DRGE
2 pág.

DRGE


DisciplinaGastroenterologia938 materiais1.853 seguidores
Pré-visualização1 página
DRGE
DIAGNÓSTICO
DIFERENCIAL
Dispepsia não
ulcerosa, úlcera
péptica
Distúrbios
motores do
esôfago
Esofagite
Infecciosa (CMV,
HSV, Candida)
MANIFESTAÇÕES
CLÍNICAS
DOR
PRECORDIAL 
(distúrbios
neuropsiquiátri
cos
DISFAGIA
(complicações)
INTRODUÇÃO
Retorno do
conteúdo
gástrico através
do esfíncter
esofagiano
inferior
Refluxos
patológicos
inter-prandiais
recorrentes que
levam à
agressão à
mucosa 
Afecção crônica
de espectro
variável de
sinais e
sintomas
PATOGÊNESE
Relaxamento
transitório do EEI
não relacionado à
deglutição: +
COMUM e
reflexo vasovagal
anômalo
Hipotonia do
EEI: 
tabagismo, pós
cirurgia, gestação,
drogas 
Esofagite erosiva
grave
Desestruturação
anatômica da
junção
esofagogástrica
(hérnia de hiato):
re-refluxo.
Idade, IMC,
ocidente, gestação,
lactentes 
OBS:
Adenocarcinoma
de esôfago
(esôfago de Barrett,
40x maior)
H. pylori -> fator
protetor!!!
Alteração dos
mecanismos de
defesa: disfunção
das gl. salivares
e/ou distúrbios
motores 1ª's do
esôfago
CREATES
DRAMA
PIROSE
(retroesternal)
1ª's 3 horss
após as
refeições e ao
deitar. 
 
REGURGITAÇÃO
(fluido salgado
ou ácido na
boca)
 Sintomas
extraesofagianos:
reflexo
esofagopulmonar
Doença
Coronariana
DRGE
Medidas não
farmacológicas:
aumentar o n° das
mamadas, posição
ereta, "engrossar" a
fórmula. 
TRATAMENTO
Cirurgia:
fundoplicatura (video
laparoscopia.
Circundar a parte
distal do esôfago
com uma válvula
formado pelo fundo
gástrico
Farmacológico: 
1- BH2
2- IBP
3- Antiácidos
OBS: procinéticos,
não são rotina.
Medidas
antirrefluxo:
individualizada
PEDIATRIA
DIAGNÓSTICO
Anamnese: pirose
1x/ semana, por 4
a 8 semanas
Confirmatório:
PROVA
TERAPÊUTICA:
redução
sintomática >50%
após 1-2 sem de
uso de IBP
- EDA
- pHmetria de 24h
(padrão- ouro)
- Esofagomanometria
(hérnias de hiato)
- Esofagografia baritada
(sinal do "degrau de
escada")
COMPLICAÇÕES
 
Índice De
Meester >
14,7
(DRGE)
Estenose péptica
do esôfago: 5%,
TTO: dilatação
endoscópica por
balão, IBP  longo
prazo ou
esofagectomia
Úlcera esofágica: 
+ profundas,
odinofagia, anemia
ferropriva, perfuram
o esôfago.
Comum: "úlcera de
Barrett"
Asma: 
A DRGE pode
exacerbar; asma de
difícil controle,
crises pós-
prandiais, coexiste
sintomas típicos de
DRGE. TTO: IBP,
cirurgia. 
Esôfago de Barrett
metaplasia (epitélio
colunar); 40- 60 anos,
obesos, brancos.
EDA: 1/3 inferior: 
 vermelho - salmão,
Biópsia: células
caliciformes (azul claras).
TTO: IBP, intervencionista
(displasia)
 
Fatores protetores:
vinho tinto, H.pylori e
raça negra
RGE fisiológico
("golfadas"): 
 intensos,
incômodos e
complicações (PNM
repetição,
irritabilidade, déficit
pôndero- eststural) 
Persistente:
bloqueadores do
receptor H2 de
histamina
(ranitidina), IBP e
procinéticos não é
rotina. Cirurgia:
grave.
 
Alergia Alimentar:
APLV, ovo e/ou soja.
Mãe deve parar de
ingerir ou excluir da
dieta da criança.