A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Análise e Interpretação

Pré-visualização | Página 1 de 4

Priscilla Silveira
São Paulo
Rede Internacional de Universidades Laureate
2015
Tecnologias na 
Formação
Profissional
Priscilla Silveira
São Paulo
Rede Internacional de Universidades Laureate
2015
Sumário
Capítulo 4: Aprender com Tecnologia ----------------------------------------------------------5
Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------5
1 A forma de aprender ao longo do tempo ----------------------------------------------------6
1.1 Fontes de aprendizagem com --------------------------------------------------------------8
tecnologia ------------------------------------------------------------------------------------------8
1.2 Aprender a aprender ----------------------------------------------------------------------- 12
Síntese -------------------------------------------------------------------------------------------- 18
Referências Bibliográficas ---------------------------------------------------------------------- 19
5
Introdução
Maria, que ingressou recentemente no curso de Gastronomia, encontrou dificuldades iniciais 
ao usar a tecnologia para ações corriqueiras na faculdade, tais como fazer apresentação em 
PowerPoint ou um trabalho no Word. Ela se dedicou bastante para aprender tais ferramentas, 
vencendo esses obstáculos tecnológicos! Mas identificou que não devia parar por aí...
A estudante percebeu que o uso da tecnologia não é só importante para as suas atividades na 
faculdade, mas o mercado de trabalho também requer profissionais com habilidades tecnológicas.
Seu colega de classe a incentivou e deu uma ótima sugestão: a própria tecnologia poderia 
ajudá-la a melhorar suas habilidades tecnológicas. Ele referiu que havia feito um treinamento 
on-line da Microsoft e hoje maneja com segurança o computador.
A sugestão do colega de Maria é um ótimo exemplo de que a maneira de ensinar e aprender vem 
sofrendo transformações ao longo do tempo, ligadas ao avanço da tecnologia. O fácil acesso a 
qualquer informação através da internet tem possibilitado que alunos adquiram conhecimentos de 
forma autodidata ou até com professores que estejam do outro lado do mundo. É a globalização 
do conhecimento.
Hoje um aluno pode optar por fazer um curso de graduação e pós-graduação totalmente a 
distância ou de forma híbrida, isto é, parte da carga horária da disciplina é presencial e outra 
parte é on-line. É o chamado ensino blended (“misturar”). Os cursos de graduação presencial 
ainda podem preencher 20% da carga horária de sua grade curricular com disciplinas 100% on-
line, além, claro, da forte influência da tecnologia como ferramenta educacional nas disciplinas 
presenciais desses cursos.
Grandes mudanças que estão por vir irão transformar a forma de ensinar/aprender nos próximos 
cinco anos. Essa entrada do ensino on-line na Educação não acontece à toa e é um movimento 
que não tem volta. Em um futuro próximo não haverá mais distinção entre ensino presencial e 
ensino on-line porque ambos vão coexistir em um curso naturalmente.
Várias são as fontes de informação acadêmicas na internet que permitem uma formação contínua 
de alunos e profissionais, muitas vezes, gratuitamente. Nosso último desafio é, a partir desta 
leitura, torná-lo(a) apto(a) a:
• identificar as várias fontes de informação on-line que possam ser usadas como apoio ao 
desenvolvimento acadêmico e profissional;
• criar uma meta pessoal de desenvolvimento acadêmico e realizá-la a partir das diversas 
ferramentas tecnológicas;
• desenvolver a atitude de aprender a aprender.
Capítulo 4Aprender com Tecnologia
6 Laureate- International Universities
Aprender com Tecnologia
1 A forma de aprender ao longo do tempo
Imagine como as pessoas de cada geração aprenderam/aprendem na escola. Será que é da 
mesma forma? Será que com os mesmos comportamentos e necessidades? Observe, no Quadro 
1, as diferentes gerações e suas principais características, e pense em uma resposta a esses 
questionamentos:
Quadro 1 – As diferentes gerações e suas principais características. Fonte: SANTOS NETO; FRANCO (2010).
Certamente sua resposta deve ser não. A revolução tecnológica ao longo do tempo também 
trouxe mudanças na Educação.
As pessoas que nascem no mundo digital, conectadas desde criança – os chamados nativos 
digitais –, possuem uma relação com a tecnologia tão intrínseca que, se as instituições de ensino 
não se adaptarem a essa nova forma que usam para processar a informação, o fracasso e a 
desmotivação certamente ocorrerão. 
E você? A qual geração pertence? Independentemente da resposta, é possível que a internet faça 
parte de sua vida e influencie muitas de suas ações, inclusive a forma como você estuda. 
7
O reflexo do uso da tecnologia no mercado de trabalho também é marcante e, para qualquer 
geração, imprescindível, concorda? 
Um estudo do NMC – The New Media Consortium (JOHNSON et. al, 2014) aponta as principais 
tendências e tecnologias emergentes que vão fazer parte da rotina universitária ao longo dos 
próximos cinco anos. São elas:
a) Aprendizado on-line
Entre os próximos um ou dois anos, espera-se que o aprendizado on-line se popularize e seja 
cada vez mais visto como uma alternativa viável para algumas formas de ensino presencial. A 
justificativa para esse modelo se popularizar, segundo o relatório, é a possibilidade que oferece 
de flexibilizar, facilitar o acesso e oferecer uma maior integração de recursos tecnológicos com 
os conteúdos pedagógicos.
b) Ensino híbrido
Modelos de ensino híbrido (presencial + on-line) devem ganhar força, pois possibilitam o 
equilíbrio entre os ambientes presenciais e virtuais e permitem que o aluno tire o melhor proveito 
de cada um deles.
c) Conteúdo aberto
A médio prazo, entre três e cinco anos, os especialistas apostam no potencial do movimento 
de open source e na produção massiva de recursos educacionais on-line. No mesmo período, 
é apontado o crescente uso das redes sociais como meio para compartilhar notícias sobre 
conteúdos acadêmicos e desenvolvimentos científicos. Essa combinação levará a uma mudança 
de postura dos próprios estudantes, que deixam de ser simplesmente consumidores de conteúdos 
e passam a ser criadores.
d) Sala de aula invertida
É o nome que se dá ao método que inverte a lógica de organização da sala de aula. Com ela, os 
alunos aprendem o conteúdo em suas próprias casas, por meio de videoaulas ou outros recursos 
interativos, como games ou arquivos de áudio. A sala de aula é usada para a realização de 
exercícios, atividades em grupo e projetos. O professor aproveita para tirar dúvidas, aprofundar 
o tema e estimular discussões.
e) Gameficação
É o uso dos conceitos e da mecânica utilizada nos games para solucionar um determinado 
problema, ou alcançar um objetivo esperado. Entre as técnicas estão o estímulo à competição e/
ou à colaboração e a utilização de recompensas.
f) Aplicativos móveis
Uso maciço de aplicativos de smartphones e tablets para o ensino-aprendizagem.
g) Análise da aprendizagem
Tem o objetivo de traçar o perfil do aluno através de um processo de coleta e análise de grandes 
quantidades de detalhes sobre suas interações individuais em atividades de aprendizado on-line. 
O objetivo é construir melhores pedagogias, capacitar os alunos a terem um papel ativo na sua 
aprendizagem e avaliar os fatores que afetam o sucesso.
Percebeu quantas mudanças ainda virão por aí? Seus filhos certamente aprenderão de uma 
forma totalmente diferente de como você aprende hoje. 
Vários são os caminhos que você pode percorrer para aprender com tecnologia na internet. Sua 
atitude de identificar o que quer/precisa aprender e gerar ações para garantir essa aprendizagem 
é um diferencial importante para um bom desenvolvimento acadêmico e profissional. Já se foi a 
época em que para aprender algo você precisava

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.