A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Administração Financeira e Orçamentária - AULA 3 AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO FINANCEIRO DE CURTO PRAZO

Pré-visualização | Página 4 de 10

 identificar as razões de determinada variação na carteira de valores a 
receber. Por exemplo, um aumento no valor de duplicatas a receber pode 
ser devido a maiores vendas, dilatação do prazo de cobrança ou maior 
volume de atrasos nos pagamentos. 
2.2 Aging de valores a receber 
Assaf (2014, p. 671) define aging como 
[...] uma medida de estudo cronológico dos valores a receber (ou a 
pagar) mantidos por uma empresa. Nessa análise são evidenciadas as 
proporções das duplicatas a receber [ou outros recebíveis] em relação 
aos seus respectivos vencimentos, indicando a porcentagem daquelas 
que se encontram vencidas e a vencer. 
Assaf (2014, p. 671) ainda sugere um problema para exemplificar o 
conceito de aging descrito na citação anterior. Para isso, informamos alguns 
dados sobre duplicatas a vencer e vencidas no Quadro 10. 
Quadro 10 ‒ Demonstração de uma carteira de duplicatas a receber (ou outros 
recebíveis) 
 Valor (R$) (%) 
A vencer em janeiro de 2018 153.000 51% 
A vencer em fevereiro de 2018 99.000 33% 
 Total de duplicatas a vencer 252.000 84% 
Vencidas em dez./2017 (até 30 dias de atraso) 33.000 11% 
Vencidas em nov./2017 (de 31 a 60 dias de atraso) 15.000 5% 
 Total de duplicatas vencidas 48.000 16% 
 Total geral da carteira 300.000 100% 
Fonte: Adaptado de Assaf, 2014, p. 671. 
Ao analisarmos os dados do Quadro 10, constatamos que as duplicatas a 
receber em atraso correspondem a 16% do total da carteira. Assaf (2014, p. 672) 
sugere que, para avaliar esse resultado, a empresa deve: 
 compará-lo com séries temporais [séries históricas]; 
 compará-lo com o resultado de empresas do mesmo setor de atividade. 
2.3 Dias de venda a receber (DVR) 
Como foi dito por Assaf (2014, p. 671) no item anterior, o aging é um 
controle importante da indicação do tempo em que as duplicatas a receber 
 
 
16 
encontram-se realizáveis. No entanto, ele não fornece maiores explicações com 
relação a alterações no volume de vendas. Os valores a receber de uma 
empresa sofrem alterações não somente pelas condições de pagamentos 
(prazos), mas também por variações no volume de vendas. 
Assim, Assaf (2014, p. 672) sugere o estudo do DVR (dias de venda a 
receber), conceituando esse termo como “uma medida de controle que permite, 
pela relação entre os valores a receber e as vendas médias diárias, apurar o 
número médio de dias necessário para realizar financeiramente [transformar em 
dinheiro] as vendas a prazo”. 
O DVR pode ser assim representado: 
𝐷𝑉𝑅 =
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟𝑒𝑠 𝑎 𝑟𝑒𝑐𝑒𝑏𝑒𝑟 𝑎𝑜 𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 𝑑𝑜 𝑝𝑒𝑟í𝑜𝑑𝑜
𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 𝑚é𝑑𝑖𝑎𝑠 𝑑𝑖á𝑟𝑖𝑎𝑠 𝑑𝑜 𝑝𝑒𝑟í𝑜𝑑𝑜
 
Por exemplo, as vendas anuais de uma empresa atingiram R$ 
108.000.000 no último exercício, e as duplicatas a receber registradas pela 
contabilidade chegaram a R$ 10.200.000 ao final do mesmo período. Apure o 
DVR. 
𝐷𝑉𝑅 =
10.200.000
108.000.000/360 
→ 𝐷𝑉𝑅 =
10.200.000
300.000 𝑝𝑜𝑟 𝑑𝑖𝑎
→ 𝐷𝑉𝑅 = 34 𝑑𝑖𝑎𝑠 
Esse resultado indica que, em média, 34 dias de vendas realizadas no 
último exercício ainda não foram recebidos, ou seja, encontram-se inseridos em 
duplicatas a receber 34 dias das vendas anuais da empresa. 
2.4 Integração entre aging e DVR 
Admitamos as situações de duas empresas conforme apresentadas no 
Quadro 11 a seguir, apuradas em determinado mês. 
Quadro 11 ‒ Integração entre o aging e o DVR 
 
Empresa I 
Clientes (R$) 
Empresa II 
Clientes (R$) 
Vencidas no mês passado 1.000.000 10% 1.000.000 10% 
A vencer no mês 2.500.000 25% 2.500.000 25% 
A vencer em 1 mês 4.500.000 45% 2.000.000 20% 
A vencer em 2 meses 2.000.000 20% 2.500.000 25% 
A vencer em 3 meses - - 2.000.000 20% 
 
 
17 
Total 10.000.000 100% 10.000.000 100% 
Fonte: Adaptado de Assaf, 2014, p. 673. 
Considerando que as duas empresas tiveram um faturamento de R$ 
7.500.000 ao mês, o DVR de ambas seria de 40 dias, como segue: 
𝐷𝑉𝑅 =
10.000.000
7.500.000/30 
→ 𝐷𝑉𝑅 =
10.000.000
250.000 𝑝𝑜𝑟 𝑑𝑖𝑎
→ 𝐷𝑉𝑅 = 40 𝑑𝑖𝑎𝑠 
Podemos notar que, embora as duas empresas apresentem o mesmo 
DVR, o nível de risco assumido pela Empresa II é maior em razão da política de 
prazos aos clientes e ao tempo maior para a realização financeira (transformar 
em dinheiro) dos valores a receber. 
2.5 Prazo médio de recebimento das vendas (PMRV) 
Gitman (2010, p. 564) diz que o prazo médio de recebimento é o segundo 
componente do ciclo de conversão de caixa (ou ciclo financeiro). Trata-se do 
número médio de dias durante o qual as vendas a crédito (a prazo) ficam em 
aberto. 
O prazo médio de recebimento das vendas (PMRV) é muito usado em 
finanças para a análise do ciclo operacional (CO) da empresa. O resultado 
numérico obtido ao utilizar-se a fórmula do PMRV é o mesmo se, 
alternativamente, utilizar-se a fórmula do DVR (dias de vendas a receber). No 
entanto, usa-se uma ou outra terminologia (PMRV ou DVR), a depender do tema 
em finanças que se deseja demonstrar. 
Considere o Quadro 12 a seguir para determinar o PMRV. 
Quadro 12 ‒ Demonstração das vendas e da conta clientes 
Apuração em 31/12/2017 Valor (R$) 
Vendas no ano (DR) 500.000 
Saldo da conta clientes (BP) 100.000 
Aqui, adotaremos a conta “clientes”, em vez de “duplicatas a receber”, por 
abranger outros recebíveis. 
Primeiro passo 
Calcular o índice de giro da conta “clientes” (IGC). 
𝐼𝐺𝐶 =
𝑣𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠
𝑐𝑙𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒𝑠
→ 𝐼𝐺𝐶 =
500.000
100.000
→ 𝐼𝐺𝐶 = 5 𝑣𝑒𝑧𝑒𝑠 
 
 
18 
Onde: 
 IGC = índice de giro de clientes 
O resultado demonstra que a empresa recebe de seus clientes cinco (5) 
vezes ao ano, em média, por conta das vendas a prazo. Se considerarmos que 
os clientes efetuam os seus pagamentos na própria loja em que fazem a compra, 
então eles retornam à loja cinco (5) vezes ao ano para o pagamento das 
parcelas. 
Segundo passo 
Calcular o prazo médio de recebimento das vendas (PMRV). 
Agora, transformamos o índice de giro da conta clientes (IGC) em prazo 
médio de recebimento das vendas (PMRV), em dias: 
𝑃𝑀𝑅𝑉 =
360 𝑑𝑖𝑎𝑠
𝐼𝐺𝐶
→ 𝑃𝑀𝑅𝑉 =
360 𝑑𝑖𝑎𝑠
5
→ 𝑃𝑀𝑅𝑉 = 72 𝑑𝑖𝑎𝑠 
Onde: 
 PMRV = prazo médio de recebimento das vendas 
O resultado demonstra que a empresa recebe de seus clientes a cada 72 
dias, em média. 
É possível obter, de forma direta, o prazo médio de recebimento das 
vendas (PMRV) utilizando a fórmula a seguir, sem a necessidade do cálculo do 
índice de giro da conta clientes (IGC): 
𝑃𝑀𝑅𝑉 =
𝑐𝑙𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒𝑠
𝑣𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠
× 360 𝑑𝑖𝑎𝑠 → 𝑃𝑀𝑅𝑉 =
100.000
500.000
× 360 
→ 𝑃𝑀𝑅𝑉 = 0,20 × 360 
→ 𝑃𝑀𝑅𝑉 = 72 𝑑𝑖𝑎𝑠 
A origem dessa fórmula pode ser demonstrada a partir da fórmula utilizada 
no segundo passo: 
𝑃𝑀𝑅𝑉 =
360
𝐼𝐺𝐶
→ 𝑃𝑀𝑅𝑉 =
360
𝑣𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠
𝑐𝑙𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒𝑠
 → 𝑃𝑀𝑅𝑉 =
𝑐𝑙𝑖𝑒𝑛𝑡𝑒𝑠
𝑣𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠
× 360 
 
 
 
19 
Atenção! 
Alguns autores sugerem que se utilize os valores médios das contas, 
considerando-se os dois últimos exercícios sociais. Se assim fosse, a conta 
“vendas” corresponderia à média da demonstração do resultado (DR) dos dois 
últimos anos; a conta “clientes” corresponderia à média do balanço patrimonial 
(BP) dos dois últimos anos. 
Caso o exercício social da apuração das vendas e da conta clientes fosse 
semestral, então a número de dias a ser informado na fórmula seria de 180 dias; 
para períodos trimestrais, 90 dias; bimestrais, 60 dias. 
2.6 Demonstração do ciclo operacional (CO) e do ciclo financeiro (CF) 
O ciclo operacional (CO) é o tempo, em dias, que a empresa leva para 
vender o seu estoque e realizar financeiramente (transformar em dinheiro) as 
suas vendas a prazo. Ou seja,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.