Políticas Educacionais e Organização da Educação Básica - Dra  Mara Cecília Rafael Lopes, Dra
224 pág.

Políticas Educacionais e Organização da Educação Básica - Dra Mara Cecília Rafael Lopes, Dra


DisciplinaPedagogia163.212 materiais916.870 seguidores
Pré-visualização34 páginas
CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
UNIDADE 01 UNIDADE 02
UNIDADE 03
UNIDADE 05
UNIDADE 04
FECHAMENTO
INFORMAÇÕES 
ESTATÍSTICAS,
CONCEITO DE
POLÍTICA 
EDUCACIONAL E A 
INTERPRETAÇÃO DA 
EDUCAÇÃO
8
A EDUCAÇÃO NA 
LEGISLAÇÃO: 
CONSTITUIÇÃO 
FEDERAL 
DE 1988 E LDB DE 1996
36
70
SISTEMA 
EDUCACIONAL 
BRASILEIRO: 
ORGANIZAÇÃO E 
ESTRUTURA
122
AVALIAÇÃO NO 
SISTEMA
EDUCACIONAL 
BRASILEIRO
164
POLÍTICAS 
EDUCACIONAIS NO 
BRASIL
CONTEMPORÂNEO: 
BNCC
209
CONCLUSÃO GERAL
U
N
IC
E
S
U
M
A
R
11
educacionais, precisam de um diagnóstico sobre a educação nacional; assim, as 
propostas para as políticas educacionais são mais assertivas. Para que seus argu-
mentos sobre a educação brasileira tenham validade, mesmo em um debate com 
família ou amigos, devem basear-se em pesquisas e não no senso comum, certo? 
 \u201c
Deve-se destacar que os indicadores sociais têm sido cada vez mais 
utilizados para avaliar a situação da educação no Brasil. Esse uso 
tem sido intensificado nos últimos anos, principalmente por dois 
motivos: primeiro pela ampliação do grau de cobertura em todos 
os níveis de educação no país, fenômeno que exige um acompa-
nhamento sistemático; e segundo pelo aumento de dados disponí-
veis sobre a educação brasileira, principalmente no que se refere à 
qualidade do ensino, formação dos professores e situação física das 
escolas (DIAS JÚNIOR; VERONA, 2010, p. 1).
Os indicadores sociais e os dados estatísticos são utilizados como suporte para 
análises e decisões em políticas educacionais, tanto na elaboração como na re-
formulação, na avaliação e no monitoramento das políticas públicas. Os estudos 
internacionais comparativos estão presentes de forma recorrente nas análises dos 
indicadores nacionais sobre as políticas educacionais.
Nesse sentido, durante nossos estudos, apresentaremos conceitos, análises e 
dados estatísticos como subsídio para o conhecimento da realidade educacional. 
O estudo das políticas educacionais é fundamental a você, enquanto futuro(a) 
professor(a) e como cidadão(ã), no acompanhamento e avaliação da sociedade 
sobre as propostas e a execução das políticas públicas educacionais. 
Caro(a) aluno(a), você sabe que um preceito fundamental da Constituição Fe-
deral de 1988 implica no acesso à informação pública para o seu pleno exercício? 
 \u201c
Artigo 5º [...] XXXIII \u2013 todos têm direito a receber dos órgãos 
públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse 
coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de 
responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível 
à segurança da sociedade e do Estado (BRASIL, 1988).
U
N
ID
A
D
E
 1
12
O mesmo inciso determinou, ainda, a criação de uma lei para regulamentar o refe-
rido direito, o que só ocorreu em 2011, fruto de muitas reivindicações da sociedade 
civil. Somente em 2012, foi instituída a Infraestrutura Nacional de Dados Abertos 
(Inda), como \u201cpolítica para garantir e facilitar o acesso pelos cidadãos, pela socieda-
de e, em especial, pelas diversas instâncias do setor público aos dados e informações 
produzidas ou custodiadas pelo Poder Executivo Federal\u201d (BRASIL, 2012a, on-line), 
estabelecendo como objetivos, conforme Art. 1º do referido documento: 
 \u201c
VII - promover a colaboração entre governos dos diferentes níveis 
da federação e entre o Poder Executivo federal e a sociedade, por 
meio da publicação e do reuso de dados abertos; VIII - promover 
e apoiar o desenvolvimento da cultura da publicidade de dados e 
informações na gestão pública; IX - disponibilizar tecnologias e 
apoiar as ações dos órgãos e entidades do Poder Executivo federal 
ou que aderirem à INDA na implementação da transparência ativa 
por meios digitais; e X - promover a participação social na constru-
ção de um ecossistema de reuso e de agregação de valor dos dados 
públicos BRASIL, 2012a, on-line) 
No entanto, entre a promulgação da lei, sua implementação e a consequente usu-
fruição real pela população há uma distância enorme, às vezes um abismo, que 
só pode ser superado por meio de estudos, conscientização da população, movi-
mentos e lutas empreendidos pela sociedade civil.
As informações possuídas, produzidas e divulgadas pelo Estado democráti-
co constituem um bem público, de uso individual e coletivo, simultaneamente. 
Está vinculado diretamente aos princípios basilares da administração pública: a 
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. O princípio da 
publicidade constitui um elemento essencial para o controle dos atos estatais e 
fortalecimento da democracia (CARDOSO, 2017). 
 \u201c
O direito de acesso às informações públicas, além de ser um di-
reito importante por si mesmo, tem uma finalidade ainda maior 
por constituir um instrumento necessário para concretização da 
participação da sociedade civil na reivindicação dos demais direi-
tos políticos e sociais constitucionais. Os cidadãos precisam de in-
formações para ter livre discernimento, com livre intercâmbio de 
ideias, auxiliando a tomada de decisões e a reivindicação dos demais 
U
N
IC
E
S
U
M
A
R
13
direitos. O direito à informação não se trata, portanto, apenas de um 
direito constitucional fundamental, mas sim de um direito huma-
no, que tem como propósito conquistar outros direitos igualmente 
constitucionais fundamentais e humanos (CARDOSO, 2017, p. 32). 
As estatísticas sociais, econômicas e demográficas, utilizadas para a construção dos 
indicadores no Brasil, são produzidas por diferentes agências nos âmbitos federal 
e estadual. Nesse sentido, cabe destacar: a) o Instituto Brasileiro de Geografia e 
Estatística (IBGE), no fornecimento de dados como o censo demográfico (carac-
terísticas demográficas, habitação, escolaridade, mão de obra, rendimentos); b) o 
Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do 
qual a principal fonte de dados é o censo escolar, que contempla alunos, profes-
sores, escolas, turmas e equipamentos, de acordo com as etapas e modalidades da 
Educação Básica, bem como considera informações do rendimento (aprovação e 
reprovação) e movimento (abandono e transferência) de cada aluno; c) o Instituto 
de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que presta assessoria ao Estado em suas 
decisões estratégicas, produz informações considerando indicadores e dados refe-
rentes às áreas econômica e financeira, além de conter informações relevantes para 
as pesquisas educacionais em financiamento da educação. 
Vamos conhecer um pouco das agências e dos dados sobre educação? 
 \u25a0 Censo Escolar 
O Censo Escolar é um dos principais indicadores nacionais para o sistema edu-
cacional, envolve todas as escolas públicas e privadas da Educação Básica. Ao 
analisarmos as políticas educacionais, sempre recorremos às evidências apre-
sentadas no Censo Escolar.
U
N
ID
A
D
E
 1
14
 \u201c
O Censo Escolar é um levantamento estatístico anual, coordenado 
pelo Inep e realizado em colaboração com as secretarias estaduais 
e municipais de educação e as escolas públicas e privadas de todo o 
País. A pesquisa proporciona a obtenção de estatísticas das condi-
ções de oferta e atendimento do sistema educacional brasileiro, na 
Educação Básica, reunindo informações sobre todas as suas etapas 
e modalidades de ensino, compondo um quadro detalhado sobre os 
alunos, os profissionais escolares em sala de aula, as turmas e as es-
colas. Os dados e as informações apuradas pela pesquisa subsidiam 
a operacionalização de importantes políticas públicas, programas 
governamentais e ações setoriais nas três esferas de governo (federal, 
estadual e municipal) (BRASIL, 2019, p. 13). 
Figura 1: Total de matrículas na Educação Básica segundo a rede de ensino \u2013 Brasil \u2013 2014 
a 2018
Fonte: Brasil (2019, p. 13).
No Brasil, o número total de matrículas na Educação Básica, em 2018, foi de 8,5 
milhões, distribuídas em 181,9 mil escolas. Em comparação com o ano de 2014, 
temos 1,3 milhões