AULA - DESPESAS PÚBLICAS
45 pág.

AULA - DESPESAS PÚBLICAS


DisciplinaDireito Financeiro2.912 materiais13.252 seguidores
Pré-visualização4 páginas
DESPESAS PÚBLICAS 
CONCEITO 
Despesa pública é o conjunto de 
dispêndios realizados pelos entes 
públicos para custear os serviços 
públicos (despesas correntes) 
prestados à sociedade ou para a 
realização de investimentos (despesas 
de capital).
REQUISITOS 
\u2756 Utilidade (atender a um número significativo de 
pessoas);
\u2756 Legitimidade (deve atender uma necessidade 
pública real);
\u2756 Discussão pública (deve ser discutida e aprovada 
pelo Poder Legislativo);
\u2756 Deve ser estipulada em lei.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei
Legalidade da despesa pública
\u2022Autorização do Poder Legislativo
 
\u201cArt. 39. (...)
§ 7º Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios disciplinará a aplicação de 
recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão, 
autarquia e fundação, para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e 
produtividade, treinamento e desenvolvimento, modernização, reaparelhamento e racionalização 
do serviço público, inclusive sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade.\u201d 
 
\u201cArt. 165. Leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecerão:
I - o plano plurianual;
II - as diretrizes orçamentárias;
III - os orçamentos anuais.\u201d
 
\u201cArt. 167. São vedados:
I - o início de programas ou projetos não incluídos na lei orçamentária anual;
II - a realização de despesas ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos 
orçamentários ou adicionais;
III - a realização de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital, 
ressalvadas as autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, 
aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta;\u201d
 
 Classificação das despesas
\u2751As despesas podem ser classificadas em: 
\u2022Orçamentária e Extra-orçamentaria
\u2022Ordinárias e Extraordinárias
\u2022Correntes e de Capital 
\u2022Orçamentária \u2013 é a despesa que decorre da 
lei orçamentária e dos créditos adicionais.
\u2022Extra-orçamentária \u2013 correspondem às 
despesas que não vêm consignadas na lei de 
orçamento ou em créditos adicionais e 
compreendem diversas saídas de 
numerários resultantes do levantamento de 
depósitos, cauções, consignações, etc, bem 
como todos os valores que se apresentem 
de forma transitória.
 
\u2022Ordinárias \u2013 pelo critério da periodicidade, 
são as que normalmente constituem a rotina 
dos serviços públicos, e se repetem em todos 
os anos ( ex.: pessoal, material de consumo, 
etc.) 
\u2022Extraordinária - também pelo critério da 
periodicidade, são aquelas de caráter 
esporádico, provocadas por circunstancias de 
caráter excepcional, e que, por isso, nem 
todos os anos aparecem nos orçamentos. (ex.: 
decorrentes de guerra, de calamidade). 
Classificação da lei 4.320/64
\u2022 A lei 4.320/64 classifica as despesas orçamentárias 
nas seguintes categorias econômicas: despesas 
correntes e despesas de capital. (art. 12)
\u2022 Despesas correntes \u2013 são os gastos de natureza 
operacional que se destinam a manutenção e ao 
funcionamento dos serviços públicos.
\u2022 Despesas de Capital \u2013 são os gastos realizados em 
investimentos, inversões financeiras e transferência 
de capital, que objetivam o incremento do 
patrimônio. 
\u2022 As despesas correntes se dividem em duas subcategorias 
econômicas:
\u2022 Despesas de Custeio: são as dotações para manutenção de 
serviços anteriormente criados, inclusive as destinadas a 
atender a obras de conservação e adaptação de imóveis ( 
ex.: pagamento de pessoal e encargos, material de 
consumo, serviços de terceiros, etc.)
\u2022 Transferências correntes - são as dotações para despesas, 
às quais não corresponda contraprestação direta em bens e 
serviços, inclusive para contribuições e subvenções 
destinadas a atender à manutenção de entidades de direito 
público ou privado. (ex.: pagamento de inativos e 
pensionistas, salário-família, juros da divida pública, 
subvenções, FPM, FPE, etc.)
\u2022 
\u2022 As despesas de capital se subdividem em:
\u2022 Investimentos \u2013 são as dotações para o planejamento e a execução de obras, 
inclusive destinadas à aquisição de imóveis considerados necessários à realização 
destas últimas, bem como para programas especiais de trabalho, aquisição de 
instalações, equipamentos, material permanente e constituição ou aumento do 
capital de empresas que não sejam de caráter comercial ou financeiro (ex.: 
construção de um hospital, aquisição de uma casa já em utilização para posterior 
demolição e construção de uma estrada, elevadores, ar-condicionado, aeronaves, 
veículos, etc.)
\u2022 
\u2022 Inversões financeiras \u2013 são as dotações destinadas à aquisição de imóveis ou de bens 
de capital já em utilização, à aquisição de títulos representativos do capital de 
empresa ou entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando a operação não 
importe aumento do capital e ainda a constituição ou aumento do capital de 
entidades ou empresas que visem a objetivos comerciais ou financeiros (ex.: compra 
de um imóvel, já em uso, para servir de sede de um órgão publico, compra a um 
particular de ações de empresas, criação de um banco estatal, concessão de 
empréstimos, etc.)
\u2022 
\u2022 Transferências de capital \u2013 são as dotações para investimentos ou inversões 
financeiras que outras pessoas de direito público ou privado devam realizar, 
independentemente de contraprestação direta em bens e serviços, constituindo essas 
transferências Auxílios (determinados na LOA) ou Contribuições (derivados de lei 
especial anterior), bem como as dotações para amortização da divida pública (ex.: 
auxílios para obras e pagamento do principal da divida pública, etc.)
Classificação da Portaria 
Interministerial 163/2001
\u2022Categorias Econômicas 
\u2022Grupos de Natureza de Despesa 
\u2022Modalidades de Aplicação
\u2022Elementos de Despesa 
\u2022Previsão na LOA ou em Lei de créditos adicionais 
\u2022Programação
\u2022Licitação 
\u2751Regras da lei 4.320/64:
\u20221º estagio: Empenho (art. 58)
\u20222º estágio: Liquidação (art. 63)
\u20223º estágio: Pagamento (art. 64)
 ESTÁGIOS DA DESPESA 
\u2022 Conceito: é o ato emanado de autoridade competente 
que cria para o Estado obrigação de pagamento, 
pendente ou não de implemento de condição. (art. 58 
da lei 4.320/64)
\u2022 O empenho por si só não cria obrigação de pagar.
\u2022 Representa reserva de recursos - é uma garantia que o 
credor tem de em cumprindo os termos do pacto 
firmado com a Administração, receberá aquela 
importância que já está reservada para ele.
\u201cArt. 62. O pagamento da despesa só será efetuado 
quando ordenado após sua regular liquidação.\u201d
EMPENHO
\u2022 Permitirá a unidade orçamentária o acompanhamento 
constante da execução orçamentária.
\u2022 Nota de empenho \u2013 instrumento no qual constará o 
nome do credor, a dotação orçamentária, o tipo de 
empenho, o valor empenhado e o saldo da dotação, a 
especificação da despesa, assinatura da autoridade 
pública, etc.
\u2751 São três os tipos de empenho:
\u2022 Ordinário: o empenho ordinário é aquele utilizado para 
despesas normais, cujo montante é previamente conhecido e o 
pagamento deva ocorrer de uma só vez. Exemplo: a compra de 
um veiculo, o empenho realizado é ordinário, pois se destina à 
aquisição de um bem, que será pago de uma única vez. 
\u2022 Estimativa: é utilizado quando não se pode determinar com 
exatidão o montante da despesa. Faz-se uma estimativa do que 
vai ser gasto ao longo do exercício financeiro para que haja o 
empenho. Ex.: gastos com água, luz, telefone, etc.
\u2022 Global: Atende a uma despesa com montante definido, no 
entanto, em virtude do objeto do contrato, o seu pagamento 
será feito em parcelas, pois se espera a conclusão de etapas de 
obras ou entregas de bens para que a quitação ocorra.
\u2751 Nota de subempenho é o registro do valor efetivo a ser 
deduzido da importância total empenhada por estimativa ou 
por empenho global.
TIPOS DE EMPENHOS
\u201cArt. 63. A liquidação da despesa consiste na verificação 
do direito adquirido pelo credor tendo por base os títulos 
e documentos comprobatórios do respectivo crédito.\u201d
\u2751 Objetivo: apurar o implemento de condição, ou seja, se o 
credor cumpriu