manual básico de indicadores de produtividade 2017 CBIC
202 pág.

manual básico de indicadores de produtividade 2017 CBIC


DisciplinaConcreto I7.631 materiais60.589 seguidores
Pré-visualização38 páginas
MANUAL BÁSICO DE 
INDICADORES DE 
PRODUTIVIDADE NA 
CONSTRUÇÃO CIVIL 
VOLUME 1
RELATÓRIO 
COMPLETO
correalização realização
MANUAL BÁSICO DE 
INDICADORES DE 
PRODUTIVIDADE NA 
CONSTRUÇÃO CIVIL 
VOLUME 1
RELATÓRIO 
COMPLETO
FICHA TÉCNICA
Realização 
Câmara Brasileira da Indústria da Construção - CBIC 
José Carlos Rodrigues Martins 
Presidente 
Coordenação 
Roberto Sérgio Oliveira Ferreira 
Presidente da Comissão de Políticas e Relações 
Trabalhistas-CPRT
Líder do Projeto 
João Batista Cavalcante de Vasconcelos 
Sinduscon-BA
Gestão do Projeto 
Gilmara Dezan 
Assessora da Comissão de Políticas e Relações 
Trabalhistas-CPRT
Consultoria Especializada 
Ubiraci Espinelli Lemes de Souza 
Consultor, Engenheiro e Professor da Escola 
Politécnica da USP
Felipe Germano Morasco 
Guilherme Nicacio Brito Ribeiro
Comunicação Social 
Doca de Oliveira 
Coordenadora de Comunicação
Correalização 
Serviço Social da Indústria-SESI-DN
Edição 
Gadioli Branding 
Projeto Gráfico
Samuel Harami 
Diagramação e finalização
Cristiane Sampaio 
Revisão
Iza Antunes Araújo 
Ficha catalográfica (catalogação-na-publicação)
MANUAL BÁSICO DE INDICADORES DE 
PRODUTIVIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL 
VOLUME 1 - RELATÓRIO COMPLETO
Brasília-DF, maio de 2017
Câmara Brasileira da Indústria da Construção - CBIC 
SBN - Quadra 01 - Bloco I 
Ed Armando Monteiro Neto, 3º e 4º andar 
CEP: 70040-913 
Telefone: (61) 3327-1013 
www.cbic.org.br - www.facebook.com/cbicbrasil
MANUAL BÁSICO DE 
INDICADORES DE 
PRODUTIVIDADE NA 
CONSTRUÇÃO CIVIL 
VOLUME 1
correalização realização
RELATÓRIO 
COMPLETO
SUMÁRIO
1 Contextualização, objetivo e método do estudo -------------------------------------------------------------
2 Conceituação de produtividade ----------------------------------------------------------------------------------------------
2.1 Conceituando produtividade-------------------------------------------------------------------------------------------
 2.1.1 Indicadores para o estudo de produtividade --------------------------------------------------
 2.1.1.1 Mão-de-obra ----------------------------------------------------------------------------------------
 2.1.1.2 Materiais ------------------------------------------------------------------------------------------------
 2.1.2 Determinantes da produtividade -----------------------------------------------------------------------
3 Visão básica das fôrmas -------------------------------------------------------------------------------------------------------------
3.1 O serviço de fôrmas ------------------------------------------------------------------------------------------------------------
3.2 Composições unitárias para as fôrmas | Estrutura convencional ---------------------------
 3.2.1 Fabricação -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 3.2.2 Montagem/desmontagem -----------------------------------------------------------------------------------
3.3 Composições unitárias para as fôrmas | Estrutura com paredes e lajes de 
concreto armado ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 3.3.1 Montagem/desmontagem -----------------------------------------------------------------------------------
4 Visão básica da armação -----------------------------------------------------------------------------------------------------------
4.1 O serviço de armação --------------------------------------------------------------------------------------------------------
4.2 Composições unitárias para armação | Estrutura convencional ----------------------------
 4.2.1 Fabricação - Corte e dobra de aço ----------------------------------------------------------------------
 4.2.2 Montagem de armadura ---------------------------------------------------------------------------------------
4.3 Composições unitárias para armação | Estrutura com paredes e lajes de 
concreto armado ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 4.3.1 Montagem da armadura ---------------------------------------------------------------------------------------
5 Visão básica da concretagem ---------------------------------------------------------------------------------------------------
 5.1 O serviço de concretagem ----------------------------------------------------------------------------------------------
5.2 Composições unitárias para concretagem | Estrutura convencional -------------------
 5.2.1 Concretagem de pilares -----------------------------------------------------------------------------------------
 5.2.2 Concretagem de vigas e lajes -------------------------------------------------------------------------------
5.3 Composições unitárias para concretagem | Estrutura com paredes e lajes de 
concreto armado ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
5.3.1 Concretagem de paredes e lajes (sistema de fôrmas manuseáveis) -----------------
12
16
16
16
17
17
18
22
22
23
23
24
 
28
28
32
32
32
33
34
 
35
35
42
42
42
42
43
 
45
45
S
U
M
Á
R
IO
6
S
U
M
Á
R
IO
7
6 Método para auxiliar a programação do trabalho de execução de estruturas 
de concreto armado -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
7 Estudo de caso 1 \u2013 edifício com estrutura de concreto armado convencional -----
 7.1 Informações sobre o produto ----------------------------------------------------------------------------------------
 7.1.1 Visão geral do produto | Arquitetura ------------------------------------------------------------------
 7.1.2 Visão geral do produto | Estrutura ----------------------------------------------------------------------
 7.1.3 Imagem da obra -------------------------------------------------------------------------------------------------------
 7.2 Informações sobre o processo ---------------------------------------------------------------------------------------
 7.3 Visão analítica do produto ----------------------------------------------------------------------------------------------
 7.4 Definição do plano de ataque ----------------------------------------------------------------------------------------
 7.4.1.1 Reaproveitamento das fôrmas --------------------------------------------------------
 7.4.1.2 Divisão dos jogos de fôrma por região -----------------------------------------
 7.5 Definição do plano de ataque ----------------------------------------------------------------------------------------
 7.5.1 Visão agrupada | Fôrmas ----------------------------------------------------------------------------------------
 7.5.1.1 Quantidade de serviço e fatores por parte ----------------------------------
 7.5.1.2 Escolha de RUP e CUM e cálculo da demanda por mão de 
 obra e materiais -----------------------------------------------------------------------------------
 7.5.1.3 Dimensionamento das equipes ------------------------------------------------------
 7.5.1.3.1 Ajuste no cálculo das demandas de mão de obra -
 7.5.1.3.2 Cálculo do número de funcionários ---------------------------
 7.5.1.3.3 Postura sugerida para o estudo de caso -------------------
7.5.2 Visão agrupada | Armação --------------------------------------------------------------------------------------------
 7.5.2.1 Quantidade de serviço e fatores por parte ----------------------------------
 7.5.2.2 Escolha de RUP e CUM e cálculo da demanda por mão de 
 obra e materiais -----------------------------------------------------------------------------------
 7.5.2.3 Dimensionamento das equipes ------------------------------------------------------
 7.5.2.3.1