do seu tempo dormindo é gasto nesta fase do sono. Durante este estágio, o movimento dos olhos para e as ondas cerebrais tornam-se mais lentas, o corpo começa a esfriar e os músculos começam a relaxar. Haverá também breves explosões de atividade cerebral chamado fusos do sono, associados normalmente aos espasmos musculares.
· A fase 3 do sono
É o início da fase do sono profundo. As ondas cerebrais são uma combinação de ondas lentas, conhecidas como ondas delta, combinadas com as ondas mais rápidas. Durante este estágio, pode ser difícil acordar alguém. Quando acordado durante este estágio, você pode sentir-se fraco e desorientado por vários minutos antes de recobrar plena consciência de seus arredores e ações.
· Fase 4 do sono
É a segunda fase do sono profundo. O cérebro trabalha quase que exclusivamente com as ondas delta lentas e também se torna muito difícil acordar alguém. Ambos os estágios de sono profundo são importantes para se sentir revigorado pela manhã. Se essas etapas são muito curtas, o sono não vai ser satisfatório. As ondas delta são medições da atividade do cérebro e normalmente estão associadas com o começo dos sonhos, ou seja, o descanso do cérebro das atividades do dia a dia.
Os estágios 1, 2, 3 e 4 são necessários principalmente para o descanso e o relaxamento do indivíduo, além da secreção do hormônio do crescimento para aqueles que estão neste estágio (principalmente adolescentes e crianças). Pessoas que tem problemas de insônia normalmente não conseguem passar do estágio 1 e as pessoas com má qualidade de sono raramente completam o ciclo com o sono rem.
· Rem \u2013 Rapid Eye Movement
Fase do sono em que a maior parte dos sonhos ocorre. Quando você entra em sono rem, sua respiração torna-se rápida, irregular e superficial. Seus olhos se movem rapidamente e seus músculos se tornam imóveis, é a chamada atonia muscular. A frequência cardíaca e pressão arterial aumentam. Cerca de 20% do sono é o rem e ele começa cerca de 70 a 90 minutos depois do adormecer.
Considerações finais 
Como podemos perceber este assunto é bem comum principalmente entre os adolescentes e as pessoas que andam dormindo mal. essa sensação aterrorizante dura poucos minutos e quem passa por ela comumente apresenta taquicardia e sensação de falta de ar. Evitar dormir tarde, bebidas energéticas antes de dormir, como café ou refrigerantes