Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Meio Ambiente - Reciclagem paper III

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Curso: Sociologia – Seminário da Prática III - 20/03/18 
 
MEIO AMBIENTE E RECICLAGEM – COMO 
ENSINAR EM SOCIOLOGIA 
 
 
 
RESUMO 
 
A questão ambiental define o conjunto de contradições resultante das interações internas ao 
sistema social, vale ressaltar a falta de propostas publicas para a conscientização da população. 
Devemos nos perguntar; como é que a reciclagem pode ajudar o meio ambiente. Há várias formas 
que podemos utilizar para que a reciclagem possa ser útil e ajudar de forma significativa a reduzir 
a poluição no meio ambiente. Podemos citar algumas como: Reduzir Aterro, reduzir o consumo 
energético, controlar o consumismo de objetos que muitas vezes só compramos por comprar. 
A consciência ambiental tem que ser ministrada dentro de casa , para que a criança aprenda de 
pequeno preservar o ambiente em que vive, sabendo que não serão só elas a utilizar, e sim diversas 
pessoas. O processo de reciclagem, além de preservar o meio ambiente também gera riquezas. 
Como o professor pode utilizar desse tema dentro das ciências sócias. Portanto o objetivo dessa 
pesquisa é mostrar que através da reciclagem podemos transformar o nosso planeta em um 
ambiente melhor. Através de uma pesquisa de cunho documental esperamos levar para os leitores a 
reflexão quanto à importância da reciclagem para nosso meio ambiente e a responsabilidade social 
nos permite elos com a temática das relações entre meio ambiente e educação. 
O grande desafio é de cada um, que formamos uma sociedade que precisa de mais exemplos 
práticos e de conscientização para não ficar no passado e permanecer no presente o que se espera 
que seja admirado em gerações futuras. 
 
Palavras-chave: Ambiente, Educação, Social. 
 
1. INTRODUÇÃO 
 
Este artigo utiliza o método de pesquisa documental com o objetivo de analisar, discutir e 
problematizar a temática do meio ambiente, bem como propor uma metodologia para o ensino desse 
tema dentro da matéria de sociologia. 
Pois, a problemática da sustentabilidade assume um papel central na reflexão em torno das 
dimensões socioeconômicas, ambientais e no quadro socioambiental que caracteriza as sociedades 
contemporâneas. Isso nos mostra que a relação estabelecida entre humanos e o meio ambiente está 
causando impactos cada vez mais complexos em termos qualitativos. E com o advento da vida 
moderna percebemos que os resíduos produzidos pela humanidade não podem ser descartados de 
forma errada. 
Com isso ao longo desse trabalho faremos uma analise do progresso do capitalismo e o caos 
ambiental que ele veio a provocar, assim como a reciclagem surge como mecanismos de resposta 
imediata a esse problema. Mais adiante veremos as políticas publicas de educação ambiental e a 
sociologia do meio ambiente que é criada como forma de questionamento sobre a visão que o 
homem tem da natureza. Por fim presentearemos uma proposta de intervenção a ser trabalhada 
pelos professores de sociologia em sala de aula. 
 
2 O CAOS AMBIENTAL PROVOCADO PELO CAPITALISMO 
2 
 
 
1 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Curso: Sociologia – Seminário da Prática III - 20/03/18 
 
 
 
A máquina do crescimento tecnológico que a todo instante alimenta o Estado, as empresas e 
as expectativas da população, provocou grandes danos ao meio ambiente. A partir das grandes 
revoluções a humanidade começou a trilhar, de forma mais rápida, um caminho para avanços e 
possibilidades de desenvolvimento econômico. Isto gerou investimentos em indústrias, obras de 
infra-instrutora, geração de novos empregos e, por consequência, boa qualidade de vida para todos. 
Porém, com o advento das idéias de preservação ambiental e cuidado com a saúde do planeta, esse 
modelo de desenvolvimento foi classificado como insustentável. 
Sobre esse assunto Toynbee (1987, p 26) afirmou que: 
“O poder material da humanidade aumentou agora em 
tal grau que poderia tornar inabitável a biosfera e, 
realmente, irá produzir esse resultado suicida, num 
período de tempo previsível, se a população humana do 
globo não aprender agora ação conjunta e vigorosa para 
conter a poluição e espoliação que estão sendo 
infligidas à biosfera pela ganância cega da 
humanidade”. 
A eventual convulsão global do clima, a poluição, o envenenamento por agrotóxicos e 
pesticidas, as desigualdades econômicas crescentes se tornaram provas de que esse modelo de 
desenvolvimento de fato não podia ser continuado. No entanto, esses problemas são tratados de 
forma displicência. Os desastres ambientais já são perceptíveis em toda a sua intensidade, 
comparamos a ação humana com uma doença que se expandiu lentamente ao longo dos anos. 
A crise ambiental vista pela ciência, apresenta-se com ambiguidade, alguns estudiosos 
mostram cenários próximos da extinção, já outros acenam como fartura infinita. Martin Rees 
(2005), James Lovelock (2006), John Castri (2013), mostram um cenário nada favorável, um 
verdadeiro colapso, onde as chances de sobrevivência até o final do século são mínimas, 50%, 
segundo Rees. 
Pelo que vemos, o universo da ciência está entre o otimismo e o caos total. Nesse sentido 
Cristovam Buarque (2012, p.111-112) ao dissertar sobre a possibilidade real do esgotamento dos 
3 
 
 
1 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Curso: Sociologia – Seminário da Prática III - 20/03/18 
 
 
recursos naturais, um risco em um espaço mínimo de tempo acompanhado pela exacerbação das 
mais variadas formas de contaminação ambiental. 
Como resposta imediata para o caos ambiental que o capitalismo trouxe grupos ligados a 
defesa do meio ambiente desenvolveram o processo de reciclagem, que por muitos anos já era 
utilizado pela própria natureza. Mas que não fora aprendido pelo homem. 
 
 
3 A RECICLAGEM COMO RESPOSTA IMEDIATA PARA O PROBLEMA DO LIXO. 
 
No século XX, a questão do lixo se agravou com o aumento das indústrias. Logo, o lixo 
orgânico passou a ser o menor dos problemas e surgiu a necessidade de criar um processo que 
pudesse evitar o acúmulo nos entulhos de lixo sólido. Com as grandes guerras e as crises 
econômicas, surgiu uma necessidade ainda maior de racionar produtos, aproveitar e reutilizar 
materiais. A partir do ato de reutilizar matérias nasce o termo reciclagem. 
Reciclagem é o termo utilizado para designar o reaproveitamento de materiais orgânicos 
para a construção ou de um novo produto. Dessa forma o primeiro se torna matéria prima para o 
segundo. Assim, percebemos que a reciclagem é muito importante como forma de solução imediata 
para o problema do lixo. Esse ato se tornou esperançoso e importante no setor socioeconômico por 
gerando emprego e renda as famílias de baixa renda. 
Com a reciclagem o problema do lixo poderia ser solucionar de forma imediata, porém a 
problemática do pensamento social seria mais difícil de ser solucionado. Como medida de 
conscientização da população foi criada inúmeras campanhas para mobilizar os populares em torno 
da preservação do meio ambiente. Um exemplo disso é a campanha da fraternidade do ano de 1986, 
vinculada pela igreja católica, que justamente falava sobre a preservação da terra. Mesmo assim as 
medidas foram pouco satisfatórias. Por fim para solucionar definitivamente esse impasse no ano de 
1999 foi homologada a lei de educação ambiental que institui as Políticas Nacionais de Educação 
Ambiental. 
 
2 LEI DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL (Lei 9.795/99) 
 
 
4 
 
 
1 
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Curso: Sociologia – Seminário da Prática III - 20/03/18 
 
 
Criada com o intuito de reeducar a população em relação ao meio ambiente. A Lei N° 9.795, 
de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental traz em seu texto 
princípios importantes a serem difundidos no meio popular. São eles: 
 
Art. 4
o
 São princípios básicos da educação
Página12