Sistema digestório
4 pág.

Sistema digestório

Pré-visualização2 páginas
ANATOMIA MOORE \u2013 S DIGESTÓRIO
PERITÔNIO E CAVIDADE PERITONEAL: 
· O peritônio é uma M serosa, transparente, contínua, brilhante e escorregadia. Reveste a cavidade abdominopélvica e recobre as vísceras 
· Parietal: tem a mesma vasculatura sanguínea e linfática, mesma inervação somática que a região da parede que reveste -> sensível à P, dor, calor, frio, laceração -> dor localizada -> reveste a face interna da parede abdominopélvica 
· Visceral: mesma vasculatura sanguínea e linfática e inervação visceral -> insensível à dor, calor, frio, laceração e P, estimulado por distensão e irritação química -> dor mal localizada -> reveste vísceras como: estômago e intestino 
· Os órgãos intraperitoneais são quase completamente cobertos por peritônio visceral -> os órgãos são invaginados para o saco fechado, como ao pressionarmos a mão fechada contra uma bola de aniversário cheia 
· Órgãos extraperitoneais, retroperitoneais e subperitoneais: situados fora da cavidade peritoneal -> parcialmente cobertos por peritônio 
· Cavidade peritoneal: está dentro da cavidade abdominal e continua inferiormente até a cavidade pélvica -> espaço P com espessura capilar, situado entre as lâminas parietal e visceral do peritônio -> contém o líquido peritoneal que é composto por água, eletrólitos e outras substâncias derivadas do líquido intersticial adjacente que lubrifica as faces peritoneais, permitindo que as vísceras movimentem-se umas às outras sem A e permitindo os movimentos de digestão; possui leucócitos e ac -> os vasos linfáticos absorvem o líquido peritoneal -> completamente fechada nos homens e nas mulheres há uma comunicação com o exterior do corpo através das tubas uterinas, cavidade uterina e vagina 
· Embriologia: no início de seu desenvolvimento, a cavidade é revestida por mesoderma (precursor do peritônio) e, depois, sua cavidade abdominal primordial se torna revestida por peritônio parietal derivado do mesoderma, que forma um saco fechado -> o lúmen do saco peritoneal é a cavidade peritoneal -> à medida que os órgãos se desenvolvem, eles invaginam em saco peritoneal, adquirindo um revestimento, o peritônio visceral -> quando os órgão se invaginam para o saco peritoneal, seus vasos e nn. permanecem conectados às suas fontes, de modo que essas estruturas de conexão situam-se entre as lâminas que formam seu mesentério -> à medida que os órgãos crescem, diminuem o tamanho da cavidade até que seja um espaço virtual entre as lâminas parietal e visceral do peritônio. Essas lâminas se fundem formando a fáscia de fusão, um plano de tecido conjuntivo que estão localizados os nn. e vasos do colo descendente
· Formação peritoneal: 
· A cavidade peritoneal abriga uma extensão do intestino
· São necessárias extensas A de continuidade entre o peritônio parietal e visceral para dar passagem às estruturas neurovasculares da parede do corpo até as vísceras 
· Os peritônios que revestem a cavidade peritoneal internamente têm uma A de S muito maior que a face externa do corpo 
· Mesentério: lâmina dupla de peritônio formada por invaginação do peritônio por um órgão e é continuidade dos peritônios visceral e parietal -> constitui um meio de comunicação neurovascular entre o órgão e a parede do corpo -> possui um cerne de tecido conjuntivo que contém sangue, vasos linfáticos, nn., linfonodos e gordura 
· Omento: extensão ou prega de peritônio em 2 camadas que vai do estômago e da parte proximal do duodeno até os órgãos adjacentes na cavidade abdominal 
· Maior: prega peritoneal proeminente que tem 4 camadas e pende como um avental da curvatura maior do estômago e da parte proximal do duodeno -> desce e dobra-se de volta e fixa-se a face anterior do colo transverso e seu mesentério 
· Menor: prega peritoneal muito menor, dupla, que une a curvatura menor do estômago e a parte proximal do duodeno ao fígado -> une o estômago a uma tríade de estruturas que seguem entre o duodeno e o fígado na margem livre do omento menor 
· Ligamento peritoneal: dupla camada de peritônio que une um órgão a outro ou à parede do abdome 
· Fígado está ligado à parede A do abdome pelo ligamento falciforme -> ao estômago pelo ligamento hepatogástrico -> ao duodeno pelo ligamento hepatoduodenal 
· Estômago está ligado à face inferior do diafragma pelo ligamento gastrofrênico -> ao baço pelo ligamento gastroesplênico -> ao colo transverso pelo ligamento gastrocólico 
· Prega peritoneal: reflexão do peritônio elevada da parede do corpo por vasos sanguíneos, ductos e ligamentos formados por vãos fetais 
· Fossa peritoneal: bolsa de peritônio formada por uma prega peritoneal 
· Subdivisões da cavidade peritoneal: 
· Bolsa omental: cavidade extensa, semelhante a um saco, situada posteriormente ao estômago, omento menor e estruturas adjacentes -> o recesso S é limitado superiormente pelo diafragma e camadas P do ligamento coronário do fígado e recesso inferior entre as partes S das camadas do omento maior -> permite o livre movimento do estômago sobre as estruturas P e inferiores a ela, pois as paredes A e P da bolsa deslizam uma sobre a outra -> comunica-se com a cavidade peritoneal pelo forame omental, uma abertura situada posteriormente à margem livre do omento menor (ligamento hepatoduodenal). Esse forame é limitado por: 
· Anteriormente: ligamento hepatoduodenal, contendo a v. porta, a. hepática e ducto colédoco 
· Posteriormente: a VCI e uma faixa muscular, o pilar direito do diafragma, cobertos anteriormente por peritônio visceral 
· Superiormente: o fígado, coberto por peritônio visceral 
· Inferiormente: parte S do duodeno 
ESÔFAGO: 
· Constrição C (esfíncter S do esôfago): no início há a J faringoesofágica, causada pela parte cricofaríngea do m. constritor inferior da faringe 
· Contrição bronco aórtica (T): contrição combinada no local onde ocorre 1º o cruzamento do arco da aorta e depois o cruzamento pelo brônquio principal E
· Contrição diafragmática: local onde atravessa o hiato esofágico do diafragma 
· Segue a curva da coluna vertebral ao descer através do pescoço e mediastino 
· Tem lâminas musculares circulares internas e longitudinais externas 
· Atravessa o hiato esofágico no pilar muscular D do diafragma 
· Termina entrando no estômago através do óstio cárdico do estômago 
· Circundado pelo plexo N esofágico 
· Fixado às margens do hiato esofágico no diafragma pelo ligamento frenoesofágico, uma extensão da face diafragmática inferior que permite o movimento independente do diafragma e do esôfago na respiração e deglutição 
· Parte abdominal: vai do hiato esofágico ao óstio cárdico do estômago -> a face A é coberta por peritônio da cavidade peritoneal, a face P é coberta por peritônio da bolsa omental -> a margem D é contínua com a curvatura menor do estômago e a E é separada do fundo gástrico pela incisura cárdica 
· J esofagogástrica: linha irregular que há mudança abrupta para a mucosa gástrica 
ESTÔMAGO: 
· Cárdia: parte que circunda o óstio cárdico, abertura S do estômago 
· Fundo gástrico: parte S dilatada que está relacionada com a cúpula E do diafragma limitada inferiormente pelo plano horizontal do óstio cárdico 
· Corpo gástrico: entre o fundo e o antro -> principal 
· Parte pilórica: antro pilórico ao canal pilórico 
· Curvatura menor e curvatura maior 
· Pregas gástricas: + acentuadas na direção pilórica e ao longo da curvatura maior 
· Coberto por peritônio, exceto onde há vasos sanguíneos e numa pequena parte do óstio cárdico 
· Anteriormente: diafragma, lobo hepático E e parede do abdome 
· Posteriormente: bolsa omental e pâncreas 
· O colo transverso tem relação lateral e inferior com o estômago e segue ao longo da curvatura maior até a flexura E do colo 
DUODENO: 
· Trajeto em forma de C ao redor da cabeça do pâncreas -> começa no piloro e termina na flexura duodenojejunal 
· A maior parte está fixada por peritônio a estruturas na parede P do abdome e é considerada retroperitoneal 
· Parte S: superposta ao fígado e a vesícula biliar -> o peritonio cobre sua face A -> o ligamento hepatoduodenal fixado superiormente e o omento