A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Teoria e Crítica Literária-convertido

Pré-visualização | Página 3 de 3

valorizaram 
expressões culturais normalmente marginalizadas, tais como a cultura popular ou 
a cultura urbana. Essa abertura proporcionou vários questionamentos 
relativamente à história da literatura e ao cânone como registro de obras 
consagradas e referendadas pela academia. [...] Os estudos de gênero passaram a 
se desenvolver sob a égide dos estudos culturais. Atualmente, como se admite 
escrita de história da literatura a partir de determinado signo, os estudos culturais 
de gênero possibilitam a construção de uma nova história da literatura sob o 
signo do gênero” (texto-base Crítica feminista..., p. 410). 
 
C 
A abordagem metodológica dos Estudos Culturais contemplou a reafirmação do 
cânone na estrutura de valor no âmbito dos Estudos Literários. 
 
D 
Os estudos de gênero já estavam bastante desenvolvidos antes dos Estudos 
Culturais no âmbito dos Estudos Literários. 
 
E A cultura popular e a urbana estiveram em segundo plano nos Estudos Culturais. 
 
Questão 10/10 - Teoria e Crítica Literária 
Leia o seguinte fragmento de texto: 
 
“A linguagem é o tema de Barthes, do princípio ao fim [...]”. 
 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma 
introdução. Trad. Waltensir Dutra. São Paulo: Martins Fontes, 2006. p. 203. 
 
Considerando o dado fragmento de texto e os conteúdos do texto-base A literatura 
vista da margem: os heróis pós-estruturalistas, assinale a alternativa correta sobre o 
desenvolvimento dos estudos de Roland Barthes: 
Nota: 10.0 
 
A 
Roland Barthes atuou ao longo de toda vida na corrente teórica denominada 
estruturalismo. 
 
B 
Os estudos sobre literatura e linguagem de Roland Barthes ficaram conhecidos 
na França a partir de sua morte. 
 
C Roland Barthes abandona o contexto para falar de linguagem em literatura. 
 
D A chamada “virada pós-estruturalista” foi ignorada por Roland Barthes. 
 
E 
Na obra S/Z de Roland Barthes, tem-se a expansão dos estudos estruturalistas 
iniciais do autor. 
Você acertou! 
Comentário: “A obra S/Z é uma análise do conto ‘Sarrasine’ de Balzac, na qual 
Barthes já não trata a obra com um objeto estático, mas crê que o leitor ou crítico 
participam de alguma forma na construção dos significados, eles podem modulá-
lo e transpô-los para discursos diferentes. Em outras palavras, ‘o leitor e o crítico 
passam do papel de consumidor para o de produtor’ [...]” (texto-base A 
literatura vista da marg