A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
AULA DE PÂNCREAS - DIAGNÓSTICO PATOLÓGICO POR ANÁLISE DE IMAGEM

Pré-visualização | Página 2 de 2

os galgos/whippet utilizaremos o 
decúbito lateral esquerdo, já que no decúbito dorsal, devido à conformação torácica 
teremos dificuldade de realizar esse exame. O transdutor deve ser posicionado nos 
espaços intercostais. 
 
 SLIDE 18 
 
A pancreatite pode ser aguda ou crônica e é mais comum em cães do que em gatos. 
Inclusive, os gatos possuem apetite mais seletivo que os cães. E como a pancreatite é 
uma afecção que está diretamente relacionada à alimentação, os cães podem ser mais 
acometidos. Há também uma linha médico veterinária que explica esse ocorrência 
pela conformação anatômica. Os gatos costumam desenvolver a tríade felina, que 
acomete pâncreas, fígado/vias biliares e duodeno (pancreatite + colangiohepatite + 
doença intestinal inflamatória). 
 
 SLIDE 19 
 
Temos uma peça anatômica com o pâncreas inflamado, aumentado de tamanho e com 
aspecto grosseiro, meio ‘’flocado’’, característico de pancreatite. 
 
 SLIDE 20 
 
O pâncreas está sendo delimitado no cursor. Observamos o órgão bem aumentado, 
quase 2cm de espessura/largura. Obsevamos tbm a borda dele bem arredondada. 
 SLIDE 21 
 
Nesse slide, percebemos que as estruturas ao redor estão muito claras, muito 
hiperecogênicas/brancas. Isso significa uma reação do mesentério (mesentério muito 
reativo), que é muito característico em pacientes com pancreatite. Percebam as 
margens tortuosas e um pouco irregulares. 
 
 SLIDE 22 
 
O pâncreas pode ser acometido por diversas alterações, como tumores, cistos e 
abscessos. Nessas afecções, eles ficam com ecotextura heterogênea, com aspecto 
cavitário. Os cistos e abscessos podem ser diferenciados pelas características 
anatômicas. Os cistos possuem paredes finas, regulares e conteúdo anecogênico. 
Podem formar artefato de reforço acústico posterior ou não. Já os abscessos podem 
apresentar paredes mais espessas, podendo ser irregular e seu conteúdo é mais 
ecogênico. O cisto costuma possuir um formato mais arredondado, enquanto que o 
abscesso é mais oval/irregular. 
 
 SLIDE 23 
 
Uma foto do livro que não é tão bonita/nítida e apresenta um cisto bem grande do 
lado direito da foto. 
 
 SLIDE 24 
 
As neoplasias são raras em cães e gatos, porém pode acontecer. O ideal é que se 
houver suspeita de neoplasia pancreática, encaminhar esse paciente à Tomografia 
Computadorizada. Os tumores podem acometer a parte endócrina ou exócrina do 
pâncreas. Os relatos observam que os carcinomas são mais frequentes no corpo do 
pâncreas. São tumores agressivos, que promove metástases com frequência, 
principalmente no fígado, estômago e linfonodos (já que são órgãos e estruturas 
adjacentes ao pâncreas). O pulmão também poderá ser acometido, assim como 
qualquer outro órgão. 
 
 SLIDE 25 
 
Os insulinomas são os tumores pancreáticos mais frequentes. Eles costumam causar 
hipoglicemia persistente nesses pacientes. O seu aspecto ultrassonográfico é variável, 
mas a literatura aborda que eles costumam ser esféricos, hipoecogênicos e bem 
definidos. No entanto, a histopatologia é o único tipo de exame que me permite ter a 
certeza do diagnóstico (padrão ouro).

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.