A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
34_SMITH_Riqueza_cap1

Pré-visualização | Página 1 de 4

Senado Federal 
Secretaria de Gestão da Informação e Documentação 
 Coordenação de Biblioteca 
 
 
 
 
Praça dos Três Poderes | Senado Federal 
Anexo II | Térreo | Biblioteca 
CEP: 70165-900 | Brasília - DF | Brasil 
Telefone: + 55 (61) 3303-1268 | (61) 3303-1267 
E-mail: biblioteca@senado.gov.br 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pesquisa realizada pela 
Biblioteca do Senado Federal 
 
mailto:biblioteca@senado.gov.br�
INQUÉRITO SOBRE A NATUREZA 
E AS CAUSAS DA 
RIQUEZA DAS NAÇÕES 
Adam Smith 
VOLUME I 
Prefácio de 
HERMES DOS SANTOS 
Tradução e notas 
de 
TEODORA CARDOSO 
e 
Lufs CRISTÓVÃO DE AGUIAR 
4. a Edição 
\/i 
SERVIÇO DE EDUCAÇÃO 
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN 
Capitulo I 
DA DIVISÃO DO TRABALHO 1 
O maior acréscimo 2 dos poderes produtivos do 
trabalho e grande parte da peticia, destreza e bom senso 
com que ele é em qualquer parte dirigido, ou aplicado, 
parecem ter sido os efeitos da divisão do trabalho. 
[Esta expressão não era corrente, se é que alguma vez 
tinha sido usada antes. A sua presença aqui é provavelmente 
devida a um trecho da Fdbula das Abelhas, de Mandeville, parte II 
(1729), diálogo VI, p. 335: «CLEO .... Uma vez que os homens 
passam a ser governados por leis escritas, todo o n.sto evolui 
rapidamente... Uma vez que desfrutem de paz e não se vejam 
na necessidade de temer o próximo, os homens não tardarão a 
aprender a dividir e subdividir o seu trabalho. ROR. Não te 
compreendo. CLEO. O homem, como já antes dei a entender, 
gosta naturalmente de imitar o que vê os outros fazer: é por isso 
que entre os selvagens todos fazem a mesma coisa, o que os impede 
de melhorar a sua condição, embora o desejem constantemente. 
Mas se um deles se aplicar inteiramente à manufactura de arcos 
e flechas, enquanto um outro se ocupa da alimentação, um terceiro 
constrói palhoças, um quarto trata do vestuário e um quinto das 
ferramentas, eles não só se tornarão úteis uns aos outros, como os 
seus oficios e ocupações, no mesmo número de anos, serão bene-
ficiados, por aperfeiçoamentos muito superiores do que se cada 
um deles tivesse sido seguido indiscriminadamente pelos outros 
cinco. ROR. Creio que nisso tens toda a razão. E a verdade 
do que dizes salta especialmente à vista no fabrico de relógios 
que atingiu já um grau de perfeição superior ao que lhe teria sido 
[77 ] 
A dMsão do 
trabalho é a 
grande causa do 
aumento da sua 
capacidade 
produtiva, 
como melhor se 
pode 
compreender 
apor/ir 
dum exemplo 
específico, 
Poderão compreender-se melhor os efeitos da divisão 
do trabalho sobre a actividade geral da sociedade, consi-
derando a forma como ela actua em algumas indústrias 
especificas. Admite-se, em geral, ser ela levada mais 
longe em algumas artes insignificantes; não talvez porque 
o seja mais do que noutros de maior importância mas, 
nessas artes insignificantes que se destinam a suprir as 
pequenas necessidades de um reduzido núm~ro de pess~as, 
o número total de trabalhadores é necessanamente balXo; 
e é muitas vezes possível juntar na mesma oficina todos 
os que se ocupam das diferentes fases do trabalho, de 
modo que se apresentam simultaneamente à vista do 
espectador. Pelo contrário, nas grandes indústrias que se 
destinam a suprir as grandes necessidades de um elevado 
número de pessoas, cada fase do trabalho emprega um 
tão grande número de operários que é impossível reu-
ni-los todos na mesma oficina. Raramente podemos ver, 
de uma só vez, mais do que os que se ocupam de uma 
única tarefa. Portanto, embora nessas indústrias 3 o tra-
balho possa, na realidade, estar dividido num muito 
maior número de tarefas do que o verificado nas mais 
insignificantes, a divisão não se torna tão óbvia e tem, 
por isso mesmo, sido muito menos observada. 
possível alcançar se toda a actividade tivesse continuado entregue 
a uma só pessoa; e estou convencido de que a profusão de relógios 
de todos os tipos de que dispomos, bem como a sua precisão e 
beleza, se devem principalmente à divisão dessa arte em grande 
número de tarefas». No índice remissivo aparece: «Trabalho, 
Da vantagem de o dividir e subdividir». Joseph Harris, Essay 
upon Money and Coins, 1757, parte I, § 12, trata da (~utilidade dos 
ofícios distintos», ou das «vantagens para a humantdade de uns 
se ocuparem de uns trabalhos, outros de outros», mas não usa 
a expressão «divisão do trabalho»]. 
• [Na primeira edição lê-se «acréscimos»]. 
[Na primeira edição lê-se: «Embora nelas»]. 
[78 ] 
Tomemos, portanto 4, um exemplo de uma manu-
factura insignificante, mas na qual a divisão do trabalho 
tem sido frequentemente notada, o fabrico de alfinetes; 
um operário não treinado nesta actividade (que a divisão 
do trabalho tornou num ofício distinto) 5, e que não 
soubesse trabalhar com as máquinas nela utilizadas 
(para cuja invenção a divisão do trabalho provavelmente 
contribuiu), mal poderia talvez, ainda que com a maior 
diligência, produzir um alfinete num dia e não seria, 
com certeza, capaz de produzir vinte. Mas, da forma como 
esta actividade é actualmente levada a cabo, não só 
o conjunto do trabalho constitui uma arte especifica 
como a maior parte das fases em que está dividido cons-
tituem de igual modo ofícios especializados. Um homem 
puxa o arame, outro endireita-o, um terceiro corta-o, 
um quarto aguça-o, um quinto afia-lhe o topo para rece-
ber a cabeça; o fabrico da cabeça requer duas ou três 
operações distintas; a sua colocação é um trabalho espe-
cializado como o é também o polimento do alfinete; 
até mesmo a disposição dos alfinetes no papel é uma arte 
independente; e a importante actividade de produ~ir 
um alfinete é, deste modo, dividida em cerca de dezoito 
operações distintas, ~s quais, nalgumas fábricas, são 
todas executadas por operários diferentes, embora noutras 
um mesmo homem realize, por vezes, duas ou três dentre 
elas 6. Eu próprio vi uma pequena fábrica deste tipo, 
l [Uma outra razão, e talvez mais importante, para utilizar 
o exemplo que segue consiste na possibilidade de demonstrar a 
vantagem da divisão do trabalho sob forma estatística]. 
5 [Este parênteses só por si bastaria para mostrar que estão 
errados os que julgam que Smith não incluiu a distinção entre 
empregos na «divisão do trabalho»]. 
o [Nas Lições de Adam Smith, p. 164, a actividade é, tal 
como aqui, dividida em dezoito operações. Não há dúvida de 
que este número foi tirado da Encyclopédie, tomo V (publicado em 
[79 ] 
como o fabrico 
de alfinetes. 
o efeito 
é semelhante em 
todos os ofícios 
e também na 
divisão dás 
profissões. 
que empregava apenas dez homens e onde, por conse-
quência, vários deles executavam duas ou três operações 
distintas. Mas, embora fossem muito pobres e não se 
encontrassem, por isso, muito bem apetrechados com a 
maquinaria necessária, eram capazes de produzir entre 
eles, quando nisso se empenhavam, cerca de doze libras 
de alfinetes num dia. Numa li-~ra hj. mais de quatro mil 
alfinetes de tamanho médio. (~~A.sslm, }.queles dez homens 
produziam em conjunto l:liáisde quarenta e oito mil 
alfinetes num dia. (Ássilli, cada homem, contribuindo 
com uma décima pàrteao total, produziria quatro mil 
e oitocentos alfinetes num dia. Mas, trabalhassem eles 
em separado e independentemente uns dos outros;' e sem 
que nenhum tivesse sido treinado nesta actividade peculiar, 
nenhum deles teria sido capaz de produzir vinte alfineteSC--
por dia, talvez até nem um; quer dizer, nem um duzentos 
e quarenta avos, talvez nem a quatrimilésima octocentésima 
parte daquilo que actualmente são capazes de produzir, 
graças à divisão e combinação adequadas das diferentes 
tarefas. 
Em todas as artes e indústrias, os efeitos da divisão 
do trabalho são semelhantes aos que se verificam nesta 
actividade tão insignificante, embora, em muitas delas, as 
tarefas não possam ser tão subdivididas, nem reduzidas 
a tão grande simplicidade. Contudo, a divisão do trabalho 
ocasiona em todas as artes, na medida em que é possível 
introduzi-la, um acréscimo proporcional