Livro Direito Constitucional Tributário

Livro Direito Constitucional Tributário


DisciplinaRecursos Humanos8.980 materiais28.975 seguidores
Pré-visualização50 páginas
"7EOJTORA 
\ufffdIBPEX 
DIALOGICA 
\u2022 
\u2022 
\u2022 
\u2022 
\ufffd 
Rr>QlJE 5JÉRGlrJ D 'AA'DRÉA 
RIBEIRO DA .)JLVA 
\u2022 \u2022 ., 
\u2022 \u2022 
\u2022 \u2022 \u2022 
\u2022 
\u2022 
Ct)m ênfase à pesst)a jurídica 
introdução ao direito constitucional tributário Co111 ênfase à pessoa jurídica 
No:rh.i\ufffdl'tl'f.ll\ufffdOltiç,-,&o\ufffdl:11$n,;mJ,·lmw\ufffd.f!rrn,owf:m.wn11ri.-.1ulemr,&odaoEdt,,,1111:4':'.t.l\\u2022w,;llo\ufffd\hm\ufffd\u2022\u2022o-m,\ufffd""1.e,,r9.61Q11\ufffde\ufffdOJ\ufffd11:t 1&!!k>C6:lUJ?.!r'l:4 
"'llllllv.7 E D I T O R A 
\ufffdIBPEX 
DIALÓGICA 
O selo DIALÓGICA d<, Edilora lbpex faz referência às publicações que 
pri:vüegw.m. um,<t LingU<1.ge1n no. q111tl o au,\ufffd>r dialogo. com. o leilor por m;iio 
de recursos textuais e 11is11ais, o q1M torna o co1ue1Lrlo muito maí,s dinlimico. 
São li11ros que cria,n uni ambiente de in.teraç,1.o co,n o leitor - seu universo 
cultural, social e de e/abora.ção de conhecim.entos -, possibilitando 11111 
real processo de interlocução para que a co11u1nicação se efetive. 
. -, 
o u 
Roque Sérgio D'Andréa 
Ribeiro da Silva 
\ufffdEDITORA 
\ufffdIBPEX 
Av. Vicente Machado, 317. 14 ' ' andar 
Ceutro. CEP 80420-010. C,uitiba. PR. Brasil 
Fone: 41 2103-7306 
www.cclitoraibpex.com.Lr 
eclitora@eilitoraibpex.com.ln 
Conselho editorial 
Dr. Ivo José Both (presiden1e) 
Dr\u2022. Elena Godoy 
Dr . Nelson Luís Dias 
Dr. U lf C regor Ba ranow 
Editor-chefe 
Li ndsai' Azambuja 
Editor-assistente 
Ariadne Nunes \Venger 
Edilor de arte/Projeto gráfico 
Raphael Bernadelli 
DoJos 111lernúcionois (lt: Catalogaçãu uá Pu b)icuvão (CIP) 
(CHmar a Brasileira do Lino. SP. 13rosil) 
Silvo. Ro que Sérgi o D'Andtén R ibeitú da 
h111·o(l uç r.o i.lO Direito Coo.s1ituciooa l 'l'l·ibutário 
!livro ele1ro,,ico -l / Roque Sérgio D'André.:i Ribeiro da Silv a. 
-Cud1iba: Jbpex. 2012. 
2 MB: PDF 
Bibliografia 
ISBN 978-85-417-0008-5 
l . Oireilo t riLu1ário -Legislação-Brasil 1. Título. 
12-08293 CDU-34:336.2(81)(094) 
fn dice para catálogo sis1e,ná1ico: 
l. Brasil: r.,,;s: Direi10 1dhuH1o'io 34: 336.2 (81)(094) 
2. Leis: Brasil: Di, ·ei10 1ribu 1ário 34: 336.2 (81) (094) 
Preparação de originais 
Gabriel .Plácido Teixeira da Silva 
Capa 
Design: Denis Kaio Tanaami 
Fotografia: Comslock 
D iagramaçiío 
Fabiana Edições 
Iconografia 
Sandra Sebastião 
L\u2022 ec.li\·âo. 2012 . 
F'úi feito o depósilo legal. 
Informamos que é de in1eirn responsa.bilid;.\de 
d o .lllh)r a \ufffdmissão de ('(m<:eil(IS. 
Nenhum.a parle d\ufffdla publicação pod<:&quot;rá st>r 
rtpn:,duz ida por qualtiutr meio ou fornrn sem o 
prévia auto1ização d::i Editora lbpex. 
A viola\ufffd·ão dos direitos aol<J\u2022·ais é trime 
c\ufffdtalwlec:iclo na Lçi n' ' 9.610/1998 f'l p1111ido 
r.elo art. 184 du C()digo Penal. 
E:s1a obrn é u1ili1.a<ln como material d idálico 
noR cun-05 c)fere( _.idos pel() Cmpo Uninle-r. 
Apresentação - 13 
Introdução - 15 
Como aproveitar ao máximo este livro - 19 
capítulo T Sistema constitucional 
tributário - 21 
1.1 Exercício de competência tributária - 33 
capítulo II Conceito de princípio 
jurídico - 45 
2.1 Princípio da legalidade - 47 
2.2 'fipicidade cerrada - desdobraniento do princípio da 
legalidade - 50 
2.3 Mitigações ao princípio da legalidade - 54 
2.4 Princípio da igualdade - 62 
2.5 Princípio da vedação ao confisco - 66 
2.6 Casos práticos - 72 
\ufffd 
d; 
s 
i'l 
8 
i! \u2022 \u2022 
i 
t \u2022 
1 \ufffd &quot;' ' 
! \u2022 
1 
f o \u2022 \u2022 
i 
! .; 
i 
t < 
\ufffd \ufffd \u2022 \u2022 
,li 
\ufffd 
I \u2022 \u2022 
E 1. \u2022 
i 
.É \u2022 
f 
\ufffd 
l 
a 
i 
1 
l 
i 
i 
i 
i 
\ufffd 
f 
\ufffd 
o 
\u2022 l&quot;&quot;&quot;'&quot;I 
\ufffd 
,c,j s 
;j 
rlJ 
capítulo III Contornos gerais da lei comple-
mentar em matéria tributária -
hierarquia de leis - 87 
3.1 Hierarquia da lei co1nplementar nacional e da lei 
ordinária - 98 
3.2 Norma complementar 
\ufffd 
explícita ou implícita - 100 d; s i'l 
8 
3.3 Lei complementar 1nalerialmente ordinária - i! \u2022 \u2022 
consequências práticas - 106 i t \u2022 
3.4 Disciplina concorrente: lei ordinária federal e lei 1 \ufffd &quot;' ' local - 111 ! \u2022 
1 
Conceito de princípio f o capítulo I\' \u2022 \u2022 i jurídico - 119 ! .; 
i 
4.1 Classificação de acordo com a Constituição t < 
\ufffd Federal de 1988 - 125 \ufffd \u2022 \u2022 
,li 
\ufffd 
4.2 Utihdade das teorias quadripaTtida/quintipartida - I \u2022 \u2022 
precedente do Supremo Tribunal Federal (STF) - 127 E 1. \u2022 
i 
4.3 Empréstimos compulsórios) - 166 .É \u2022 
Taxas - 170 f 4.4 \ufffd 
l 
4.5 Figuras não tributárias - 173 a i 
1 
capítulo \T Planejamento tributário - 189 l i 
i 
5.1 Evasão e elisão fiscal - 1narco temporal - 195 i i 
5.2 Direito tributário - caráter de sobreposição - 198 \ufffd f \ufffd 
5.3 Conflito entre princípios e norn1as - 201 
5.4 Lei Complementar nº 104, de 10 de janeiro de 2001 -
a charnada nor,na antielisão - 204 
capítulo VI Imposto de Renda e Proventos 
de Qualquer Natureza - 219 
6.J Matriz constitucional - 220 
6.2 Aspecto quantitativo e regime de apuração das pessoas 
jurídicas - 225 
6.3 Conflito enh·e princípios e norn1as - 230 
6.4 Distribuição de lucro, pró-labore e remuneração do 
capital próprio - 243 
capítulo ,,11 Infrações Tributárias - 256 
7.l Infração subjetiva e objetiva - 261 
capítulo VIII A contabilidade como fonte 
formal da tributação - 219 
Para concluir ... - 295 
Referências - 297 
Anexo - 323 
Respostas - 331 
Sobre o autor - 343 
&quot;Onde encontrei viela, encontrei 
a vontade de poder.&quot; (Nietzsche, 
2003, p. 145). 
Agradeço a todos os que colaboraram na reali­
zação desta obra, especialmente à minha irmã, 
Vanessa,, advogada dedicada e profissional com 
quem tenho orgulho de trabalhar. 
Dedico esta obra às minhas eter­
nas inspirações: à minha esposa, 
Carla, pelo incentivo, JJelo aJJoio e 
pela ajuda para a conclusão deste 
livro, e à miriha fillia, Fldvia, que 
é a tradução do amor e da alegria 
de todos os dias. 
Passada mais de duas décadas da pron1ulgação da Constituição Federal 
de 1988, a tributação nacional continua instigando a curiosidade 
de todos. As razões situam-se fora do dotnfnio do tempo, un1a vez 
que nossa cultura prende-se à ideia da dificuldade em don1inar os 
conceitos elementares de nosso sistema, aliada às críticas advindas, 
no mais das vezes, en1 face de ausência de conhecitnento específico 
en1 relação ao direito tributário. 
A proposta, aqui, é contextualizar o fenôn1eno tributá1io brasileiro 
co1n base na leitura que se deve empreender por meio da Carta Maior, 
pois trata-se de fonte prirnária que irradia cornandos às pessoas 
políticas de direito constitucional interno (União, estados, Distrito 
Federal e municípios) para legislarem sobre tributos de suas compe­
tências. Logo, o sistema constitucional tributário, o exercício desse 
poder, os princípios decorrentes da Superlei, as regras de estrutura 
e de comportamento serão foco de nossa exposição justamente para 
que você, leitor, conheça efetivamente como funciona essa dinâmica. 
Outrossim, importa trazer a lu1ne a classificação dos tributos, não 
só por uma questão de capricho didático, n1as porque f unda1nental­
n1ente há consequências jurídicas próprias dentro dessa relevante 
divisão, conforme oportunamente será examinado. 
o 
\ufffdC'd °&quot; 
C'd 
1 \u2794 
\ufffd 
e.,) w 
e.,) 
f..-1 
\ufffd 
Cà 
\ufffd 
d; 
s 
i'l 
8 
i! \u2022 \u2022 
i 
t \u2022 
1 \ufffd &quot;' ' 
! \u2022 
1 
f o \u2022 \u2022 
i 
! .; 
i 
t < 
\ufffd \ufffd \u2022 \u2022 
,li 
\ufffd 
I \u2022 \u2022 
E 1. \u2022 
i 
.É \u2022 
f 
\ufffd l 
a 
i 
1 
l 
i 
i i 
i 
\ufffd 
f 
\ufffd 
14 
Avançando neste exame, você terá condições de conhecer e refletir 
sobre o planejamento tributário, as formas de apuração de imposto 
de renda das pessoas jurídicas, estudar a ciência das infrações tri­
butárias, bem como promover a interface entre a ciência tributária 
e a contábil, sobretudo porque ainda que sejam dois sistemas dis­
tintos e ciências com suas respectivas valências, a comunicação e a 
interação que exercem são notórias, portanto,