A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
PROTEÇÃO DO COMPLEXO DENTINO PULPAR - resumo dentística

Pré-visualização | Página 1 de 1

PROTEÇÃO DO COMPLEXO DENTINO-PULPAR 
 
Melhor forma de proteger o dente é manter a integridade dos tecidos. 
Polpa: a polpa consegue limitar danos causados por agentes agressores: a 
polpa promove formação de dentina terciaria, promove obliteração de 
túbulos dentinários e promove sensibilidade dolorosa (alerta). 
Dentina: quando o dente irrompe, a camada odontoblástica forma a dentina 
primária. Com os esforços da mastigação (pressão oclusiva), os odontoblastos 
formam dentina secundária. Já em condições de agressão será formada uma 
dentina esclerótica (mineralizada) abaixo da lesão e será formada também a 
dentina terciária (reacional ou reparadora – tentam conter agressão). A 
dentina reacional é formada pelos odontoblastos na periferia do limite 
dentino-pulpar, já a dentina reparadora acontece no limite esmalte-dentina 
em resposta a uma grande agressão. 
 
Anamnese, exame clinico (inspeção, exploração, palpação gengival, 
percussão [horizontal = periodontal, vertical = periapical], teste térmico [se a 
pessoa sentir o frio significa vitalidade pulpar e calor pode indicar alerta]). 
Polpa potencialmente reversível: responde a dor provocada, não dói 
espontaneamente, é uma dor momentânea, dente com cor normal, periápice 
negativo (sem lesões radiograficamente visualizadas) 
Polpa potencialmente irreversível: dor espontânea, contínua, pulsátil e em 
decúbito (deitada), dente com cor alterada (acinzentado), periápice 
negativo em estágios iniciais (sem lesões radiograficamente visualizadas) ou 
periápice positivo (com lesões radiograficamente visualizadas). 
-Elementos confundidores para diagnóstico pulpar: hipersensibilidade 
dentinária, síndrome do dente trincado, caries recorrentes, restaurações 
deficientes/infiltração, resposta a procedimentos recentes, trincas coronárias. 
-Principais causas de defeito sobre a polpa: lesões cariosas, preparo cavitário 
(pressão de corte, calor friccional, desidratação da dentina, corte continuo), 
trauma oclusal, traumas acidentais e procedimentos restauradores. 
 
-Fatores que orientam as estratégias de proteção do complexo dentinopulpar: 
1) Profundidade cavitária: a dentina 
superficial possui poucos túbulos dentinários 
de fina espessura (pouco diâmetro) 
próximo a JAD – menos permeável, na 
região média há aumento do numero de 
túbulos e do diâmetro, já próximos à polpa 
possuem maior quantidade de túbulos que são de grande diâmetro 
(espessos). 
2) Qualidade e tipo de dentina remanescente: Dentina esclerosada 
apresenta túbulos obliterados e é menos permeável. 
3) Idade do paciente: um paciente jovem apresenta menos dentina e 
mais polpa, já um paciente idoso apresenta mais dentina e menos 
polpa. 
4) Material restaurador 
Proteção direta: já ouve proteção pulpar. 
Proteção indireta: não ouve exposição pulpar. 
 
Materiais de proteção pulpar: vernizes cavitário, cimentos de hidróxido de 
cálcio, sistemas adesivos, CIV, MTA (agregado de trióxido de mineral). 
Usos: necessidade de proteção biológica usam-se materiais alcalinos (básicos) 
para eliminação de microrganismos e estimulação de dentina reparadora e 
reacional, o material visa reconfigurar o tecido agredido.