taxa de endogamia caprinos no maranhão
26 pág.

taxa de endogamia caprinos no maranhão


DisciplinaMelhoramento Genético Animal366 materiais11.484 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ESTRUTURA GENÉTICA DE CAPRINOS DA RAÇA BOER DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO LUÍS
Discente: jucyara Silva Moraes
Orientadora: Profª. Drª. Marília Albuquerque de Sousa Martins
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO
CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS 
Introdução 
A população mundial de caprinos, era estimada em aproximadamente 715,29 milhões de cabeças( FAO,2011);
O rebanho mundial de caprinos era da ordem de 1.006.785.725 milhões.
Em 2014 
(FAO,2015)
Maior concentração de caprinos nos países em desenvolvimento;
Evolução do rebanho caprino mundial nos últimos anos	
Taxa de crescimento anual da ordem de 1%
Introdução 
Introdução 
Nordeste
Norte
O Brasil apresenta perfil semelhante ao mundial;
Na Região Nordeste a criação é desenvolvida por pequenos criadores, com pouco investimento empresarial;
Normalmente é destinada ao mercado interno;
Crescente interesse pelo leite, couro e carne caprina.
Apesar do grande rebanho caprino da região nordeste, a produção de carne ainda é pequena (SOUSA et al 1997);
Implantação de programas de melhoramento genético.
Introdução 
O conhecimento da estrutura genética de populações é o passo inicial para o processo de melhoramento genético de uma raça. É importante avaliar desde sua distribuição geográfica, forma de acasalamentos e reprodução, além de sua constituição genética, estudando-se com ênfase o processo de formação, seu tamanho efetivo, níveis de endogamia e o intervalo de gerações (PROCÓPIO, 2000). 
Justificativa 
A manutenção da diversidade genética é fundamental para a sobrevivência das populações e, no caso dos programas de melhoramento genético, possibilita maior eficiência na resposta à seleção. Quanto maior a diversidade, mais fácil e rápida será a possiblidade de se obter indivíduos adaptados aos diversos sistemas de produção e ambientes. 
Justificativa 
Determinar a estrutura genética de rebanhos caprinos da raça Boer nos municípios que compõem a região metropolitana de São Luís- MA.
Estimar o Tamanho Efetivo (Ne) de rebanhos caprinos da Raça Boer nos municípios de São Luís e São José de Ribamar; 
Estimar a Taxa de Endogamia (\u394F) de rebanhos caprinos da Raça Boer nos municípios de São Luís e São José de Ribamar;
Caracterizar os sistemas de acasalamento dos rebanhos.
Objetivos 
Geral 
Específicos 
A população caprina, no Brasil, é cerca de 11,7 milhões de cabeças da qual 10,5 milhões (90%) encontram-se nos estados do Nordeste (IBGE 1991);
Caprinocultura no Brasil 
Estes dados caracterizam a concentração dos caprinos nas regiões secas, onde outras espécies têm dificuldades de adaptação.
A área do Nordeste brasileiro equivalente a, aproximadamente, 18% do território nacional;
Caprinocultura no Nordeste
Influência do clima semiárido, forte deficiência hídrica: baixo índice pluviométrico anual
Irregularidade do regime de chuvas; alta taxa de evaporação
(ASA Brasil, 2013)
(EMBRAPA, 2011)
VANTAGENS 
Facilidade de produção a pasto;
Explorada em pequenas áreas;
Baixo impacto ambiental;
Potencial de produção sob condições climáticas variadas e adversas.
DESVANTAGENS 
Baixos índices;
Manejo reprodutivo;
 Reposição de animais no rebanho;
Pastagem e uso de suplementação.
Caprinocultura
A Raça Boer 
Os caprinos Boer são originários da África do Sul;
Resultado do cruzamento:
Caprinos de raças indígenas africanas
Caprinos de raças de origem europeia
O Boer é uma raça de tamanho médio;
Características particulares: Cabeça forte, focinho ligeiramente curvo, narinas amplas, orelhas pendentes, pelagem branca com a cabeça, orelhas e cauda vermelhas (ALMEIDA & SCHWALBACH 2000);
A Raça Boer 
 Animal caprino da raça Boer 
As cabras são boas produtoras de leite;
Excelentes ganhos de peso e com a mortalidade pré-desmama pequena;
Enquanto filhotes, sua taxa de crescimento é rápida, com excelente desenvolvimento físico;
A Raça Boer 
Macho
 118-170 kg
Fêmeas
95-120 kg
Em 4 de julho de 1959 dá-se a fundação da associação Sul-africana de criadores de caprinos Boer, que cria regras e orienta a seleção desta raça, surgindo, então, a denominação \u201ccaprino Boer melhorado\u201d (MALAN 2000; ALMEIDA & SCHWALBACH 2000);
O Boer Melhorado apresenta excelente conformação física, rápido desenvolvimento dos filhotes, alta taxa de fertilidade, pelagem uniforme, rusticidade e boa adaptabilidade.
A Raça Boer 
Falconer e Mackay (1996);
Indicadores de endogamia 
Determinar a estrutura genética 
Tamanho efetivo da população 
Taxa de endogamia
O número de indivíduos de ambos os sexos que estão contribuindo geneticamente numa dada população, isto é, o número efetivo representa a relação entre o número de machos e fêmeas que estão sendo usados na reprodução numa dada população.
Tamanho efetivo (Ne)
TAMANHO EFETIVO
TAXA DE ENDOGAMIA
Pode ser definida como a proporção de heterozigotos existentes que é perdida em cada geração e está relacionada mais ao tamanho efetivo da população do que ao seu tamanho real.
Taxa de endogamia (\u2206F)
Acima de 10%
 Expressão de genes recessivos 
Locos homozigotos 
 Variabilidade genética 
O estudo foi realizado com dados coletados no criatório do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Campus Maracanã e da propriedade Aprisco Bacuris, referentes a rebanhos compostos por caprinos da raça Boer.
Os municípios compõem a microrregião da aglomeração urbana de São Luís- MA. 
Materiais e Métodos 
Local da pesquisa 
Aprisco Bacuris 
IFMA Maracanã
São José de Ribamar
São Luís
Os dados foram coletados a partir de uma pesquisa descritiva e pesquisa de campo;
Aplicação de um questionário semiestruturado;
Subdividido em 5 tópicos, como instalações, rebanho, controle zootécnico, manejo e melhoramento genético.
Materiais e Métodos 
Levantamento de dados 
Tamanho efetivo
 	 
2. Taxa de endogamia 
 
	\u394F = 
Materiais e Métodos 
Análise dos dados 
Fórmulas descritas por Alderson e Bodó (1992)
Onde:
Nm = Número de machos adultos aptos para a reprodução
Nf = Número de fêmeas adultas aptas para a reprodução.
	CRIATÓRIOS
 	IFMA MARACANÃ		APRISCO BACURIS
	Número de machos		2	3
	Número de fêmeas		15	102
	Tamanho Efetivo		7,05	11,65
	Taxa de Endogamia		7,08%	4,28%
Resultados e Discussão
Tabela 1 \u2013 Tamanho Efetivo e Taxa de Endogamia em função de diferentes criatórios
Apesar do satisfatório coeficiente de endogamia, este coeficiente requer monitoramento por sua proximidade do limite recomendável, que é de 10% (FALCONER, 1996). 
O valor do tamanho efetivo encontra-se abaixo do mínimo recomendado pela FAO (50). 
De acordo com Lopes (2005), quanto menor o Ne, maior a Taxa de Endogamia, em virtude da maior utilização dos reprodutores;
Um fator para aumentar o Ne e reduzir a \u2206F é aumentar a relação macho/fêmea e usar os reprodutores em um menor número de anos; 
O Ne é um importante parâmetro populacional que serve de termômetro para avaliar os níveis de endogamia (Resende e Rosa-Perez, 2002).
Resultados e Discussão
Segundo Resende e Rosa-Perez (2002), a endogamia deve ser evitada, pois o aumento da homozigose produz um fenômeno chamado depressão endogâmica;
Diminuição geral das performances médias dos indivíduos;
Compromete o ganho genético pela redução da variabilidade genética;
Sistema de acasalamento: monta natural controlada 
Resultados e Discussão
Com base nos resultados dos criatórios estudados, conclui-se que a Taxa de endogamia dos rebanhos estudados é satisfatório, porém requer monitoramento por se encontrarem próximas ao limite recomendável, sendo o principal indicador o baixo valor do Tamanho Efetivo estimado;
O uso intensivo e prolongado dos reprodutores pode ser a causa determinante do baixo valor estimado do Tamanho Efetivo. 
Conclusão 
 
\u201cMuitas coisas não ousamos empreender por 
parecerem difíceis; entretanto, são difíceis 
porque não ousamos empreendê-las\u201d
 
Sêneca.
Tabela 1 - Efetivo nacional de caprinos no Brasil por região 
Região 2013 
Nordeste 
91,4%