Educação financeira para o público de baixa renda
4 pág.

Educação financeira para o público de baixa renda


DisciplinaSociologia34.989 materiais1.350.365 seguidores
Pré-visualização1 página
ETEC CIDADE DO LIVRO 
 
MARCELO MESSIAS DA SILVA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
MASTERCLASS 
EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA O PÚBLICO DE BAIXA RENDA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Componente: PTCC - Química turma: 3oA 
Professora: Fernanda Vieira Silva 
 Data: 30/04/2018 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lençóis Paulista, 2018 
 
 
1. OBJETIVO 
 
Assistir o vídeo do programa Masterclass de título: Educação financeira para o 
público de baixa renda, e expressar a compreensão e opinião sobre o tema. 
 
2. INTRODUÇÃO 
 
 
Desde cedo, começamos a lidar com uma série de situações ligadas ao dinheiro. 
Para tirar melhor proveito do seu dinheiro, é muito importante saber como utilizá-
lo da forma mais favorável a você. O aprendizado e a aplicação de 
conhecimentos práticos de educação financeira podem contribuir para melhorar 
a gestão de nossas finanças pessoais, tornando nossas vidas mais tranquilas e 
equilibradas sob o ponto de vista financeiro. 
Se pararmos para pensar, estamos sujeitos a um mundo financeiro muito mais 
complexo que o das gerações anteriores. No entanto, o nível de educação 
financeira da população não acompanhou esse aumento de complexidade. A 
ausência de educação financeira, aliada à facilidade de acesso ao crédito, tem 
levado muitas pessoas ao endividamento excessivo, privando-as de parte de sua 
renda em função do pagamento de prestações mensais que reduzem suas 
capacidades de consumir produtos que lhes trariam satisfação. 
Infelizmente, não faz parte do cotidiano da maioria das pessoas buscar 
informações que as auxiliem na gestão de suas finanças. Para agravar essa 
situação, não há uma cultura coletiva, ou seja, uma preocupação da sociedade 
organizada em torno do tema. Nas escolas, pouco ou nada é falado sobre o 
assunto. As empresas, não compreendendo a importância de ter seus 
funcionários alfabetizados financeiramente, também não investem nessa área. 
Similar problema é encontrado nas famílias, onde não há o hábito de reunir os 
membros para discutir e elaborar um orçamento familiar. Igualmente entre os 
amigos, assuntos ligados à gestão financeira pessoal muitas vezes são 
considerados invasão de privacidade e pouco se conversa em torno do tema. 
Enfim, embora todos lidem diariamente com dinheiro, poucos se dedicam a gerir 
melhor seus recursos. 
Talvez esse aparente desinteresse decorra do fato de acharmos que sabemos 
mais sobre o uso do dinheiro do que realmente sabemos, e isso pode trazer a 
falsa sensação de que dominamos os assuntos relacionados à gestão financeira. 
Pesquisas revelam que 3 em cada 4 famílias sentem alguma dificuldade para 
chegar ao fim do mês com seus rendimentos. E você, como lida com seu 
dinheiro? (BCB,2013). 
 
3.MATERIAL 
 
Vídeo do Programa Masterclass, do Centro Paula Souza, veiculado na 
plataforma de vídeos youtube sob o título: Educação financeira para o público de 
baixa renda. 
 
 
 
4.DISCUSSÕES 
 
Quando se fala em especialista em educação financeira, me vem a mente a 
imagem de um indivíduo, tarimbado, com muitos anos de experiência, 
acompanhados de falas complicados, tais como aqueles economistas que 
comentam o cenário atual diante dos fatos do dia no jornalismo televisivo 
tradicional. Foi, impactante, ver meu preconceito, ser confrontado, com o perfil 
visual de Murilo Duarte, e impressionado, com a notória necessidade e 
relevância de seu trabalho neste canal, de certa forma também me senti, 
orgulhoso e satisfeito em conhecer este jovem e importante brasileiro. Sua 
preocupação em simplificar e esclarecer os termos técnicos da economia, assim 
como ele mesmo disse: \u201c...não utilizo o \u201ceconomês\u201d (se referindo a linguagem e 
termos do universo financeiro) ...\u201d, é uma realidade de carência do brasileiro. 
Nesse vídeo do programa Masterclass, o professor Gilson Rede, conversa com 
Murilo Duarte, jovem, morador das periferias de São Paulo, de fala compatível 
com a sua idade, despertou interesse em ajudar pessoas de baixa renda a utilizar 
seu dinheiro de forma inteligentes através da educação, financeira. Formado em 
Ciências contábeis, tendo trabalhado em importantes instituições financeiras, 
Murilo Duarte, fundou em 2019 o canal Favelado Investidor, onde mediante este 
trabalho acabou atingindo diversas partes da sociedade, tanto gente simples e 
com pouco dinheiro, como pessoas com melhor poder aquisitivo. Com palavras 
simples e clareza, Murilo Duarte, ensina a todos, lições básicas de como 
transformar nosso relacionamento com o dinheiro. 
 
As instruções que Murilo trouxe, foram muitos claras e se tão obvias, que parece 
uma imprudência não agirmos conforme elas, embora, como ele mesmo 
comentou, são tarefas, que necessitam de muita força de opinião, disciplina, 
paciência, conhecimento, e para isto é necessário, interesse em estudar e saber 
mais sobre o tema, para termos sucesso na educação financeira. 
As tarefas que ele ensinou, são verdadeiramente difíceis, e para começar de 
forma certa, é necessário, muitas vezes dar uma volta de 180o, abrir mão 
costumes, do consumismo e pensar no futuro, na segurança financeira, nos 
imprevistos e na tranquilidade que isso vai proporcionar. Na verdade, é muito 
bom saber que nossa vida financeira está saudável. 
Umas das coisas que o palestrante colocou, para nossa educação é o exercício 
da necessidade. Em que, quando formos adquirir algo, pararmos e analisarmos 
de realmente, precisamos comprar determinada coisa, e realmente é isso que 
acontece na maioria das vezes, e acredito com grande parte das pessoas. 
Compramos, e logo depois constatamos, que não precisávamos daquilo, quando 
muitas vezes essa compra é feita no cartão de crédito que é um dinheiro, que na 
verdade não temos, podendo se tornar em uma dívida, se não usado de forma 
responsável. Ele colocou que o importante é, ao fazer escolhas, saber distinguir 
desejo de necessidade. Podemos definir necessidade como tudo aquilo de que 
precisamos, independentemente de nossos anseios. São coisas absolutamente 
indispensáveis para nossa vida. Por sua vez, os desejos podem ser definidos 
como tudo aquilo que queremos possuir ou usufruir, sendo essas coisas 
necessárias ou não. Todos nós temos a necessidade de se alimentar. A 
alimentação é indispensável para a vida e independe da nossa vontade. Logo, 
alimentação é uma necessidade. Agora, caso você queira fazer sua alimentação 
em um restaurante de luxo desfrutando de pratos finos, isso é um desejo. Sim, 
você está satisfazendo sua necessidade de alimento, mas a forma como almejou 
satisfazer tal necessidade foi um desejo. 
Usar bem nosso dinheiro depende sempre de um pouco de técnica e de muito 
bom senso. Assim, do mesmo modo, as nossas decisões devem ser baseadas 
tanto nas emoções quanto na razão, aqui também há de se ter bom senso. 
Nossos recursos financeiros devem satisfazer nossas necessidades, mas, na 
medida do possível, podemos atender nossos desejos. Os desejos não são 
ruins. Eles nos dão prazer e determinam aquilo que queremos para o nosso 
futuro. 
 
5. CONCLUSÃO 
Murilo Duarte nos ensinou, que é possível com disciplina e paciência transforma 
nossa realidade financeira, essa é a conclusão. Porém concluir isso não muda 
nada se não tomarmos seu exemplo e atitude como inspiração para transformar 
a nossa realidade e das pessoas que nos cercam. Essa palestra não trouxe para 
mim apenas instruções simplificadas de educação financeira. Trouxe isso sim 
com assunto em questão, mas também nos faz pensar, o quanto a nossa 
transformação pode contribuir para as pessoas que nos cercam, como nossa 
família, nossa comunidade, ou até mesmo pessoas que ainda não conhecemos. 
6. BIBLIOGRAFIA 
\u2022 BCB. Caderno de Educação Financeira Gestão de Finanças 
Pessoais. (BCB,2013) 
\u2022 Masterclass. Publicado pelo canal CETEC. Educação Financeira 
para o público de baixa renda. (youtube.com, 29/04/2020).