TRABALHOS CIÊNCIAS DOS MATERIAIS
13 pág.

TRABALHOS CIÊNCIAS DOS MATERIAIS


DisciplinaFundamentos de Ciências dos Materiais3.256 materiais50.061 seguidores
Pré-visualização3 páginas
RITA DE KASSIA SERAFIM DE SOUZA - 171011418 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TRABALHOS PARA AP1 - CIÊNCIAS DOS MATERIAIS 
PROFESSORA: ERISANDRA LOURENÇO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FORTALEZA 
2020.1 
 
 
 
 
 
 
TRABALHO 01 - Propriedades Elétricas Dos Materiais 
 
Propriedades elétricas são as condições físicas que permitem que uma carga 
elétrica se mova de átomo para átomo em um material específico. Estas propriedades 
são muito diferentes entre os três principais tipos de materiais: sólidos, líquidos e 
gases. As propriedades elétricas de materiais sólidos, como metal, são altas, 
enquanto as cargas elétricas não se movem tão facilmente na água e, especialmente, 
nos gases. Em cada elemento, há exceções: alguns sólidos são maus condutores e 
alguns gases podem se tornar excelentes condutores. 
Os materiais comuns ou até fabricados artificialmente possuem muitas 
propriedades elétricas e podem ter comportamentos diferentes quando são colocados 
em campos elétricos. Alguns materiais conduzem bem a eletricidade em campos 
pequenos, enquanto outros não conduzem mesmo em campos elétricos grandes. 
Esse tipo de fenômeno é o que acontece com os materiais condutores e isolantes, 
respectivamente. 
Os condutores, em sua maioria metais, são materiais os quais as cargas 
elétricas fluem mais facilmente. Quando uma corrente elétrica passa por um condutor, 
muitos elétrons livres se movimentam ao longo do material, sem apresentar muita 
dificuldade. A habilidade de um material conduzir melhor a corrente elétrica também 
depende das condições da matéria, como a temperatura e pressão em que se 
encontra. Até mesmo os melhores condutores, apresentam uma pequena, mas não 
desprezível, resistência a passagem de corrente e isto se deve a algumas condições 
em que o material é submetido, como a temperatura por exemplo. 
Quando o material não consegue conduzir ou quando conduz com muita 
dificuldade a eletricidade, necessitando de cargas elétricas muito altas, o material é 
considerado um isolante. Para este tipo, os elétrons estão firmemente presos aos 
átomos e não estão livres para se moverem quando são colocados em campos 
elétricos que podem ser aplicados em condições comuns, sendo muito utilizados para 
suportarem pequenas cargas elétricas. 
Entre os isolantes e os condutores, estão os semicondutores. Em um 
semicondutor, a quantidade de elétrons livres é muita baixa, se comparado ao 
condutor, contribuindo menos para o fluxo de eletricidade no material. Em algumas 
situações, um material condutor pode facilmente fazer com que as cargas envolvidas 
fluam facilmente, sem nenhuma resistência, caso sejam submetidos a resfriamento 
até temperaturas muito baixas. Para essas situações, o material é classificado como 
supercondutor. 
Abaixo, estão listados os materiais condutores e isolantes mais conhecidos e 
utilizados: 
Condutores: 
 
 
 
 
Ouro; Prata; Bronze; Alumínio; Níquel \u2013 Cromo; 
Isolantes: 
Borracha; Madeira; Plástico; Cerâmica; Vidro; 
 Leis de Ohm 
Uma das leis mais importantes quando o assunto é eletricidade é a Lei de Ohm, 
postulada pelo físico Georg Simon Ohm. Ela foi proposta por volta de 1827, e é base 
para compreender qualquer fenômeno relacionado a eletricidade. As leis de Ohm 
permitem calcularmos importantes grandezas físicas, como a tensão, corrente e a 
resistência elétrica dos mais diversos elementos presentes em um circuito. No 
entanto, essas leis só podem ser aplicadas a resistências ôhmicas, isto é, corpos 
cujas resistências tenham módulo constante. 
A resistência elétrica nada mais é que a oposição a passagem de corrente em 
um determinado material. Quando você estudar essa grandeza, pode se deparar com 
a letra grega ômega, que é usada para sua representação. A grandeza resistência é 
uma propriedade presente em qualquer condutor, mas seu valor é obtido em circuitos 
eletrônicos pelos componentes eletrônicos chamados resistores. 
Resistores servem para adicionar resistência elétrica a um circuito. Utiliza do 
efeito joule para funcionar, transformando energia elétrica em calor. É importante 
ressaltar que os apenas os resistores ohmicos ou lineares obedecem a Lei de Ohm. 
Resistores não-lineares não obedecem a essa lei. 
Nos diagramas de circuito, o resistor pode ser apresentando das duas formas abaixo: 
 
Essas duas variações existem por conta de existir dois padrões para o desenho 
de circuitos: o Europeu e o Americano. Sempre que aparecer em um diagrama, o 
resistor deve vir acompanhado do valor de sua resistência, medida em ohms. 
1ª lei de Ohm 
A 1ª lei de Ohm determina que a diferença de potencial entre dois pontos de 
um resistor é proporcional à corrente elétrica que é estabelecida nele. Além disso, de 
acordo com essa lei, a razão entre o potencial elétrico e a corrente elétrica é sempre 
constante para resistores ôhmicos. 
 
V \u2013 Tensão ou potencial elétrico (V) 
r \u2013 resistência elétrica 
i \u2013 corrente elétrica 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Georg_Simon_Ohm
https://athoselectronics.com/resistor/
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/potencial-eletrico-v.htm
https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/fisica/o-que-sao-resistores.htm
https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/fisica/o-que-e-corrente-eletrica.htm
 
 
 
 
Na lei mostrada na figura acima, chamamos de V a tensão elétrica ou o 
potencial elétrico. Essa grandeza é escalar e é medida em Volts. Trabalhando um 
pouco na álgebra da equação da Lei de Ohm, você pode chegar a duas variações. 
Escolha e use a que achar mais conveniente. 
 
É importante notar que esta lei vale para condutores ôhmicos e mantidos a 
temperatura constante. Existem condutores não ôhmicos, em que a resistência não é 
constante e portanto, não obedecem a lei de ohm. 
2ª Lei de Ohm 
Essa lei refere-se as grandezas que influenciam na resistência de um 
determinado condutor. O comprimento do condutor, a área de secção transversal (que 
em um fio é conhecida por bitola) influenciam na resistência. Dependendo do material, 
a temperatura também vai influenciar na resistência. Assim, mais uma grandeza entra 
em jogo: a resistividade. A resistividade depende de características de cada material 
e sua temperatura. 
Portanto, a equação matemática que descreve a segunda lei de ohm é a seguinte: 
 
R - Resistência Elétrica, medida em ohms; 
\u3c1 - Resistividade, medida em \u3a9.m; 
L - Comprimento do condutor, em metros; 
A - Área de secção transversal, em mm². 
O que a equação diz é que a resistência elétrica é diretamente proporcional ao 
comprimento, mas inversamente proporcional a área de secção transversal. Assim, 
isso quer dizer que, quanto mais comprido um condutor, maior a resistência, porém, 
quanto mais largo, menor a condutividade elétrica é a medida da quantidade de 
corrente elétrica que um material pode transportar ou de sua capacidade de 
transportar uma corrente. 
Condutividade elétrica é a medida da quantidade de corrente elétrica que um 
material pode transportar ou de sua capacidade de transportar uma corrente, também 
é conhecida como condutância específica. 
Condutores são materiais que possibilitam a movimentação de cargas elétricas 
em seu interior com grande facilidade. Esses materiais possuem uma grande 
quantidade de elétrons livres, que podem ser conduzidos quando neles aplicamos 
uma diferença de potencial. Metais como cobre, platina e ouro são bons condutores. 
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/carga-eletrica.htm
https://brasilescola.uol.com.br/quimica/eletrons.htm
 
 
 
 
Os materiais isolantes são aqueles que oferecem grande oposição à passagem 
de cargas elétricas. Nesses materiais, os elétrons encontram-se, de modo geral, 
fortemente ligados aos núcleos atômicos e, por isso, não são facilmente conduzidos. 
Materiais como borracha, silicone, vidro e cerâmica são bons exemplos de isolantes. 
A propriedade