A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
199 pág.
Gestão e Análise de Custos

Pré-visualização | Página 30 de 41

tomada de decisão específico e que impulsionam as diversas áreas a 
implementar ações que otimizam o resultado global da companhia.
O sistema GECON abrange alguns requisitos, tais como: o modelo 
de gestão, o processo de gestão e o sistema de informação. Os conceitos que 
dão suporte ao GECON representam características fundamentais referentes 
ao modelo utilizado em relação aos aspectos de avaliação de desempenho e 
resultados, tais como: 
• Eficácia empresarial e resultado econômico: a eficácia é considerada como o 
alcance de objetivos da organização no cumprimento de sua missão, o que 
determina as condições de sobrevivência e continuidade do empreendimento. 
Nesse sentido, a medida da eficácia da empresa é o resultado econômico, 
ou seja, a variação patrimonial do valor adicionado ao patrimônio pelas 
atividades empresariais em um determinado período. 
• Formação do resultado econômico: decorre do resultado econômico das 
diversas áreas que compõem a empresa, cujas atividades funcionam sob a 
responsabilidade de um gestor. Tais atividades consomem recursos e geram 
produtos (bens ou serviços) e desse modo executam transações que podem 
alterar o patrimônio da empresa. 
• O papel dos gestores: a eficácia da organização deve ser alcançada de forma 
eficiente, ou seja, com o maior aproveitamento dos recursos. Através das suas 
decisões, os gestores devem buscar a otimização do seu desempenho e das 
atividades sob seu controle e responsabilidade, contribuindo de forma eficiente 
e eficaz para o resultado global da organização. 
• Preços de transferência com base no custo de oportunidade: os preços de 
transferência referem-se ao valor pelo qual são transferidos os produtos – bens 
ou serviços – entre atividades e centros de resultado, em uma organização, 
realizando a precificação com base no custo de oportunidade, o que para a 
gestão econômica permite mensurar e avaliar os resultados.
FONTE: Adaptado de: <http://www.flf.edu.br/revista-flf/monografias-contabeis/monografia-
liana-silva.pdf>. Acesso em: 29 set. 2015.
TÓPICO 3 | SISTEMAS ABC X GECON
129
• Reconhece, ainda, o aspecto econômico de que a riqueza de uma empresa 
aumenta ou diminui à medida que o mercado atribui maior ou menor valor 
para os ativos que ela possui. 
No âmbito empresarial, se faz necessário o desenvolvimento de sistemas 
gerenciais de informações que possibilitem dar o suporte requerido à tomada de 
decisões.
FIGURA 14 – SISTEMAS DE INFORMAÇÕES
FONTE: Catelli (2007). Disponível em: <http://www.flf.edu.br/revista-flf/monografias-contabeis/
monografia-liana-silva.pdf>. Acesso em: 29 set. 2015.
Conforme Catelli (2007), o papel do subsistema é subsidiar os gestores 
durante a fase de planejamento estratégico fornecendo informações sobre os 
ambientes externo e interno. As características dizem respeito à utilização de 
banco de dados onde são armazenadas as informações de diversas naturezas 
sobre o ambiente externo, que por sua própria natureza é altamente flexível, e 
pouco estruturado quanto às fontes (jornais, vídeos e pesquisa de mercado).
Subsistema de informações – GECON: módulo de simulação.
Ainda segundo Catelli (2007), o papel desse subsistema é subsidiar os 
gestores durante a fase de pré-planejamento, gerando informações sobre os 
resultados econômicos das alternativas simuladas, buscando a otimização dos 
recursos. São características deste módulo: ser descentralizado, viabilizar a 
mensuração de receitas, custos e resultados. 
Subsistema de informações – GECON: módulo de planejamento 
Para Catelli (2007) o papel desse subsistema é subsidiar os gestores 
durante a fase de planejamento operacional de curto, médio e longo prazo, 
130
UNIDADE 2 | SISTEMAS DE CUSTEIO E FORMAÇÃO DE PREÇOS
gerando informações detalhadas sobre os eventos econômicos planejados. São 
características deste módulo: ser centralizado, detalhamento das informações 
no mesmo nível do realizado, contempla as variáveis analíticas dos eventos 
econômicos, altamente estruturado (sistema de contabilidade de eventos 
planejados), compatibilidade com a base conceitual do realizado e obediência 
aos modelos de mensuração, acumulação e informação da controladoria.
Subsistema de informações – GECON: módulo realizado 
De acordo Catelli (2007), a característica desse subsistema é subsidiar 
os gestores durante a fase de controle, gerando informações detalhadas 
sobre os eventos econômicos realizados. As características deste módulo são: 
ser centralizado, permitir o detalhamento das informações no mesmo nível 
do orçado, contemplar as variáveis analíticas dos eventos econômicos, ser 
estruturado – sistema de contabilidade de eventos realizados – ser compatível 
com a base conceitual do orçado e manter a obediência aos modelos de 
mensuração, acumulação e informação da controladoria.
[...]
Peleias (2002) salienta que, o modelo para tomada de decisões, é 
composto de receitas, custos das operações e resultados proporcionados. Os 
valores resultantes surgem da interação entre os componentes dos volumes 
de operação determinados pelos planos da empresa, influenciados pelas 
demandas que o ambiente exerce como por exemplo os preços de aquisição 
de insumos, condições de financiamento de operações, taxas de aplicação e 
captação são fatores que, dependendo de gestores eficazes, contribuem para a 
determinação do resultado das decisões tomadas.
A seguir podemos compreender resumidamente o cálculo para se obter 
o resultado econômico conforme abordado por SANTOS (2005).
+ Receita operacional
- custo variável operacional
= margem operacional
+ receita financeira
- custo financeiro
= margem financeira
- custo fixo
= resultado econômico
TÓPICO 3 | SISTEMAS ABC X GECON
131
Santos (2005) complementa a análise do modelo de decisão, com 
a dimensão operacional, a dimensão econômica e a dimensão financeira. 
No ponto de vista operacional, conta a atuação do gestor em sua área de 
responsabilidade, tais como: volumes de vendas, produção, produtividade, 
qualidade, prazo de atendimento etc. 
A dimensão econômica avalia os recursos consumidos e os produtos 
gerados na dimensão operacional, onde o gestor pode aperfeiçoar o resultado, 
com produtos de valor econômico superior ao valor econômico dos recursos 
consumidos. 
Já na dimensão financeira, a análise envolve prazos de pagamento e 
recebimento, resultando em juros pela aplicação ou captação dos recursos, por 
meio do custo de oportunidade de uma transação ou evento, caso seja à vista 
ou a prazo. 
Para Catelli (2007), o sistema Gecon ao modelo de decisão que orienta 
a lógica da geração das informações. O sistema Gecon tem como premissa 
que as informações devem ser geradas sob medidas para os gestores, a fim de 
subsidiar o processo de tomada de decisão.
[...]
A base do processo de avaliação de desempenho no sistema Gecon é 
o modelo orçamentário e de apuração de variações. O mesmo pode ser feito 
para apurar resultados das diversas áreas da empresa, tais como: compras, 
estocagem, produção, vendas, manutenção, finanças, transporte e outras. 
Veja a seguir um exemplo de aplicação desse modelo.
132
UNIDADE 2 | SISTEMAS DE CUSTEIO E FORMAÇÃO DE PREÇOS
FIGURA 15 – RESULTADO DA ÁREA DE COMPRAS
FONTE: Catelli (2007)
No exemplo apresentado, verifica-se que não é apurado nenhum 
resultado, ocorrendo somente um débito na conta de estoques por R$ 12.100, 
cuja contrapartida é registrada na conta de fornecedores. Sob a ótica da gestão 
econômica, o patrimônio da empresa está mensurado de forma errada porque 
o valor de seu ativo não é R$ 12.100 e o valor de seu passivo não é R$ 12.100. 
Analisando as demonstrações contábeis pelo modelo Gecon, observa-
se que o verdadeiro valor do estoque é R$ 8.000, ou seja, o valor de mercado à 
vista da matéria-prima. Por outro lado, o valor do passivo na data é R$ 10.000,