A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AV1 ANATOMIA ESTRUTURAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

AV1 Anatomia – Parte 1
1 – Diferencie os membros pélvicos dos equinos com o dos caninos quanto a variação anatômica do fêmur e do metatarso e ainda explique o porquê tais achados são considerados variação anatômica.
R:Em cães, o colo do fêmur é mais desenvolvido se comparado ao de equinos. O trocanter em cães geralmente não ultrapassa a cabeça do fêmur, já nos equinos, o trocanter é bem mais desenvolvido, ultrapassando a cabeça do fêmur, que se divide em parte cranial e parte caudal e também possui um terceiro trocanter, localizado no corpo do fêmur.
Em cães, o primeiro metacarpo é reduzido em relação aos outros quatro metacarpos. Já em equinos, não há presença do primeiro e do quinto metacarpo, sendo o segundo e quarto metacarpos pouquíssimo desenvolvidos, somente o terceiro metacarpo é bem desenvolvido e consolidado.
2 – Cite todos os eixos e planos anatômicos, discorra sobre a importância na medicina veterinária exemplificando tais usos
R:Os planos anatômicos são: Dorsal, ventral, lateral direito, lateral esquerdo, cranial e caudal.
Os eixos anatômicos são: Crâniocaudal, dorsoventral e laterolateral.
A utilização de planos e eixos é de extrema importância na rotina veterinária em diversos aspectos. A padronização de áreas e membros animais facilita o diagnóstico, discussão e solução de problemas veterinários. É crucial na imaginologia veterinária, para saber exatamente qual área deve ser observada, em laudos cirúrgicos, etc. O padrão de termos, planos e eixos permite a universalização do estudo, em que veterinários de todas as áreas, ao acessar o material, entendem qual a exata região está sendo descrita. No dia a dia é comum o pedido de raio-x de regiões anatômicas que possam estar apresentando algum prejuízo ao animal, por exemplo: Se um cão apresenta fratura em membro pélvico, o raio-x a ser feito deve ser lateral.
3 – Quanto as articulações sinoviais, descreva os elementos obrigatórios da mesma, a função do liquido sinovial, e exemplifique um tipo de articulação simples e um tipo de articulação composta justificando a diferença entre as mesmas.
R:Os elementos obrigatórios das articulações sinoviais são: Superfícies articulares, cartilagens articulares, cápsula articular, sinóvia e cavidade articular. A função do líquido sinovial é garantir a lubrificação das articulações. Na articulação sinovial simples, é composta por dois ossos. Ex: Escápulo-umeral.
Na articulação composta, é formada por 3 ou mais ossos. Ex: Fêmur-tíbia-patelar.
4 – Quanto a nomenclatura anatômica, discorra sobre a importância da mesma para o estudo da anatomia levando em conta o uso de epônimos na história da mesma, justifique sua resposta com pelo menos 3 exemplos.
R:A nomenclatura anatômica para se tornar mais funcional, deixou de ser registrada como epônimos (Nome de quem a estudava) e passou a levar em consideração importantes aspectos da região analisada, como a forma, posição, ligação com outras áreas, local ou função ao nomear uma região ou peça anatômica. Ex: Trapézio (nomenclatura pela forma), artéria femural (localização), bíceps (número de origens), e um epônimo e sua substituição: Tendão de Aquiles (Tendão calcanear comum).
5 – Se tratando de osteologia, cite três exemplos de ossos longos, determine o tipo de articulação quanto ao tecido e quanto ao movimento presente na linha de crescimento e a localização da mesma em tal osso.
R: Fêmur, tíbia e fíbula. Composto de membrana fibrosa interna, chamada endósteo e membrana fibrosa externa que recobre todo o osso, chamada periósteo. A linha de crescimento é formada por cartilagem articular, separada pela linha epifisária e osso esponjoso. A articulação quanto ao movimento, é articulação cartilaginosa do tipo sincondrose.
6 – Discorra sobre a orbita dos equinos e dos carnívoros quanto a constituição óssea e quanto ao formato e classifique o tipo de articulação quanto ao tecido presente entre esses ossos.
R: Equinos possuem órbita completa, formada pelos ossos frontal, lacrimal, zigomático e temporal.
Carnívoros possuem órbita incompleta, formada pelos ossos frontal, lacrimal e zigomático. E o tipo de articulação é sutura.
7 - Se tratando do segmento sacral, cite as principais variações anatômicas presentes no sacro dos bovinos quando comparado com o dos carnívoros, e com o dos equinos e ainda cite a diferença do mesmo entre animais jovens e animais adultos
R: Em carnívoros, o sacro tem a forma de quadrilátero, os demais animais possuem em formato triangular. Em carnívoros e equinos possuem processos espinhosos com terminações livres, já em ruminantes, se unem formando a crista sacral mediana. Em animais jovens as vértebras sacrais são separadas e em animais adultos elas se tornam um único osso, sendo fusionadas. A fusão das vértebras sacrais em suínos e carnívoros ocorre em um ano e meio, a de ruminantes em 3 e 4 anos, a de equinos ocorre entre 4 e 5 anos.
8 – Descreva os três tipos de classificação articular quanto ao movimento, citando um exemplo para cada, e os 3 tipos de classificação articular quanto ao tecido também citando um exemplo para cada.
R: Articulação Fibrosa, 
Do tipo sindesmose é formada por 2 ossos e um ligamento de tecido conjuntivo, possui pouca movimentação. Ex: Radio e ulna.
Do tipo gonfose, é a articulação entre dente e alvéolo dentário. 
Articulação cartilaginosa
Do tipo sincondrose, formada pela epífise e diáfise dos ossos longos em animais jovens e da base do crânio. Ex: Fêmur.
Do tipo sínfise, formada por ossos divididos por uma sucessão de tecidos, normalmente cobertos por cartilagem. Ex: Sínfise intervertebral.
Articulações sinoviais
Formada por ossos separados por uma cavidade preenchida por líquido sinovial. Ex: Fêmur tíbia patelar.
9 – Discorra sobre osso pneumáticos, citando sua função e principal localização nos mamíferos domésticos, e ainda de exemplo de 2 ossos presentes nos mamíferos domésticos que se enquadrem dentro de tal classificação.
R: Ossos pneumáticos são ossos com a cavidade oca, que apresentam a função de dar leveza. Normalmente encontrado no crânio dos mamíferos. Ex: Esfenoide e frontal.