A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Trab. Miologia -1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Miologia Equina
Introdução
Em latim ‘’mio’’ significa músculo e ‘’logia’’ estudo.
Músculos: órgãos constituídos de tecido muscular que ao receberem estímulos nervosos relaxam ou contraem.
Características:
Contrabilidade: Movimento de alongar e encurtar.
Excitabilidade: Movimento gerado ao responder por estímulos.
Extensibilidade: Movimento de distender e relaxar.
Elasticidade: Movimento de contração e extensão
Origem
Derivam do folheto embrionário (mesoderme).
Sob controle do sistema nervoso.
Cada músculo possui um nervo motor que se ramifica para suprir todas as fibras musculares.
Função
Contração
Locomoção
Sustentação
Termorregulação
Tipos musculares:
Músculo estriado esquelético.
Células alongadas;
Núcleos ocupam a parte periférica;
Contração voluntária;
Responsável pela locomoção;
Estrias transversais e organizadas;
Músculo Liso
Células fusiformes;
Núcleos centralizados;
Contração involuntária de forma lenta rítmica.
Localizados no trato digestório, bexiga, útero e artérias.
Músculo estriado cardíaco.
Contração involuntária, rápida e contínua.
1º músculo que começa a exercer função desde a fase fetal;
1 ou 2 núcleos centrais;
Localização: coração
Cabeça e pescoço
Tórax
Abdômen
Membro torácico
Membros Pélvico.
Fig. 1 Parede lateral da pelve: vista lateral esquerda. A remoção da pele e da fáscia superficial expôs os músculos do 
membro pélvico que ficam laterais aos ossos da pelve.
Fig. 2 Parede lateral da pelve: vista lateral esquerda. O músculo glúteo superficial e o músculo tensor da fáscia lata foram 
Removidos.
Fig 3. Parede lateral da pelve: vista lateral esquerda. O músculo do bíceps do fêmur foi removido, expondo parte do ligamento 
Sacrotuberal largo, o qual fica estriado das vértebras ao ísquio. Cogita-se que a cabeça vertebral do músculo bíceps do fêmur seja 
de origem glútea.
Fig 4. Parede lateral da pelve: vista lateral esquerda. A remoção do músculo expôs o ligamento sacrotuberal largo, seu forame 
Ísqueático maior e os componentes que percorrem a sua lateral.
Fig. 5 Ligamento sacrotuberal largo: vista lateral esquerda. Essa é uma vista ampliada de uma parte da dissecação avaliada. No 
 cavalo nenhum vaso grande calibre ou nervo atravessa o forame isquiático menor, os vasos glúteos caudais atravessam um 
Forame mais dorsal e cranial no ligamento.
Fig 5. Ligamento sacrotuberal largo: vista lateral esquerda. A remoção vertebral do músculo semitendinoso expôs a margem
Caudal do ligamento, qual odos os três músculos esticados da coxa se originam. Os três forames no ligamento sacrotuberal 
Foram demonstrados com melhor clareza nesta dissecação.