Hemorragia anteparto
7 pág.

Hemorragia anteparto


DisciplinaObstetrícia2.205 materiais13.611 seguidores
Pré-visualização2 páginas
P á g i n a | 1 
 
Hemorragia anteparto 
Hemorragias no 3º trimestre 
Placenta prévia e descolamento prematuro de placenta 
\uf0b7 Frequentemente no 3º trimestre \u2013 representam cerca de 50% dos diagnósticos de 
sangramento no 3º trimestre. 
\uf0b7 Diagnóstico diferencial entre essas doenças \u2013 melhor conduta frente ao diagnóstico. 
\uf0b7 Qualquer sangramento não relacionado ao período de parto deve ser investigado. 
\uf0b7 Placenta prévia \u2013 conduta mais expectante 
\uf0b7 Descolamento prematuro de placenta 
o Mais grave, geralmente tem que interromper a gestação pelo risco de aumento da 
morbimortalidade materno fetal 
o É a separação intempestiva da placenta normoinserida após 20 semanas de 
gestação, antes da expulsão fetal. 
 
 
1- Passenta normal, com inserção posterior e 
fundica 
2- Descolamento prematuro de placenta - Coagulo 
separando a placenta da cavidade uterina 
3- Placenta previa \u2013 placenta a frente da 
apresentação fetal (Bebê nasce após a placenta) 
 
Placenta prévia 
\uf0b7 É aquela que se insere no segmento inferior do útero, localizando-se muito próxima ou até 
recobrindo o colo uterino. 
\uf0b7 Incidência de 1/300 a 1/400 gestações 
\uf0b7 Etiologia: na hora da nidação ela se insere na região. Porque tem tropismo por uma região 
de menor vascularização. 
\uf0b7 Etiologia desconhecida \u2013 acredita-se que busca locais de nutrição, impantando-se no 
segmento inferior ou que o Dano a cavidade do endométrio leva atropismo maior da região 
mais baixa. 
FR: 
\uf0b7 Cesariana prévia 
\uf0b7 Idade materna avançada(nutrição 
melhor), 
\uf0b7 Multiparidade (cicatrizes na cavidade 
uterina) 
\uf0b7 Cicatrizes uterinas 
\uf0b7 Curetagem 
\uf0b7 Gemelaridade (placenta grande, 
ocupa parte anterior epode fuicar um 
pouco por ter placenta mais para 
baixo) 
\uf0b7 Tabagismo
 
Isabela Terra Raupp 
P á g i n a | 2 
 
Sinal de Barnes: 
\uf0b7 Identificação do bordo da ruptura das membranas com menos de 10 cm do bordo placenta, 
visualizando após dequitação. 
Classificação: 
Avalia maior risco e menor risco de sangramento durante gestação e durante trabalho de parto. 
\uf0b7 Placenta prévia: recobre total ou parcialmente o orifício 
interno do colo uterino (anteriormente denominado placenta 
prévia centro-total ou centro-parcial). Placenta que recobre 
totalmente o orifício interno tem maior chance de 
permanecer até o nascimento. 
\uf0b7 Placenta de inserção baixa: Borda placentária se 
insere no segmento inferior do útero, sem atingir o orifício 
interno. Se localiza num raio de 2 cm do orifício interno. 
Anteriormente, era denominada placenta prévia marginal. 
 
Recursos \u2192 já tem diagnostico de placenta prévia antes e 
ter sangramento que a 
Suspeita \u2192 urgência com sangramento importante \u2013 
hemorragia e ela estava geralmente bem, não tem dor, não tem causa, pode parar ou seguir 
Quadro clínico: 
\uf0b7 A principal queixa é hemorragia principalmente no 3º trimestre 
(alterações uterinas), se causa aparente, sem dor, reincidivante, 
progressiva e de início súbito. 
\uf0b7 O primeiro episódio geralmente acontece na 28ª semana de gestação. 
\uf0b7 Em geral, o útero não está contraído e apresenta-se elástico. 
\uf0b7 Não há, normalmente, sofrimento fetal a não ser em casos de choque 
hipovolêmico. 
\uf0b7 O feto geralmente encontra-se em posição anômala (geralmente 
transversa). 
\uf0b7 No exame especular, o colo encontra-se congesto, entreaberto e com 
sangue dentro do canal. 
\uf0b7 Evita-se toque vaginal e amnioscopia. 
 
Diagnóstico: 
\uf0b7 Exame físico e ultrassonografia 
\uf0b7 US: aquidade de 98% no diagnóstico \u2013 é o exame de escolha para o diagnóstico 
\uf0b7 Doppler: auxilia no diagnóstico de acretismo placentário. Placentas inseridas em locais não 
ideais tem maior chance de invasão uterina com neovascularização e se perde o acretismo e 
plano de clivagem. 
o Avalia grau de invasão 
Diagnóstico diferencial: 
\uf0b7 DPP \uf0b7 Pólipos 
Progressivo 
Repetido 
Espontâneo 
Vermelho vivo 
Indolor 
Ausência de hipertonia 
P á g i n a | 3 
 
\uf0b7 Erosões cervicais 
\uf0b7 Fases iniciais de trabalho de parto 
\uf0b7 Carcinoma de colo de útero 
\uf0b7 Ruptura uterina 
Complicações: 
\uf0b7 Hemorragia grave com choque hipovolêmico e morte materna 
\uf0b7 Morbimortalidade materna associada a histerectomia puerperal, devido ao 
acretismo e outras complicações associadas, como: DPP, RCIU e placentite. 
\uf0b7 Em relação ao feto, o aumento de incidência de prematuridade e hemorragia fetal. 
Conduta: 
\uf0b7 Depende da quantidade de sangramento, da idade gestacional, do tipo de placenta, da 
apresentação fetal e da presença de trabalho de parto. 
\uf0b7 Divide-se em expectante ou ativa. 
 
 
Casos de placenta percreta: 
\uf0b7 Histerectomia e retirada de tecidos envolvidos, analisar a realização de ligadura das 
hipogástricas ou a embolização com Gelfoam. Alguns indica o tratamento conservador, 
deixando a placenta in situ nos casos de placenta percreta. 
\uf0b7 Monitorização \u2013 ver como vai responder e retirar só a placenta. 
 
Prognóstico: 
\uf0b7 Favorável dependendo das condições de assistência, banco de 
sangue... 
\uf0b7 Antibiótico profilático auxilia no melhor prognóstico. 
Conduta Expectante 
Adotada antes das 37 semanas. 
\uf0b7 Hospitalização 
\uf0b7 Acesso venoso 
\uf0b7 Infusão de fluídos 
\uf0b7 Repouso total no leito até estabilizar a 
hemorragia. 
\uf0b7 Avaliação do bem estar fetal. 
\uf0b7 Labs: hematócrito, hemoglobina, EQU, 
fibrinogênio, plaquetas, TP, KTTP e tipo 
sanguíneo. 
o Avisar banco de sangue 
\uf0b7 US: avaliar diagnóstico, posição fetal e 
PBF. 
\uf0b7 Evita prematuridade 
\uf0b7 Evitar uterolíticos (aumentam risco de 
sangramento.) 
 
Conduta Ativa 
Após 37 semanas \u2013 conduta ativa com interrupção 
da gestação \u2013 não a nada que beneficia conduta 
expectante. 
\uf0b7 Parto vaginal em apresentação lateral e baixa 
para que haja tamponamento 
\uf0b7 Monitorização com mapa 
\uf0b7 Ocitocina para condução de parto desde que não 
tenha sangramento fora de controle 
\uf0b7 Cesárea é preferível em 80% dos partos por 
placenta de implantação baixa. Pode cursar com 
sangramento fetal se incisão na área de 
implantação. 
\uf0b7 Nos casos de hemostasia não satisfatória fazer 
tamponamento ou sutura em 8, principalmente se 
acretismo. 
P á g i n a | 4 
 
\uf0b7 Mortalidade 15-20% dependendo da prematuridade do feto 
 
Descolamento Prematuro de Placenta 
Separação da placenta normalmente inserida antes do 
nascimento do feto, entre 20-22 semanas de gestação. 
Mais impactante: 
\uf0b7 Impacto na mortalidade materna 1-2% 
\uf0b7 40-80% morte perinatal 
\uf0b7 Feto: RCIU, prematuridade 
Etiologia: desconhecida 
FR:
\uf0b7 HAS principal causa \u2013 picos 
hipertensivos 
\uf0b7 Pré-eclampsia e eclampsia 
\uf0b7 Rupreme 
\uf0b7 Multiparidade 
\uf0b7 História de DPP 
\uf0b7 Tabagismo 
\uf0b7 Cocaína e crack 
\uf0b7 Deficiência de ácido fólico 
o Abortamento provocado 
anterior 
\uf0b7 Brevidade de cordão 
\uf0b7 Rotação com brevidade trauma 
automobilístico (tônus uterino)
 
Fisiopatologia: 
\uf0b7 Hemorragia na decídua basal, que origina-se tanto na placenta quanto nos vasos uterinos, 
dividindo a decídua basal. 
\uf0b7 O rompimento de 1 ou mais vasos pode determinar rapidamente, determinando a formação 
de um hematoma retroplacentário, que pode separar totalmente a placenta do sítio de 
nidação. 
\uf0b7 O sangramento retroplacentário pode causar infiltração no líquido amniótico, miométrio e 
superfície peritoneal do útero, trompas de falópio, ligamentos redondos e largos e ovários 
(Útero de couvelaire). 
\uf0b7 O Contato do hematoma com espaço interviloso tem importância no processo de fibrinação, 
já que a tromboplastina decidual, entra na circulação materna e desencadeia a cascata da 
coagulação, causando CIVD e ativação do sistema fibrinolítico. 
\uf0b7 Teorias que explicam a DPP e a cascata da coagulação: 
o Consumo local de fatores de coagulação 
o Consumo sistêmico \u2013 tromboplastina na circulação sistêmica. 
 
Complicações: 
Rompimeto 
de 1 ou + 
vasos da 
decídua basal
Separação do 
sítio 
placentário e 
local de 
nidação
Infiltração no 
LA, 
miométrio, 
peritoneoo, 
trompas e 
ligamentos
Ativa cascata 
de 
coagulação