A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
A2 ANÁLISE DE DISCURSO_ nathalia

Pré-visualização | Página 1 de 3

Local: A300 - Presencial - Bloco A - 3º andar / Andar / Polo Tijuca / POLO UVA TIJUCA
Acadêmico: EAD-IL80047-20194A 
Aluno: NATHALIA AREA LEAO GARCIA DE SOUZA
Avaliação: A2- 
Matrícula: 20172300004
Data: 22 de Novembro de 2019 - 18:00 Finalizado
Correto Incorreto Anulada  Discursiva  Objetiva Total: 8,00/10,00 
1  Código: 36195 - Enunciado: Ao propor sua visão para a Análise do Discurso Crítica — ADC, Norman Fairclough 
(2001) entende o discurso como prática. Destaca, ainda, a importância de uma análise tríplice, que considere 
as práticas social, discursiva e textual, atentando para como se coordenam em conjunto.Assinale a alternativa 
que descreve corretamente a prática discursiva, considerando a visão de Fairclough. 
 a) É o campo de análise da(s) ideologia(s) e da hegemonia como forças de atuação discursiva. 
 b) É o campo de análise de vocabulário, estruturas sintáticas e outros efeitos linguístico-textuais. 
 c) É o campo de análise da produção, da distribuição e do consumo dos discursos a serem estudados. 
 d) É o campo de análise do significado de palavras específicas e sua correta aplicação aos textos. 
 e) É o campo de análise dos conteúdos presentes em dados textuais de investigação linguística. 
Alternativa marcada:
c) É o campo de análise da produção, da distribuição e do consumo dos discursos a serem estudados. 
Justificativa: Resposta correta: É o campo de análise da produção, da distribuição e do consumo dos 
discursos a serem estudados. O campo da prática discursiva se refere às condições de produção de discursos, 
ampliando sua análise para considerar como são distribuídos e consumidos, bem como sua força contextual.
Distratores:É o campo de análise da(s) ideologia(s) e da hegemonia como forças de atuação discursiva. 
Incorreta, porque a análise de ideologias e forças hegemônicas, bem como das demais relações de poder, é 
parte do campo denominado prática social.É o campo de análise de vocabulário, estruturas sintáticas e 
outros efeitos linguístico-textuais. Incorreta, porque a análise de itens linguísticos-textuais é parte do campo 
denominado prática textual.É o campo de análise dos conteúdos presentes em dados textuais de investigação 
linguística. Incorreta, porque a análise de conteúdo extraído a partir de dados textuais parte da concepção de 
pesquisa proposta pela análise do conteúdo, em Bardin, e não da análise do discurso.É o campo de análise do 
significado de palavras específicas e sua correta aplicação aos textos. Incorreta, porque a análise de 
significados pressupõe a adoção de teorias semânticas, e a análise do discurso não trabalha com a noção de 
correção, própria da gramática normativa. 
0,50/ 0,50 
2  Código: 36304 - Enunciado: Segundo Weinrich (apud KOCH, 1993), ocorre metáfora temporal quando trechos 
do mundo comentado "invadem" o mundo narrado ou vice-versa, produzindo efeitos de sentido particulares. 
Nesse caso, constrói-se, textualmente, a impressão de que algo está sendo narrado quando, na verdade, 
trata-se de uma opinião do autor. Por outro lado, pode-se aproximar o mundo narrado dos tempos presentes, 
dando-lhe caráter de urgência e sugerindo a necessidade de uma resposta por parte de quem lê/ouve.
Selecione a alternativa em que ocorre um exemplo de metáfora temporal: 
 a) Perdas de capital representam o maior desafio no estabelecimento de pequenas e microempresas. 
 b) A empresa passou por três cortes de verba nos últimos cinco anos, anunciados na imprensa local. 
 c) Os aviões atravessaram a fronteira da Eslováquia por volta de cinco horas da manhã de sexta. 
 d) Contou as últimas moedas, guardou o dinheiro no bolso e, do nada, começa a falar de sua mãe. 
 e) O Brasil precisa superar a falta de investimento em políticas públicas financeiramente adequadas. 
Alternativa marcada:
d) Contou as últimas moedas, guardou o dinheiro no bolso e, do nada, começa a falar de sua mãe. 
Justificativa: Resposta correta: Contou as últimas moedas, guardou o dinheiro no bolso e, do nada, começa a 
falar de sua mãe. Nesse trecho, temos dois verbos do tempo narrado, contextualizados no mundo dos relatos, 
 e que são interrompidos por um verbo no presente do indicativo (mundo comentado). Essa interrupção 
indica metáfora temporal, já que a narrativa não foi interrompida — apenas utilizou-se um tempo verbal de 
outro mundo para enfatizar um determinado ponto da ação narrativa.
Distratores:Os aviões atravessaram a fronteira da Eslováquia por volta de cinco horas da manhã de 
sexta. Incorreta, pois a alternativa apresenta um trecho do mundo narrado em que o verbo utilizado está no 
pretérito, havendo correspondência direta com o gênero relato.A empresa passou por três cortes de verba nos 
últimos cinco anos, anunciados na imprensa local. Incorreta, pois a alternativa apresenta um trecho do 
mundo narrado em que o verbo principal utilizado está no pretérito, havendo correspondência direta com o 
gênero relato.Perdas de capital representam o maior desafio no estabelecimento de pequenas e 
1,50/ 1,50 
microempresas. Incorreta, porque a alternativa apresenta um trecho do mundo comentado em que o verbo 
utilizado está no presente do indicativo, havendo correspondência direta com o contexto opinativo.O Brasil 
precisa superar a falta de investimento em políticas públicas financeiramente adequadas. Incorreta, porque a 
alternativa apresenta um trecho do mundo comentado em que o verbo principal da locução verbal utilizada 
está no presente do indicativo, havendo correspondência direta com o contexto opinativo. 
3  Código: 36477 - Enunciado: Em uma turma de Ensino Médio, observamos a seguinte interação:(Professor): 
Carla, co... como é mesmo o nome dessa parte da célula?(Aluna): Retículo endoplasmático... rugoso. Retículo 
endoplasmático rugoso.(Professor): Muito bem!
Analise a interação apresentada quanto ao padrão esperado para o lugar discursivo de professor no ambiente 
escolar. 
 a) É padrão, por apresentar-se estruturada como solicitação/resposta/comentário. 
 b) É padrão, por privilegiar as experiências da aluna na aceitação das respostas. 
 c) Não é padrão, pois sugere que o professor não entende a experiência da aluna. 
 d) Não é padrão, pois apresenta o professor como ouvinte da experiência da aluna. 
 e) É padrão, pois posiciona o professor como par da aluna em seus comentários. 
Alternativa marcada:
a) É padrão, por apresentar-se estruturada como solicitação/resposta/comentário. 
Justificativa: Resposta correta: É padrão, por apresentar-se estruturada como 
solicitação/resposta/comentário.É padrão para interações entre professores e alunos em sala de aula que os 
professores solicitem um turno, alunos respondam à solicitação e os professores tenham de comentar as 
respostas, validando-as. Tal validação pode ser justificada a partir do lugar discursivo de professor, construído 
como detentor do saber.
Distratores:É padrão, por privilegiar as experiências da aluna na aceitação das respostas. Incorreta, porque o 
professor valida o conhecimento previamente adquirido pela aluna, por meio de um comentário, reforçando 
sua posição de detentor do saber e seguindo as expectativas desse padrão interacional.É padrão, pois 
posiciona o professor como par da aluna em seus comentários. Incorreta, porque o professor valida o 
conhecimento previamente adquirido da aluna com seu comentário final, o que estabelece uma hierarquia 
quanto a quem detém o conhecimento e invalida o posicionamento dos dois interactantes como pares.Não é 
padrão, pois apresenta o professor como ouvinte da experiência da aluna. Incorreta, porque o professor 
solicita informação específica e a valida, por meio de pergunta fechada e destinada a obter apenas um tipo de 
resposta. Neste sentido, a interação é padrão e não está destinada a ouvir a experiência da aluna.Não é 
padrão, pois sugere que o professor não entende a experiência da aluna. Incorreta, porque o padrão 
interacional — marcado por solicitação/resposta/comentário — não prevê acessar a experiência dos alunos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.