A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
88 pág.
62 - APOSTILA - MERCADO DE CAPITAIS

Pré-visualização | Página 2 de 20

agentes econômicos, seja concedendo 
créditos para as pessoas físicas, ou por empréstimos e financiamentos as companhias. 
As operações desse mercado são realizadas por instituições financeiras bancárias, tendo 
como base uma política de especialização do Sistema Financeiro Nacional. Assim cada vez 
mais as atividades dos bancos, que visam principalmente reforçar o volume de captação 
de recursos, é possível observar uma evolução para um processo de diversificação de 
produtos financeiros e também na área de serviços prestados. (ASSAF NETO, 2014; 
ROSSETTI, 2016).
1.2. Mercado de Capitais
O mercado de capitais tem como finalidade o atendimento das necessidades de 
financiamento de médio e longo prazos das sociedades anônimas (SA) de capital aberto. A 
Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é o órgão fiscalizador deste mercado. O mercado 
de capitais é tido como um dos papéis mais relevantes no processo de desenvolvimento 
econômico nacional, uma vez que é o grande catalisador de recursos permanentes para 
a economia, pois realiza uma ligação entre os que têm capacidade de poupar, ou seja, os 
investidores, e aqueles necessitam de recursos de longo prazo, ou seja, que apresentam 
déficit de investimento, na maioria das vezes as companhias. O mercado de capitais tem uma 
estrutura que buscam suprir as necessidades de investimentos dos agentes econômicos, 
por meio de diversas modalidades de financiamentos a médio e longo prazos para capital 
de giro e capital fixo. É constituído pelas instituições financeiras não bancárias, instituições 
componentes do sistema de empréstimos e poupança e entre outras instituições auxiliares. 
O mercado de capitais oferece também financiamentos com prazo indeterminado, como é o 
9UNIDADE I Mercado Financeiro e o Sistema Financeiro Nacional
caso de operações que envolvem as de ações das companhias listadas na B3. (MENESES 
E MARIANO, 2011).
1.3. Mercado Monetário
Segundo Assaf Neto (2014) o mercado monetário está estruturado de uma maneira 
para manter o controle da liquidez monetária da economia, bem como as taxas de juros 
fixadas pelas autoridades monetárias. Neste mercado os papéis são negociados a partir de 
um parâmetro de referência a taxa de juros, na qual se constitui em sua mais importante 
moeda de transação. O mercado monetário é caracterizado pelo curto e curtíssimo prazos, 
esse mercado é responsável pela formação das taxas de juros da economia como as taxas 
Selic e DI. Os papéis são negociados, principalmente os emitidos pelo Tesouro Nacional, 
com o objetivo de financiar o orçamento público, juntamente com além de diversos títulos 
públicos emitidos pelos Estados e Municípios. 
Os certificados de depósitos interfinanceiros (CDI), exclusivamente entre instituições 
financeiras, e títulos de emissão privada, como o certificado de depósito bancário (CDB) e 
debêntures são tipos de papéis negociados no mercado monetário O mercado monetário é 
essencial para o estabelecimento do nível de liquidez da economia, controlando e regulando 
o fluxo de moeda convencional (papel-moeda) e de moeda escritural (depósitos a vista nos 
bancos comerciais). Para adequar o volume de moeda com o objetivo de manutenção de 
liquidez da economia, a autoridade monetária (Banco Central) atua no mercado financeiro 
disponibilizando ou retirando recursos da economia. (ASSAF NETO, 2014)
1.4. Mercado de Câmbio
De acordo com Eiteman, Stonehill e Moffet (2013) Por meio do mercado de câmbio 
é feito a troca de moeda de um país pelo outro, a chamada conversão de câmbio. A taxa de 
câmbio é definida pelo o valor da moeda nacional perante a moeda estrangeira. O mercado 
de câmbio pode ser dividido em dois segmentos, o mercado interbancário e o mercado 
de clientes. As transações individuais no mercado interbancário são, normalmente, para 
grandes volumes de valores equivalentes em outras moedas. Enquanto que contratos entre 
um banco e seu cliente são, geralmente, pequenas quantias. Neste mercado os participantes 
podem ser divididos em categorias: negociadores bancários e não bancários de câmbio, 
indivíduos e empresas conduzindo. 
Segundo Eiteman, Stonehill e Moffet (2013) que o mercado de câmbio é o 
mecanismo pelo qual os participantes transferem poderes de compra entre países, obtém 
ou fornecem crédito para transações de negócios internacionais e minimizam a exposição 
10UNIDADE I Mercado Financeiro e o Sistema Financeiro Nacional
aos riscos das mudanças nas taxas de câmbio. Essa transferência de poder de compra é 
fundamental para que os negócios internacionais e transações de capitais pois usualmente 
envolvem partes que residem em países com moedas nacionais diferentes. Cada parte 
nesta relação, geralmente, quer negociar na sua própria moeda, mas a negociação ou 
transação de capitais pode ser realizada apenas em uma única moeda. Assim um dos 
negociadores terá́ utilizar uma moeda estrangeira.
11UNIDADE I Mercado Financeiro e o Sistema Financeiro Nacional
2. SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL: ESTRUTURA, REGRAS E DEFINIÇÕES
As instituições financeiras são considerados intermediários financeiros, pois auxiliam 
na realização das transferências dos fundos disponíveis dos agentes superavitários para 
aqueles que pretendem realizar um investimento, necessitando de recursos para tanto. 
A intermediação prestada pelas instituições financeiras pode se dar de forma direta ou 
indireta. Na intermediação direta, segundo Pinheiro e Saddi (2005) este contato existe, 
tendo em vista que o fluxo de recursos ocorre de maneira direta entre os agentes, ainda 
que haja participação de instituições que facilitem o processo, como bolsas e corretoras. 
A intermediação direta ocorre normalmente por meio do mercado de capitais. Já na forma 
indireta, há uma instituição financeira, como um banco ou alguma cooperativa de crédito, 
que está entre o agente poupador e o tomador de recursos, não existindo o contato ou 
obrigação mútua entre os agentes, mas apenas entre cada um deles e a instituição (BACHA, 
2018). 
De acordo com Eizirik (2008) o intermediário financeiro remunera o recurso dos 
superavitários com juros, na medida em que ao repassar estes recursos aos agentes que 
deles necessitam para realizar seus investimentos, ele cobra juros em um valor maior. 
A diferença é considerado o spread bancário, que consiste na remuneração obtida pela 
instituição financeira. 
Para que a transferência de recursos ocorra de maneira satisfatória, é necessário 
que o país tenha um mercado financeiro organizado, que forneça diversas alternativas 
de investimentos. Segundo Eizirik (2008) o mercado financeiro, conceitua-se como um 
12UNIDADE I Mercado Financeiro e o Sistema Financeiro Nacional
conjunto de mecanismos voltados para a transferência de recursos entre os agentes 
econômicos. Quantitativamente o mercado financeiro funciona de forma a adequar a 
estrutura de produção à estrutura de apropriação. A partir do ponto de vista qualitativo, 
é criado, mediante a intermediação financeira, melhores condições de liquidez, prazo, 
risco, rentabilidade, e outras, entre poupadores e tomadores. Dessa maneira, quanto mais 
organizado for o mercado financeiro, maior será o número de alternativas de investimento 
oferecidas, permitindo a transferência de recursos entre tomadores e poupadores em 
condições que satisfaçam a ambos. 
Um mercado bem organizado além de proporcionar melhores condições aos agentes 
na realização de suas negociações, permite otimização do tempo e espaço, centralizando 
a demanda e a oferta de recursos. De acordo com Pinheiro e Saddi (2005) no mercado 
financeiro os agentes (poupadores e investidores) que estão envolvidos nas transações 
realizadas raramente se conhecem. Junto a isso envolvesse o tempo entre as transações 
uma vez que os recursos são tomados hoje para serem pagos apenas no futuro. Segundo 
Pinheiro e Saddi (2005) todo país desenvolvido é estruturado fundamentalmente com um 
bom sistema