A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Análise Funcional - O quarto de Jack

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANÁLISE DO FILME “O QUARTO DE JACK” 
 
 
 
 
 
Karina Bittarello 
 
 
 
 
 
Engenheiro Coelho, 2020 
O filme “O quarto de Jack” foi publicado nos Estados Unidos em 2015, tendo como 
diretor Lenny Abrahamson e, elenco principal a mãe, Brie Larson (Joy) e o filho Jacob 
Tremblay (Jack). O texto será embasado na análise experimental do comportamento 
(AEC), onde se pode interpretar a dinâmica do comportamento dos indivíduos e as 
contingências, envolvendo o comportamento antecedente, a resposta e as consequências, 
a análise vai tratar sobre a punição, que diminui a probabilidade de ocorrência de 
determinado comportamento, sendo positiva, onde há apresentação de um estímulo no 
ambiente ou, negativa, onde é retirado um estimulo do ambiente, sendo a punição um 
controle aversivo. O filme traz momentos da vida de Joy, que aos 17 anos se deparou com 
o Velho Nick (Sean Bridgers) pedindo ajuda com seu cachorro doente (comportamento 
antecedente), Joy tinha aprendido com sua mãe a ser boazinha, então o ajudou (resposta), 
e foi sequestrada (consequência), foi trancada em um quarto, num galpão (punição 
negativa) aproximadamente de 10 metros quadrados, sem janelas, apenas com uma 
claraboia onde entrava a luz do sol. Depois de dois anos sendo abusada sexualmente 
(punição positiva), engravidou, e deu à luz a Jack. O filme começa a contar a história 
quando Jack está prestes a completar 5 anos, os 4 anos de Jack foram naquele quarto, 
onde ele e sua mãe não podiam sair (punição negativa), pois a porta ficava sempre 
trancada, sendo aberta apenas para o Velho Nick abusar de Joy. No quarto, Jack recebeu 
educação e ensino de sua mãe, eles brincavam, assistiam televisão, faziam as refeições e 
as necessidades básicas. Jack acreditava que o Velho Nick era um mágico que conseguia 
para eles roupa, alimento e coisas que precisavam, acreditava também que os animais, o 
mar, as pessoas, e as outras coisas que apareciam na televisão, não eram reais, real, era 
só aquilo que ele tinha no quarto. Quando chega à noite, Jack vai para o armário, para 
dormir, antes que o Velho Nick entre no quarto, Jack espia pelas frestas do armário antes 
de ir dormir e, como está mais velho começa a perceber a situação, o Velho Nick sai do 
quarto pela manhã. Um dia Jack vê um rato, ele observa bem, por ser algo diferente, mas 
a mãe joga um jornal no rato e o mata (punição negativa), Jack fica triste, pois achou que 
o rato era seu um novo amigo, e não entendeu porque a mãe dele faria isso com um ser 
real. No aniversário de Jack de 5 anos, eles fazem um bolo, e Jack se pergunta por que 
não tem velas em seu bolo, sua mãe explica que teve que pedir uma calça em vez de velas. 
O Velho Nick dá um carrinho de controle remoto de presente no dia seguinte. Alguns dias 
eles gritavam o mais alto que conseguiam (punição positiva), na esperança de liberdade, 
chegando à conclusão de que ninguém consegue escutar eles dentro do quarto. Joy, 
distraída, queima uma refeição no micro-ondas, deixando o quarto com um cheiro ruim, 
quando Nick chega, ele reclama do cheiro, chama a atenção de Joy (punição positiva) 
dizendo que é ingrata, que não dá valor para as coisas que ele faz e traz para ela, Nick 
bate na cama e assusta Jack que está dentro do armário, para tranquilizar o menino, Nick 
oferece um doce que está em sua jaqueta, mas Joy para a segurança de seu filho implora 
para que Nick vá para a cama com ela (punição positiva). Na manhã seguinte Jack sai do 
armário e tenta pegar o doce, Nick acorda e vê o menino em pé e, começa a puxar assunto 
(comportamento antecedente), mas Joy acorda, e se desespera, segura Nick e grita para 
não fazer nada com Jack (resposta), Nick sufoca Joy com o travesseiro (consequência - 
punição positiva) e sai do quarto, Jack implora perdão por ter saído do armário, e repete 
várias vezes que não vai mais sair (punição positiva - ação de sair do armário quando o 
Velho Nick está presente). Nick desliga a energia (punição negativa) pelo ocorrido do dia 
anterior, sendo um meio de castigar Joy por suas ações. Joy explica para seu filho, que o 
quarto tem dois lados, o lado de dentro (quarto) e o lado de fora (mundo real), conta como 
era sua vida antes, mas Jack se recusa a acreditar, grita por alguns segundos (punição 
positiva) e chama ela de mentirosa (punição positiva). Os dias vão passando e Jack 
começa a fazer muitas perguntas, e fala que quer matar Nick, para eles saírem daquela 
situação, mas Joy conta que já tentou fazer isso, ela pegou a tampa da caixa do sanitário, 
se aproximou de Nick (antecedente), acertou a tampa na cabeça dele (resposta), e tentou 
fugiu, mas ele o agarrou e quebrou seu pulso (consequência – punição positiva). Joy tem 
uma ideia para libertar eles, ela coloca pano quente na testa de Jack, para simular que está 
com febre, coloca um recado de “socorro” no bolso de Jack, quando o Velho Nick chega 
no quarto, Joy implora para que leve seu filho para o hospital, mas Nick diz que vai 
arrumar remédios. Então criam outro plano, pede para que Jack se finja de morto, 
enrolando ele no tapete, repetindo passo a passo de como Jack teria que fazer: “picape, 
rolar, pular, correr e alguém”, Joy insiste em treinar o menino várias vezes para que nada 
de errado, Jack fica irritado, chora e diz que odeia a mãe (punição positiva), quando eles 
se acalmam, antes do Velho Nick entrar no quarto, Joy enrola seu filho no tapete e se 
mostra desesperada pedindo para que Nick levasse o menino para algum lugar distante. 
No caminho, Jack se desenrola do tapete, e quando a picape para no cruzamento, Jack 
pula, corre e vai em direção de um homem que oferece ajuda, Nick tenta interferir, mas 
vai embora, quando a polícia chegou pegaram o menino e o interrogam, Jack fica por um 
tempo longe da mãe (punição negativa). A polícia vai investigar, acham a casa e libertam 
Joy, eles a levam para o hospital junto com seu filho, um dos médicos chega para prestar 
auxílio e Jack se agarra a mãe (punição positiva – generalização com o agressor). Depois 
de um tempo os pais de Joy vem buscar eles e ela vai morar com a mãe. Jack vê tudo 
diferente, analisa tudo, mas para Joy é difícil, pois recebe a notícia que seus pais se 
separam, vê fotos das amigas, deixando-a triste por tudo o que passou, com toda a pressão 
em cima dela, ela tenta se matar, seus pais pegam ela no banheiro e internam ela, passando 
alguns dias longe de Jack (punição negativa). Jack começa a se dá melhor com os avós, 
começa a brincar de bola com o vizinho e a brincar com seus novos brinquedos. Joy volta 
para casa, Jack fala que quer visitar o quarto onde ele cresceu, eles vão para o galpão, 
Jack se despede dos objetos (punição positiva), depois Joy o leva para uma lanchonete, 
para experimentar comidas novas e voltam para a casa da avó. Conclui-se então que, o 
padrão de respostas de Joy, sobre permanecer submissa, se dá pelo comportamento de 
esquiva (reforço negativo), onde ela deixa o agressor satisfeito, se prevenindo de sofrer 
violência e recebe condições mínimas de sobrevivência para ela e seu filho, mas quando 
ela tenta interferir nos comportamentos do Velho Nick, há punição positiva e negativa 
sobre ela.