a63c2de5-8a80-4a70-b56d-85d7705acdd6
125 pág.

a63c2de5-8a80-4a70-b56d-85d7705acdd6


DisciplinaAnálise Estrutural I6.416 materiais55.717 seguidores
Pré-visualização21 páginas
W
BA
07
41
_v
1.
0 
TECNOLOGIA DAS 
ESTRUTURAS 
22 
Vagner Luis Copeinski
Londrina 
Editora e Distribuidora Educacional S.A. 
2019
Tecnologia das Estruturas
1ª edição
33 3
2019
Editora e Distribuidora Educacional S.A.
Avenida Paris, 675 \u2013 Parque Residencial João Piza
CEP: 86041-100 \u2014 Londrina \u2014 PR
e-mail: editora.educacional@kroton.com.br
Homepage: http://www.kroton.com.br/
Presidente
Rodrigo Galindo
Vice-Presidente de Pós-Graduação e Educação Continuada
Paulo de Tarso Pires de Moraes
Conselho Acadêmico
Carlos Roberto Pagani Junior
Camila Braga de Oliveira Higa
Carolina Yaly
Giani Vendramel de Oliveira
Juliana Caramigo Gennarini
Nirse Ruscheinsky Breternitz
Priscila Pereira Silva
Tayra Carolina Nascimento Aleixo
Coordenador
Nirse Ruscheinsky Breternitz
Revisor
Márcia Elisa Jacondino Pretto
Editorial
Alessandra Cristina Fahl
Beatriz Meloni Montefusco
Daniella Fernandes Haruze Manta
Hâmila Samai Franco dos Santos
Mariana de Campos Barroso
Paola Andressa Machado Leal
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
__________________________________________________________________________________________ 
Copeinski, Vagner Luis
C782t Tecnologias das estruturas / Vagner Luis 
 Copeinski, Guilherme da Silva Araujo. \u2013 Londrina : Editora e 
 Distribuidora Educacional S.A., 2019.
 116 p.
 
 ISBN 978-85-522-1567-
 
 1.Projeto Estrutural. 2. Estruturas Metálicas. 3. Concreto
 Armado. I. Copeinski, Vagner Luis. II. Araujo, Guilherme da 
 Silva. III. Título. 
 
CDD 620
____________________________________________________________________________________________
Thamiris Mantovani CRB: 8/9491
© 2019 por Editora e Distribuidora Educacional S.A.
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser 
reproduzida ou transmitida de qualquer modo ou por qualquer outro meio, 
eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação ou qualquer outro tipo de 
sistema de armazenamento e transmissão de informação, sem prévia autorização, 
por escrito, da Editora e Distribuidora Educacional S.A.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4
TECNOLOGIA DAS ESTRUTURAS 
SUMÁRIO 
Apresentação da disciplina 5 
Estruturas em concreto armado 7 
Estruturas metálicas 25 
Estruturas de madeira 42 
Estruturas pré-moldadas 64 
Estruturas protendidas 80 
Alvenaria estrutural 95 
Estruturas mistas e industrializadas (Steel Frame e Wood Frame) 110 
4 
5 55
Apresentação da disciplina 
Na disciplina de Tecnologia da Estruturas, você terá informações básicas 
desde a fundação até a cobertura, passando pelos vários tipos de 
estrutura utilizados em nosso país. Apontaremos os pontos fortes e os 
pontos fracos de cada tipo de estrutura. 
Seja em estrutura de concreto armado, estrutura metálica, estrutura de 
madeira, estrutura pré-moldada, estrutura protendida, estrutura em 
alvenaria estrutural ou ainda em estrutura mista e industrializada (Steel 
Frame ou Wood Frame), todas as estruturas são viáveis para determinado 
tipo de empreendimento. Podemos até imaginar uma estrutura 
protendida para um imóvel de pequeno porte, o difícil será convencer a 
viabilidade econômica para o cliente. 
Chegamos à necessidade indiscutível de preservar mais para podermos 
crescer. Toda e qualquer estrutura, quando indevidamente planejada, 
agride o meio ambiente, antes, durante ou depois do processo. 
Temos ainda a falta de consciência de muitos empresários do ramo de 
construção civil. 
A estrutura em concreto armado tem preferência pela grande maioria 
dos profissionais da engenharia e arquitetura pelos seguintes fatores: 
facilidade do cálculo estrututral; facilidade de encontrar os elementos 
necessários para sua execução (mão de obra barata e não qualificada); 
disponibilidade da matéria-prima (areia, brita, cimento, água e aço). 
Em passos de tartaruga, aparecem em nossos empreendimentos 
estruturas em Steel Frame, ainda com muita dúvida e desconfiança do 
consumidor brasileiro. Além disso, a dificuldade para o avanço desta 
tecnologia é a necessidade de mão de obra especializada e o custo 
elevado da matéria-prima em relação à matéria-prima para a estrutura 
em concreto armado, mesmo sendo uma construção ecologicamente 
correta e tantos outros fatores urbanísticos favoráveis, como veremos 
em nossa leitura fundamental. 
6 6
O texto apresentado é balizador, e caberá a você pesquisar em 
outras fontes para seu aprofundamento, sempre seguindo os 
métodos preceituados pelas diversas normas brasileiras vigentes, 
sempre respeitando os limites e garantindo a estabilidade e 
segurança das estruturas. 
Chegou a hora de realmente questionar e concluir o que você quer 
para o hoje e para o futuro. 
Bons estudos! 
 
 
 
 
77
Estruturas em concreto armado 
Autor: Guilherme Araújo 
Objetivos 
\u2022 Conhecer as principais vantagens do uso de 
estruturas em concreto armado. 
\u2022 Identificar as principais desvantagens do uso de 
estruturas em concreto armado. 
\u2022 Analisar os materiais que compõem o sistema e 
suas influências. 
7 
8 8
1. Introdução 
Após a descoberta do cimento Portland, o concreto convencional como 
conhecemos hoje passou a ser amplamente utilizado nas construções 
ao ponto que hoje é considerado o segundo material mais utilizado no 
mundo, ficando atrás apenas da água (MEHTA; MONTEIRO, 2014). Além 
de poder apresentar elevada resistência à compressão e a facilidade 
de obter diversas formas, o concreto ainda é composto, em geral, por 
materiais de baixo custo e que podem ser encontrados em diversos 
lugares do mundo. 
O Concreto Armado é a junção do concreto com o aço, essa utilização 
em conjunto se torna bastante proveitosa uma vez que o concreto 
apresenta elevada resistência à compressão e o aço apresenta 
elevada resistência à tração, permitindo alcançar estruturas 
resistentes e que apresentam deformações antes da ruptura, 
evitando assim rupturas repentinas. 
Para iniciar esta disciplina, iremos primeiramente abordar alguns 
conceitos fundamentais dos materiais constituintes do concreto 
armado e então iremos verificar as principais vantagens e desvantagens 
desse tipo de estrutura e verificar a normalização de estruturas de 
concreto armado. 
PARA SABER MAIS 
Para saber mais sobre o desenvolvimento da resistência do 
concreto, leia o artigo \u201cResistência do Concreto\u201d, publicado 
pela Revista Téchne (THOMAZ, 2001). 
9 99
2. O concreto simples 
Na antiguidade, as pedras eram utilizadas como o principal material de 
construção. Apesar de sua elevada resistência, as pedras apresentavam 
algumas desvantagens, tais como dificuldade de manuseá-las, devido 
ao seu elevado peso, e dificuldade de obter formas e tamanhos 
variados. Com o passar do tempo, desenvolveu-se diversos materiais 
de construção, e dentre eles o cimento Portland, e a partir daí o 
concreto convencional que conhecemos atualmente. O concreto foi 
considerado como uma \u201cpedra artificial\u201d, que além de apresentar 
elevadas resistências, pode ser moldado em diversas formas, devido à 
sua característica trabalhável no estado fresco. 
O concreto simples é composto por um aglomerante, agregados e 
água. O aglomerante mais utilizado nos concretos é o cimento Portland. 
Segundo Bauer (2015), o cimento Portland é um aglomerante hidráulico, 
ou seja, que reage quimicamente com água e é composto basicamente 
por cal, sílica, óxido de ferro, magnésio e outras adições que podem 
garantir propriedades específicas (LOPES, 2017). Além disso, a finura 
do cimento influencia diretamente no desempenho do concreto, uma 
vez que quanto menor os grãos de cimento, maior sua reatividade e 
consequentemente menor o tempo de pega, desta forma, o concreto 
inicia o processo de endurecimento mais rápido (BAUER, 2015). 
Os agregados, por sua vez, são materiais inertes, ou seja, que não 
reagem quimicamente, mas apresentam influências diretas