(APS) - CUSTOS 2020
11 pág.

(APS) - CUSTOS 2020


DisciplinaContabilidade de Custos Industriais299 materiais2.501 seguidores
Pré-visualização3 páginas
ADMINISTRAÇÃO 
 
 
 
Wilson Monteiro de Oliveira 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Custos, Demanda, Mercado e demais Fatores que Impactam na Formação 
de Preço de Vendas 
 
 
 
 
 
 
 
JABOATÃO DOS GUARARAPES 
2020 
Atividade Pratica Supervisionada \u2013 (APS) 
 
1. O aluno deverá efetuar a leitura criteriosa dos seguintes artigos: a. 
CALLADO et al. Análise da Gestão de Custos e Formação de Preços em 
Organizações Agroindustriais Paraibanas. V Congresso USP de Controladoria 
e Contabilidade, 2005. Disponível em 
http://www.congressousp.fipecafi.org/anais/artigos52005/142.pdfb. SOUZA et 
al. Proposta de ferramenta de análise de custos para o suporte à formação de 
preços em empresas varejistas de pequeno porte. XVIII Congresso Brasileiro 
de Custos, 2011. Disponível em 
https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/480/480 
2. O aluno deverá redigir um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema 
\u201cCustos, Demanda, Mercado e demais Fatores que Impactam na Formação de 
Preço de Vendas\u201d. 
3. Todo o texto deverá ser referenciado (ABNT), no mínimo, nos artigos 
indicados. 
4. Em seus argumentos o aluno deverá necessariamente explorar as diferentes 
abordagens para a formação do preço de vendas, dando especial ênfase aos 
modelos baseados em custos e aos modelos baseados em demanda (preço de 
mercado). 
5. Deverá ser discutida qual foi a metodologia mais utilizada em ambos os 
seguimentos dos artigos (Agroindustrial e Varejo), com argumentos sobre sua 
adequação ao conteúdo aprendido na aula e apresentado na literatura 
especializada. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Artigo 1 \u2013 Análise da Gestão de custos e formação de Preços em 
Organizações Agroindustriais Paraibanas 
RESUMO 
Qualquer abordagem que trate da análise da eficiência empresarial irá tratar 
também da definição de preços, Administração Financeira, Contabilidade e 
Marketing, trazendo em seu conteúdo a Análise de Gestão de Custos e a 
formação de preços, (FP). 
 Podemos demonstra de forma segura, à implantação do sistema de 
custos, e torna-se irrefutável que o principal critério a atingir ao processo de 
formação de vendas nas empresas que foram analisadas foi o markup, que é o 
que indica quanto do preço, do produto, está acima do seu custo de produção e 
distribuição, ou a diferença entre o custo de um bem ou serviço e seu preço de 
venda, que pode ser expresso como uma quantia fixa ou um percentual. 
1. INTRODUÇÃO: É um grande desafio para as empresas, firmar o preço de 
seus produtos ou serviços, devido os impactos sofridos em decorrência das 
influências do mercado, considerando a qualidade dos produtos, a oferta, poder 
aquisitivo das pessoas, e as escolhas que são feitas. 
 O mercado se impõe naturalmente, de forma cada vez mais seletiva e 
essencial, trazendo a qualidade agregada aos preços que se dispõe a ser 
pago. Consequentemente, os preços cobrirão as despesas e os custos, e obter 
margem de retorno ao capital aplicado. 
 A formação de preços é fundamental para que se conheçam seus 
limites financeiros. É através dos resultados em termos de vendas, que as 
empresas asseguram suas atividades ao longo do tempo. 
2. REVISÃO DE LITERATURA 
2.1 AGROINDUSTRIA 
 A agroindústria é um segmento da cadeia que vai desde o fornecimento 
de insumos agrícolas até o consumidor. Em comparação a outros segmentos 
industriais da economia, ela apresenta uma certa originalidade decorrente de 
três características fundamentais das matérias-primas: sazonalidade, 
perecibilidade e heterogeneidade. A agroindústria traz a soma das operações 
de produção, a distribuição dos suprimentos agrícolas, e também especiais 
cuidados com o armazenamento, processamento e distribuição de seus 
produtos e os itens que deles são produzidos, abrangendo assim as áreas de 
cadeia produtiva. 
 O agronegócio (também chamado de agrobusiness) é uma das 
referências de crescimento do País; o que inclui desde sua participação no PIB, 
o seu desempenho na Balança Comercial, além da Internacionalização do 
agronegócio. 
2.2 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 
 As decisões empresariais, passa pela opção da escolha que melhor se 
enquadre a seus interesses, fazendo a coleta de dados sobre custos, 
despesas, mercado e tecnologia. 
 O maior desafio das empresas é reduzir os custos e despesas para que 
a sua margem de contribuição seja maior, elaborando assim estudos sobre os 
seus limites, não oferecendo produtos e serviços inferiores aos custos e 
despesas ou com margem insuficiente ao capital. 
 O preço de um produto ou serviço sempre vai levar em conta a oferta e a 
demanda, e as influências que incidem sobre elas: os clientes, os concorrentes 
e os custos. 
\uf0b7 Os clientes influenciam na análise que fazem do valor cobrado pelo 
bem ou serviço e os benefícios advindos deles. Não é só o preço baixo 
que conta na sua diferenciação para que valha mais. 
\uf0b7 Os custos e os preços da concorrência afetam os preços cobrados. 
Produtos alternativos e similares (muitas vezes, sem a menor 
preocupação com a qualidade), podem afetar a demanda e forçar 
muitas vezes a empresa a baixar seus preços. Já uma empresa livre 
de concorrência pode elevar seus preços naturalmente. 
\uf0b7 Os custos influenciam os preços à medida que afetam a oferta. Quanto 
menor for o custo de um produto em relação ao seu preço, maior será 
a capacidade de fornecimento da empresa. 
3. METODOLOGIA 
 Na pesquisa descrita aqui, com relação aos fins é exploratória e descrita. 
Exploratória, pois se preocupou em ampliar o acompanhamento sobre a FP em 
agroindústrias, e descrita porque descreve a participação dos gestores das 
agroindústrias na FP, e a indispensável gestão de custos neste processo. 
4. RESULTADOS OBTIDOS 
 O que ficou mais evidente, foi a importância da implantação de um 
sistema de controle de custos, e de que os que não o possuem atualmente, se 
dividem entre os que reconhecem sua necessidade declarando que estão em 
fase de adaptação, ou que pretende fazê-lo o quanto antes. 
 A pesquisa evidenciou também, a variação no que atinge á 
responsabilidade do profissional quanto ao registro dos custos, havendo uma 
prevalência relativa ao Gerente Geral, com cerca de 30% das empresas 
pesquisadas tendo este profissional neste papel. 
 Este trabalho apresentou ainda, na relação dos fatores limitantes, a 
pouca preocupação dos gestores no acompanhamento e controle dos custos 
de produção, não dispondo assim de um sistema eficaz de controle. 
 No que se refere a critérios de FP de vendas, o mais relevante foi 
perceber a utilização de um índice sobre o custo da produção representando 
70% destas empresas no universo da pesquisa. 
 Com referência aos preços das vendas a prazo, o que se destaca é a 
constatação de que 45% das empresas pesquisadas negociam com os preços 
e os prazos também. 
 Observou-se que 65% das agroindústrias pesquisadas utilizaram 
formulários específicas para controle dos estoques de produção, e que quanto 
ao processo do registro dos custos de produção, constatou-se que 50% fazem 
todos os registros corretamente. 
 No que se refere à forma de organização do registro dos custos de 
produção, 75% são agrupados em conta. Verificou-se ainda que quanto à base 
de valorização dos insumos, a base de valor mais utilizada é a reposição com 
45% destas empresas. Com relação ao método de custeio, o método de 
apropriação dos custos de produção, o custeio direto é o mais utilizado, com 
50%, embora o custeio por absorção também é muito empregado com 45% 
das empresas utilizando-o. O período mais utilizado como base para 
elaboração dos relatórios de custo é o mensal com 65% de representação. 
 Quando se aborda os critérios utilizados no processo de definição dos 
lucros, quase sempre não há certeza da existência de lucros: 35% do total de 
entrevistados identificam a existência de lucros através das sobras de caixa ao 
final do processo. No que se trata de periodicidade