A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
207 pág.
Topicos em Gestao da Producao - vol1

Pré-visualização | Página 50 de 50

fazer parte de uma parceria com o porto. 
A concessão de 25 anos obtida pelo porto, contribui 
para uma credibilidade maior com os armadores, 
exportadores, importadores e empresários, para que 
estes grupos venham investir uma quantia maior na 
melhoria dos processos logísticos e na movimentação 
de mercadorias pelo porto.
Neste contexto as melhorias realizadas na 
infraestrutura no calado do porto com 15 metros de 
profundidade possibilitarão a entrada de navios da 
classe Pós-Panamax de 60.000 a 80.0000 toneladas, 
além da aquisição de equipamentos modernos por 
intermédio dos operadores e arrendatários objetivando 
a agilidade e a eficiência nas operações do porto. 
Esta superestrutura vem permitir movimentar na área 
portuária de Imbituba uma quantia de 6,0 milhões de 
tonelada ano. O porto já conseguiu no ano de 2013 
um aumento nas operações de 21,2% em comparação 
ao período do ano anterior, estimando-se para o ano 
de 2014, um crescimento de 35%, prevendo um 
acumulado de 3,3 milhões de toneladas a mais do que 
o ano anterior.
Conforme Lopez e Gama (2002), os portos brasileiros 
passam por grandes dificuldades em oferecer uma 
estrutura adequada para a entrada de navios com 
grande capacidade. Estes necessitam de mares 
profundos para sua navegação. Com as alterações 
realizadas pelo porto será possível a entrada de linhas 
vindas da Ásia, Europa e outros continentes que utilizam 
deste tipo de embarcação. Estes fatores contribuirão 
para a inserção dos exportadores e importadores do 
Sul do Estado de Santa Catarina e do Estado vizinho 
Rio Grande do Sul na utilização dos serviços ofertados 
pelo porto.
Ries e Jack (1989) argumentam que a busca do 
sucesso por uma empresa é necessário estar atento 
ao mercado e ao seu oponente, avaliando seus 
pontos fracos, permitindo um ataque estratégico e 
fortalecido ao seu concorrente, contando com um 
planejamento em longo prazo. Diante destes fatos, o 
Porto de Imbituba busca estratégias e atributos que 
o diferencie dos demais portos concorrentes. Além
das vantagens na área portuária, outro diferencial é o 
espaço retro-portuário que o Porto detém, oferecendo 
possibilidade de expansão de curto e de longo prazo 
às empresas interessadas em estabelecer-se em suas 
proximidades.
Para Silva (2003) o Estado tem grande responsabilidade 
no desenvolvimento logístico do país. Neste caso 
foi possível identificar por meio da pesquisa, que a 
participação na atual gestão do Porto de Imbituba 
pelo Estado de Santa Catarina, sendo mantenedor 
destas instalações, tem oferecido confiança para 
os interessados em fechar uma aliança, seja por 
intermédio de investimentos públicos, privados ou da 
própria utilização dos serviços prestados pelo porto.
Conforme Caldeirinha (2011), é necessário possuir 
uma estratégia de marketing para fazer frente à 
competitividade do setor portuário. Para isto é necessário 
identificar os pontos fortes e fracos como também as 
oportunidades e ameaças do processo, adequando 
assim, a oferta do porto às necessidades do cliente. 
Neste contexto ao contrário desta força encontrada da 
nova gestão por parte do Estado de Santa Catariana, 
a fraqueza encontrada pelo departamento comercial 
é fazer o armador confiar que existe carga suficiente 
para ele desviar das outras rotas previstas em seu 
itinerário e entrar na área portuária, das instalações 
serem apropriadas para suas necessidades e também 
convencer os exportadores e importadores que terá 
armadores suficientes para atender o transporte de 
suas mercadorias. Portanto, pontos típicos para serem 
tratados e solucionados pelo marketing portuário.
Seguindo a mesma linha de pensamento do autor 
citado acima, outra dificuldade encontrada pelo porto 
é a concorrência pelos demais portos localizados 
em Santa Catarina comentado anteriormente. Os 
armadores já estão habituados a fazerem linhas 
regulares para portos mais expressivos, como o Porto 
de Itajaí, que opera atualmente com aproximadamente 
17 armadores. Importante ressaltar que o Porto de 
Tópicos em Gestão da Produção - Volume 1
128
Itajaí foi se desenvolvendo gradativamente pela 
presença de indústrias estabelecidas em seu em torno 
e pela própria procura dos armadores pelo porto para 
movimentação destas cargas, fato que o Porto de 
Imbituba espera acontecer nos próximos anos.
Kay (1996) argumenta que vantagem competitiva é 
algo relativo; considera que o modelo de gerir seu 
negócio é que faz a diferença, levando a organização a 
ter o diferencial sobre os demais concorrentes, por esta 
possuir algo que ainda não tenha no mercado. Diante 
disto, outra oportunidade competitiva apresentada 
pelo porto é a localização geográfica ao qual ele 
encontra-se: próximo à margem da BR 101, que 
atravessa o Brasil; está a 286 milhas marítimas do 
Porto de Santos e a 322 milhas marítimas do Porto de 
Rio Grande. Além disso, considera-se a proximidade 
com o Estado vizinho para o apoio ao escoamento 
da produção. É de grande relevância a retro área 
disponível para crescimento, com 7 milhões de 
metros quadrados, às margens desta rodovia, o 
que oportuniza seu crescimento e desenvolvimento, 
pois poucos portos no mundo detêm desta quantia 
de área em seu entorno. Este fator poderá atrair o 
interesse para este tipo de público que pretende fazer 
investimentos em longo prazo. A profundidade do 
calado e de estar em mar aberto para entrada de 
navios de grande porte, também ajuda a se destacar. 
A qualidade na prestação de serviço e a parte social 
do município também contribuem no processo de 
desenvolvimento do porto.
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS
O presente estudo teve como objetivo analisar as 
potencialidades para o desenvolvimento do marketing 
portuário, com destaque para os obstáculos e 
fatores relevantes no processo, visando a elevação 
da competitividade do Porto de Imbituba, SC.
Em uma análise referente à gestão do porto de 
Imbituba, foi possível perceber que existe o interesse 
em divulgar sua infraestrutura, promover os serviços, 
considerando a concessão obtida para 25 anos, após 
longo tempo administrado por uma gestão privada. 
A gestão demonstra grande agressividade na 
busca do seu crescimento, objetivando trazer 
investimentos e parcerias comercias para estabelecer-
se em sua região.
Outro fator apresentado pelo porto é a sua 
infraestrutura diferenciada aos demais portos do 
Brasil, devido à sua localização estar privilegiada, 
contando com bacia de evolução e calado natural, 
berços de atracação para receber navios de grande 
capacidade, uma área de grande expressividade em 
metros quadrados ao redor das dependências do 
porto, fator que diferencia dos demais portos do Brasil 
por não existir mais a possibilidade de expansão dos 
mesmos diante do crescimento urbano descontrolado. 
Esta situação permite o estabelecimento de empresas 
de vários seguimentos e tamanhos para utilizar dos 
serviços prestados pela companhia, fazendo com que 
o porto de Imbituba venha a ganhar mercado perante
seus concorrentes, podendo tornar-se um porto de 
referência no Sul do Brasil.
Nas questões estratégicas do marketing utilizado 
pelo porto para a divulgação das suas instalações, 
foi possível perceber grande esforço e desafios 
encontrados pelo departamento comercial. Este 
setor passa por modificações, buscando diversas 
alternativas para captar novos clientes para utilizarem 
da sua infraestrutura. Outro fator que expressa o 
empenho por parte do departamento comercial foi a 
conquista de um número maior de cargas no último 
ano, e o esforço para buscar outros armadores a fim 
de aumentar as linhas regulares