Hemoterapia e Banco de Sangue na Veterinária
44 pág.

Hemoterapia e Banco de Sangue na Veterinária

Pré-visualização2 páginas
BANCO DE SANGUE 
VETERINÁRIO 
(IMPLANTAÇÃO E CUIDADOS 
COM O DOADOR) 
MARCIO MOREIRA
SANIMVET
UNVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI
INTRODUÇÃO
\u25aa Avanço nos últimos 30 anos
\u2022 Bolsas plásticas múltiplas
\u2022 Máquinas processadoras de sangue
\u2022 Fracionamento do sangue
Tratamento suporte emergencial até que a 
doença de base seja diagnosticada e tratada, pois 
envolve riscos de reações
OBJETIVOS DO BANCO DE SANGUE VETERINÁRIO
\u25aa Seleção de cães e gatos doadores 
\u25aa Tipagem sanguínea
\u25aa Teste de Compatibilidade
\u25aa Coleta de bolsas
\u25aa Sangue Total 
\u25aa Hemocomponentes
\u25aa Transfusão sanguínea
\u25aa Monitoramento da transfusão
\u25aa Reações transfusionais
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
\u25aa DESAFIO DE CAPTAÇÃO DE DOADORES
Aspectos físicos:
\u2713 Idade entre 1 a 7 anos (CÃES)
\u2713 Idade entre 1 e 8 anos (FELINOS)
\u2713 Cães + 25 Kg e gatos + 4,0 Kg (cuidado com animais obesos)
\u2713 Clinicamente saudáveis
\u2713 Vacinados e vermifugados
\u2713 Temperamento dócil
\u2713 Sedação: cães x gatos
Exame Clínico
Anamnese e exame físico
\u2022 Obs: Animais que receberam transfusão sanguínea
ou que passaram por procedimento cirúrgico
recente não podem doar sangue. Preferência por
fêmeas nulíparas.
\u25aa DESAFIO DE CAPTAÇÃO DE DOADORES
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
Resort dos Cães \u2013 Santo André/SP Diversas Unidades do Petz \u2013 SP
Parque Villa Lobos - SPLojas Dog\u2019s Day
\u25aa DESAFIO DE CAPTAÇÃO DE DOADORES
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
Mais de 80% dos tutores aderem ao programa
\u25aa EXAMES DE TRIAGEM
CUIDADOS COM OS DOADORES
CANINOS E FELINOS
\u25aa EXAMES DE TRIAGEM
CUIDADOS COM OS DOADORES
CANINOS E FELINOS
\u25aa Hemograma e contagem plaquetária
\u25aa Pesquisa de hematozoários: Babesia sp, Ehrlichia sp, 
Mycoplasma spp e Anaplasma platys
\u25aa Dosagens bioquímicas:
Perfis Renal e Hepático; Colesterol e Glicemia
\u25aa Anticorpos contra Ehrlichia canis, Ehrlichia ewingii, Borrelia
burguidorferi, Leishmania infantum, Anaplasma platys e Anaplasma
phagocytophilum
\u25aa Cultura para Brucella sp e pesquisa de antígenos de Dirofilaria
immitis
\u25aa Felinos: FIV, Felv, PIF, livre de infecção por Mycoplasma spp
\u25aa EXAMES DE TRIAGEM
CUIDADOS COM OS DOADORES
CANINOS E FELINOS
RIFI positiva para anticorpos contra Leishmania sp
Fonte: Hovet A M, 2007 Teste rápido
\u25aa EXAMES DE TRIAGEM
CUIDADOS COM OS DOADORES
CANINOS E FELINOS
Total de 419 doadores caninos
Machos: 228 animais
Fêmeas: 191 animais
média de idade 2,7 anos
Reagentes para Ehrlichia canis: 27 animais
Reagente para Anaplasma sp: 1 animal
Total de reagentes 6,7%
Resultados parciais SANIMVET 2017
\u25aa COLETA DAS BOLSAS (CANINOS)
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
\u25aa Coleta por gravidade
\u25aa COLETA DAS BOLSAS (caninos)
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
\u25aa Coleta com 
câmara de vácuo
\u25aa COLETA DAS BOLSAS (FELINOS)
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
\u25aa COLETA DAS BOLSAS (felinos)
SELEÇÃO DE DOADORES 
CANINOS E FELINOS
Butorfanol 0,3 a 0,5 mg/kg/IM
Midazolan 0,5 mg/Kg/IM
Cetamina 5 mg/kg/IM
IMPLANTAÇÃO DOS BANCO DE SANGUE
HEMOCOMPONENTES
Abrams-Ogg, ACG, Kruth, SA, Carter, RF et al. 1993. Preparation and transfusion of canine platelet
concentrates. Am J Vet Res 54: 635-642.
BRASIL, Ministério da Saúde. Regulamento Técnico de Procedimentos Hemoterápicos. Portaria n.
1.353, de 13.06.2011 - DOU 1 de 14.06.2011.
Fonte: Hovet A M, 2012 
Fonte: Hovet A M, 2013 
Fonte: Hovet A M, 2013 
AGITADOR 
DE
PLAQUETAS
Fonte: Hovet A M, 2013 
Fonte: Hovet A M, 2012 
IMPLANTAÇÃO DOS BANCO DE SANGUE
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP)
CONTROLE DE QUALIDADE
Hemocomponentes
\u2022 Processamento realizado em circuito fechado
Fonte:Lab. Patologia Clínica HOVET-AM
Fonte:Lab. Patologia Clínica HOVET-AM
Sangue Total Refrigerado
\u2022 Estocado: refrigerado (2-6°C)
Viável por 28-35 dias (se coletado em CPDA-1)
Indicação: apenas para correção de anemia em 
pacientes hipovolêmicos 
Quanto transfundir?
Fator de correção: cão = 90 / gato = 70
Volume de sangue (ml) = Peso receptor x Fator x (Ht desejado \u2013 Ht receptor)
Ht doador
Fonte: Hovet A M, 2007
Concentrado de Hemácias
\u2022 Armazenamento: 1-6°C
\u2022 Validade: 21 a 35 dias
\u2022 anemias (importante estabelecer a causa): erliquiose, doença renal crônica,
síndrome paraneoplásica, entre outras
\u2022 Mesma capacidade de oxigenação com metade do volume \u2013 evita sobrecarga
\u2022 Redução nos níveis de isoaglutinina: menor risco de reações transfusionais
\u2022 Redução nos níveis de citrato e potássio: doentes renais, hepáticos e cardíacos
\u2022 Período de transfusão: máx. 2 horas
\u2022 Quanto transfundir?
(35 \u2013 Ht do animal) x Peso
\u2022 0,25ml/kg/min durante 1 hora
\u2022 4-5ml/kg/h depois da 1ª hora
Concentrado de Plaquetas
\u2022 Usado em casos de trombocitopenia ou trombocitopatia.
\u2022 Armazenamento a temperatura ambiente (20-25ºC).
\u2022 Validade: 5 dias.
\u2022 Constante homogenização leve.
\u2022 Avaliar swirling.
\u2022 Transfusão dura cerca de 1h.
\u2022 Baixo incremento plaquetário (mensurar 1 e 24 horas após a transfusão).
\u2022 Quando transfundir?
\u2022 Transfusão terapêutica: 
- trombocitopenia com sangramento ativo
\u2022 Transfusão profilática:
- contagem plaquetária inferior a 10.000 plaquetas/µL;
- paciente cirúrgico em torno de 50.000-100.000 plaquetas/µL
\u2022 Quanto transfundir?
\u2022 * 1 concentrado de plaquetas para cada 10kg de peso.
Período de transfusão: 1 hora
Fonte: Hovet A M, 2005 
PROCESSAMENTO DAS BOLSAS
\u25aa CONCENTRADO DE PLAQUETAS
\u2022 Armazenamento a temperatura 
ambiente (20-25ºC).
\u2022 Validade: 5 dias.
\u2022 Constante homogenização leve
\u2022 Centrifugação em 3000g por 10
minutos, 20°C
Plasma Fresco Congelado
\u2022 Fresco: até 6 a 8 horas após a coleta 
\u2022 Congelado (-20 C): até 1 ano
* 10 mL/kg a 12 mL/kg \u2013 dependendo da indicação
Indicações
\u2022 Controlar hemorragia ativa ou como profilaxia pré-operatória
\u2022 Coagulopatias hereditárias: doença de Von Willebrand, hemofilia
\u2022 Coagulopatias adquiridas: de insuficiência hepática, deficiência de vitamina K, 
picadas de animais peçonhentos (cobras), neoplasmas, coagulação intravascular 
disseminada, sepse
\u2022 Pancreatite - ????
\u2022 Hipoproteinemia -?????
Quanto transfundir?
Fonte: Hovet A M, 2007 
\u2022 Cães:
\u2022 13 grupos sanguíneos: dog erythrocyte antigen (DEA)
\u2022 8 grupos principais: DEA 1.1, DEA 1.2, DEA 3, DEA 4, DEA 5, DEA 6, DEA 
7, DEA 8
\u2022 Doador universal: negativo para DEA 1.1 e DEA 1.2
\u2022 Múltiplas transfusões \u2013 formação de aloanticorpos (reação hemolítica 
tardia)
Tipos Sanguíneos - Cães
Tipos Sanguíneos - Gatos
\u2022 A, B, AB (sem relação
com o sistema ABO
humano)
\u2022 Tipo A \u2013 Aloanticorpos
contra tipo B;
\u2022 Tipo B \u2013 aloanticorpos
contra tipo A;
\u2022 Tipo AB \u2013 não produz
aloanticorpos;
\u2022 Tipo A: predominante
\u2022 Tipo B: proporção varia
conforme região
geográfica e raça
\u2022 Tipo AB: raro
\u2022 Podem apresentar
anticorpos naturais \u2013
maior risco de reação
transfusional
\u2022 Tipo sanguíneo \u201cMik\u201d
recentemente descoberto
nos EUA
Tipagem Sanguínea - teste de aglutinação
Teste de Compatibilidade
\u25aa DEA 1.1; 3 ; 5; 7
\u25aa Teste maior
\u2022 Soro do receptor x Hemácias do doador
\u2022 Detecta a presença de anticorpos do receptor conta antígenos
eritrocitários do doador.
\u2022 Realizar em três temperaturas (ambiente (anti-DEA 3,4,5,6), 4ºC (anti-
DEA 7) e 37ºC (anti-DEA 1.1 e 1.2)
\u2022 transfundir sangue total ou concentrado de hemácias
\u25aa Teste menor
\u2022 Soro do doador x Hemácias do receptor
\u2022 Detecta presença de anticorpos do doador contra antígenos
eritrocitários do receptor.
\u2022 Feito em casos de transfusão de sangue total.
\u2022 Transfundir grandes volumes de plasma, concentrado de plaquetas e
sangue total
Teste de Compatibilidade
Microscópico
Macroscópico
Fonte: Hovet A M, 2007 
Reações Transfusionais
\u2022 Qualquer efeito colateral decorrente da transfusão, durante ou após
sua administração.
\u2022 Tipagem sanguínea e teste de compatibilidade diminuem o risco de
reações.
\u2022 Ficha de acompanhamento transfusional (fazer aferição antes de
iniciar a transfusão)
\u2022 Exemplos: aumento da temperatura corpórea em mais de 1°C,
tremores, êmese, salivação e alteração do estado de consciência...
Reações Transfusionais - Classificação
\u2022 Imediatas x Tardias