A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Histórica Economica Geral - Atividade 04

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material Histórica Economica Geral - Atividade 04 - página 1
Pre-visualização do material Histórica Economica Geral - Atividade 04 - página 2
Pre-visualização do material Histórica Economica Geral - Atividade 04 - página 3

Histórica Economica Geral - Atividade 04

de
vista econômico quanto do militar. A expansão dessa nação conjugava o crescimento da renda das
famílias com a oferta de novos bens derivados da inovação e de uma estrutura empresarial que
oferecia esses produtos e serviços induzindo seu consumo por meio de intensa propaganda. 
 
SAES, F. A. M.; SAES, A. M. História econômica geral. São Paulo: Saraiva, 2013. 
 
Sobre a Era Dourada ou Era de Ouro (1947-1973), avalie as afirmações a seguir. 
 
I. A expansão do comércio envolvia, sobretudo, o intercâmbio de bens finais de consumo e de capital
entre os parceiros do Atlântico Norte. 
II. Foi um período de expansão econômica nos Estados Unidos; contudo, a Europa estava em
acentuado declínio econômico. 
III. O espaço econômico internacional, nesse contexto, foi construído a partir do projeto de integração
entre as economias nacionais, proposto pelo Estado norte-americano e por sua economia. 
 
É correto o que se afirma em:
I e III, apenas.
I e III, apenas.
Resposta correta. Durante a chamada “Era Dourada” (1947-1973), a expansão do
comércio envolvia, sobretudo, o intercâmbio de bens finais de consumo e de capital entre
os parceiros do Atlântico Norte. Foi um período de expansão mundial sob hegemonia
norte-americana, no qual toda a Europa também cresceu. Esse panorama mudou a
divisão internacional do trabalho e o esquema centro-periferia, até então hegemonia
inglesa. O espaço econômico internacional, na posteridade da Segunda Guerra Mundial,
foi construído a partir do projeto de integração entre as economias nacionais, proposto
pelo Estado norte-americano e por sua economia.
Pergunta 7
A ideologia neoliberal constituiu-se em fundamento de políticas públicas e configurou-se como
ideologia hegemônica no Ocidente a partir do final dos anos 1970 e, sobretudo, durante os 1980. 
 
SAES, F. A. M.; SAES, A. M. História econômica geral. São Paulo: Saraiva, 2013. 
 
Sobre o neoliberalismo, analise as afirmações a seguir. 
 
I. Crítica à política de privatização de empresas estatais. 
II. Defende-se a mínima participação do Estado na economia e a redução de seu tamanho, tornando-o
mais ágil e eficiente. 
III. No Brasil, a política neoliberal apresenta sua força no governo de Getúlio Vargas. 
IV. As raízes do neoliberalismo remontam ao liberalismo clássico. 
1 em 1 pontos
1 em 1 pontos
Resposta Selecionada: 
Resposta Correta: 
Feedback
da
resposta:
 
Está correto o que se afirma em:
II e IV, apenas.
II e IV, apenas.
Resposta correta. A alternativa está correta: o neoliberalismo é um fenômeno peculiar, no
qual suas raízes remontam ao liberalismo clássico. Entretanto, enquanto o alvo do
liberalismo clássico era, em grande medida, o Estado Absolutista e o velho mundo
feudal, o neoliberalismo se insurge contra o Estado, mais especificamente o totalitarismo,
o nazismo e o comunismo, e fundamentalmente o Estado do bem-estar social, visto em
conjunto, como formas de cercear as liberdades individuais. Portanto, o neoliberalismo
consiste na defesa do Estado mínimo na Economia e, nesse sentido, promove o
movimento de privatização. No Brasil, em especial, a política neoliberal apresenta sua
face, propriamente, a partir da década de 1990, no governo Collor.
Pergunta 8
Resposta Selecionada: 
Resposta Correta: 
Feedback
da
resposta:
O sistema de Bretton Woods afastou-se do sistema denominado Padrão-Ouro em três aspectos
fundamentais: taxas de câmbio atreladas tornaram-se ajustáveis e sujeitas a condições específicas
[...], o uso de controles foi autorizado para limitar os fluxos de capitais internacionais e uma nova
instituição foi criada para monitorar as políticas econômicas nacionais e oferecer financiamento ao
balanço de pagamentos para países em risco. Essas inovações pretendiam solucionar as principais
preocupações herdadas das décadas de 1920 e 1930 dos formuladores de política econômica. 
EICHENGREEN, B. Globalizing Capital: a History of the International Monetary System. 2. ed.
Princeton: Princeton University Press, 2008. 
 
Com base no texto apresentado, a nova instituição criada em 1944 foi:
FMI (Fundo Monetário Internacional).
FMI (Fundo Monetário Internacional).
Resposta correta. O Fundo Monetário Internacional (FMI) é uma organização
internacional criada em 1944, durante a Conferência de Bretton Woods nos Estados
Unidos, que tinha como objetivo controlar as finanças internacionais via cooperação, para
evitar problemas econômicos, como a Grande Depressão de 1929.
Pergunta 9
Resposta Selecionada: 
Resposta Correta: 
Feedback
da
resposta:
A pior forma de desperdício, inerente ao capitalismo tardio, jaz no mau uso das forças de produção
humanas e materiais existentes. Em vez de serem utilizadas para o desenvolvimento de homens e
mulheres livres, são cada vez mais empregadas na produção de coisas inúteis e perniciosas. Nesse
contexto, a marca do capitalismo tardio é o desperdício das forças produtivas. Dito de outra maneira, é
a incapacidade de aproveitamento da automação, do movimento da terceira revolução digital para
efetivamente preencher as lacunas abissais de grandes problemas mundiais. Nesse sentido, analise
as afirmativas sobre exemplos de forças destruidoras que presenciamos no capitalismo tardio.
 
1. Desenvolvimento armamentista permanente.
2. Alastramento da fome nas semicolônias.
3. Contaminação da atmosfera e das águas.
 
Está correto o que se afirma em:
I, II e III.
I, II e III.
Resposta correta. A alternativa está correta, pois a marca distintiva do imperialismo e de
sua segunda fase, o capitalismo tardio, não é um declínio nas forças de produção, mas
um acréscimo no parasitismo e nos desperdícios paralelos ou subjacentes a esse
crescimento. A incapacidade inerente ao capitalismo tardio, de generalizar as vastas
potencialidades da terceira revolução tecnológica ou da automação, constitui uma
expressão tão forte dessa tendência quanto à sua dilapidação de forças produtivas,
transformadas em: forças de destruição; desenvolvimento armamentista permanente;
1 em 1 pontos
1 em 1 pontos
alastramento da fome nas semicolônias, cuja produtividade média do trabalho se viu
restrita a um nível inteiramente sem relação ao que é hoje possível, em termos técnicos e
científicos; contaminação da atmosfera e das águas; ruptura do equilíbrio ecológico etc.
Pergunta 10
Resposta Selecionada: 
Resposta Correta: 
Feedback
da
resposta:
Em 2016, as pessoas situadas na parcela de 1% dos maiores rendimentos de trabalho recebiam, em
média, R$ 27.085,00, enquanto a metade de menor renda recebia R$ 747,00, em um país cujo
rendimento médio mensal de todos os trabalhos foi de R$ 2.149,00. Nesse mesmo ano, os 10% com
maiores rendimentos concentravam 43,4% de todas as fontes de renda recebidas no Brasil. Os
números, que mostram a desigualdade e a concentração de renda no país, integram o módulo
Rendimento de todas as fontes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016,
divulgada pelo IBGE. 
 
 [1] 
Fonte: AGÊNCIA IBGE NOTÍCIAS (2017, on-line). 
 
AGÊNCIA IBGE NOTÍCIAS. Desigualdade de renda atinge regiões, gêneros, cores e
escolaridades. 2017. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-ag
encia-de-noticias/noticias/18377-desigualdade-de-renda-atinge-regioes-generos-cores-e-
escolaridades> . Acesso em: 31 ago. 2019. 
 
A forma como a sociedade se organiza, visando solucionar os seus problemas de produção, circulação
e distribuição de riqueza, caracteriza o sistema econômico. A distribuição da riqueza é um desafio
histórico, principalmente no caso brasileiro. O sistema capitalista vigente aliado à força tecnológica
estabelece contradições e a desigualdade de renda é um desses reflexos. Considerando esse
contexto, analise as afirmativas a seguir. 
 
I. O modo de produção capitalista aumentou a produtividade mundial ao longo do tempo. 
II. Karl Marx jamais pôs em cheque a capacidade produtiva do capitalismo. 
III. A experiência socialista-comunista na URSS apresentou excelentes resultados em termos de
produtividade, sendo de