A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
Anatomia dos animais de produção I

Pré-visualização | Página 8 de 13

fileiras, uma proximal e outra distal. A 
fileira proximal articula-se com o rádio no eqüino e, nas demais espécies com o rádio e ulna. A 
fileira distal se articula com os ossos metacarpianos. 
Fileira proximal: carpo radial, intermédio, ulnar e acessório (mais lateral e caudal). 
Fileira distal: composta de 3 ou 4 ossos, sendo o primeiro carpiano inconstante no eqüino e o 
terceiro o mais desenvolvido. 
Bovino: são 6 ossos apresentando na fileira distal apenas 2 ossos, pois há uma fusão entre o 
segundo e o terceiro carpiano. 
Suíno: são 8 ossos, sendo que na fileira distal teremos desenvolvido do segundo ao quarto 
carpiano. 
 
METACARPO 
No eqüino existem três ossos metacarpianos, sendo que somente um, o terceiro ou grande 
metacarpiano, é completamente desenvolvido e suporta o dedo, os outros (segundo e quarto) são 
muito reduzidos e são comumente chamados de pequenos metacarpianos. Apresenta dois 
côndilos distais e a superfície articular proximal é de formato oval. 
No bovino existem dois dedos desenvolvidos, terceiro e quarto, sendo o segundo e quinto 
vestigiais (possuem somente a porção córnea) e estão situados na face palmar da falange 
proximal, não se articulando com o restante do esqueleto. 
 35
No suíno existem quatro dedos desenvolvidos, mas apenas dois tocam o solo (terceiro e quarto 
metacarpianos). 
 
 
 
DEDO 
Constituído por: 
Falange proximal ou primeira falange: é o menor osso longo, na extremidade distal apresenta 
côndilos que se articulam com falange média e na extremidade proximal articula-se, na face 
palmar, com os ossos sesamóides proximais. 
Falange média ou segunda falange: está situada entre as falanges proximal e distal. É achatada 
no sentido dorso-palmar e sua largura é proporcional a altura. 
Falange distal ou terceira falange: acha-se envolvida pelo casco, com o qual se assemelha. 
Apresenta três faces: articular, parietal e solar. 
Sesamóides proximais: são em número de dois para cada metacarpiano (no bovino são 4), 
localizados na face palmar da articulação do grande metacarpiano com falange proximal. 
Sesamóide distal ou osso navicular (particular do eqüino): é um osso único, localizado na 
junção da falange média com a falange distal, articulando-se com ambas. É sempre um para cada 
dedo desenvolvido, exemplo bovino apresenta 2 distais e o suíno também, pois apenas 2 dedos 
encostam no solo. 
 
ARTROLOGIA 
 
SISSARCOSE: fixação da escápula na parede lateral do tórax por meio de músculo. 
1) Articulação umeral ou do ombro: entre a cavidade glenóide da escápula com a cabeça 
do úmero. A cápsula é reforçada por ligamentos, que são de difícil visualização. É do 
tipo sinovial esferóide, realizando todos os movimentos possíveis. Reforçada pelo tendão 
do músculo bíceps braquial. 
2) Articulação úmero-rádio-ulnar ou do cotovelo: entre os côndilos do úmero + 
cavidades glenóides do rádio+chanfradura semi-lunar da ulna. É do tipo sinovial 
gínglimo, apresenta ligamentos fortes e faz flexão e extensão. 
 36
3) Articulação do carpo: extremidade distal do rádio, ossos do carpo e extremidade 
proximal do metacarpo. Tipo sinovial gínglimo entre o radio e o carpo e entre o carpo e o 
metacarpo. Entre os ossos do carpo é do tipo sinovial plana. 
4) Articulações metacarpo falangeana ou BOLETO: extremidade distal do metacarpo e 
extremidade proximal da falange proximal e sesamóides proximais. Os sesamóides 
proximais articulam-se com a face palmar da extremidade distal do metacarpo. Tem 
função de manter o dedo ereto, fazendo com que o animal sustente na extremidade distal 
do dedo. Tipo sinovial gínglimo. 
5) Articulação interfalangeana proximal ou QUARTELA: entre a extremidade distal da 
falange proximal e a extremidade proximal da falange média. Sinovial do tipo gínglimo 
movimentos angulares. 
6) Articulação interfalangeana distal ou CASCO: extremidade distal da falange média e 
superfície articular da falange distal e osso sesamóide distal (navicular no eqüino). 
Sinovial gínglimo. 4, 5 e 6 articulação do DEDO. 
** Aparelho de Sustentação ou apoio da mão: formado por vários ligamentos que 
reforçam as articulações entre os metacarpianos, boleto, quartela e casco. Um dos mais 
importantes é o ligamento suspensório ou tendão interósseo, que passa no espaço 
interósseo dos metacarpianos (face palmar do dedo), nas laterias dos ossos sesamóides 
proximais, chegando na face dorsal do dedo no processo do extensor da falange distal. Três 
tendões também são importantes: tendão do músculo extensor digital, que passa na face 
dorsal; tendão do músculo flexor digital superficial e tendão do músculo flexor digital 
profundo, que passam na face palmar do dedo, sobre o ligamento suspensório. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
** *
*
 
1 
2 
 
 1 ombro 
2 cotovelo 
3 mão 
4 4 dedo 
3 
 
Boleto Quartela Casco 
 37
MIOLOGIA 
 
1) Músculos que fixam o membro torácico ao tórax e pescoço: 
 
 
 
5 trapézio cervical, 5’ trapézio torácico, 6 serrato ventral cervical, 6’ serrato ventral 
torácico, 7 grande dorsal, 9 e 10 braquiocefálico, 23 peitorais. 
 
2) Músculos do braço: são músculos localizados na face lateral e medial da região da escápula e 
úmero. São músculos que fixam o ombro e o braço. 
3) Músculos do antebraço: os que se localizam crânio-lateralmente são chamados de extensores 
e os que se localizam médio-caudalmente são chamados de flexores. 
 
 
 Vista lateral do membro torácico esquerdo do 
eqüino: 
 1 cartilagem da escápula 
2 espinha da escápula 
4 músculo supraespinhal 5 músculo infraespinhal 6 músculo redondo menor 
 7 músculo deltóide 
 9 músculo tríceps braquial – cabeça longa 
 10 músculo tríceps braquial – cabeça lateral 
11 músculo bíceps braquial 
12 músculo braquial 13, 14 e 19 músculos extensores do antebraço 
 
 
 38
MTD
eqüino
MTD
eqüino
 
 
 
 
 
 
Vista medial do membro torácico direito do 
scápula 
maior 
 cabeça medial 
fáscia antebraquial 
-20 músculos flexores do antebraço 
eqüino: 
 1 cartilagem da escápula 
 2 superfícies serratas da e
 
3 músculo subescapular 
 
5 músculo supraespinhal 
 
6 músculo redondo 
 
7 músculo peitoral 
8 músculo tríceps braquial – cabeça longa 
 9 músculo tríceps braquial –
 10 músculo bíceps braquial 
 
11 músculo coracobraquial 
 
12 músculo tensor da 
 
13 músculo braquial 
 
17
 
 
.2 MEMBRO PÉLVICO
 
6 
STEOLOGIA 
ides. Está ligado ao esqueleto axial através do osso coxal que se articula com o osso 
acro. 
a
rticula com a cabeça do fêmur. 
te. No ângulo medial situa-se a tuberosidade 
 oposto. Apresenta em cada lado uma 
apresenta diferenças notáveis entre 
s dois sexos e entre as espécies quanto ao tamanho e forma. 
 
 
O
 
 É constituído dos ossos: coxal, fêmur, tíbia, fíbula, patela, tarso, metatarso, falanges e 
sesamó
s
 
COXAL 
Está unido ao longo da linha medi na ventral pela sínfise pélvica que por sua vez, é formada 
pelas sínfises púbica e isquiática. Compõe-se de três partes: ílio, ísquio e púbis que se unem 
para formar uma grande cavidade cotilóide, acetábulo, que se a
Esses ossos se fusionam ao redor de um ano de idade no eqüino. 
Ílio – é a maior das três partes, situada dorsalmen
sacral e no ângulo lateral, a tuberosidade coxal. 
Ísquio – forma a parte caudal da parede ventral ou assoalho da pelve óssea. A borda caudal é 
espessa e forma o arco isquiático, juntamente com o lado
tuberosidade isquiática, que nos bovinos é tri facetada. 
Púbis – é a menor das três partes do osso coxal. Forma a parte cranial do assoalho pélvico. 
*** Pelve ou Cavidade Pélvica – a parede dorsal ou “teto” está formado pelo sacro e pelas 
primeiras três vértebras caudais e a parede ventral ou “assoalho” pelo púbis