A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
PERIGOS E RISCOS EM UMA COZINHA INDUSTRIAL DDS UMA FERRAMENTA EFICAZ

Pré-visualização | Página 7 de 10

Sanitária, aprovado pelo 
Decreto n.º 3.029, de 16 de abril de 1999, c/c o art. 8º, inciso IV, do Regimento Interno 
aprovado pela Portaria nº 593 de 25 de agosto de 2000, em reunião realizada em 13 de 
setembro de 2004, considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações de 
controle sanitário na área de alimentos visando a proteção à saúde da população; considerando 
a necessidade de harmonização da ação de inspeção sanitária em serviços de alimentação; 
considerando a necessidade de elaboração de requisitos higiênico-sanitários gerais para 
serviços de alimentação aplicáveis em todo território nacional. 
A RDC 216 em 2004 foi Regulamento como Técnico de Boas Práticas em Serviços de 
Alimentação. A RDC foi aprovada pela ANVISA, e tem como objetivo aprimorar 
continuamente as medidas de controle de saúde na área de alimentos, sempre com o objetivo 
de proteger a saúde das pessoas. Os serviços de alimentação devem ser entendidos como 
referência a qualquer instituição envolvida nas seguintes atividades: processamento, 
preparação, fracionamento, armazenamento, distribuição, transporte, venda e entrega de 
alimentos prontos para consumo para consumo. 
O trabalho do preparador de alimentos tem que garantir alimentos mais seguros e que 
proteja a saúde dos consumidores. Aprovado pela resolução, o objetivo da Agência de 
Vigilância Sanitária da ANVISA é limitar e eliminar qualquer tipo de ação que possa levar 
alimentos contaminados às mesas das pessoas. A implementação desses regulamentos está 
diretamente relacionada à prática obrigatória no serviço de consultoria. Assim que a nova 
organização inicia as operações, ela deve atender aos requisitos da resolução para evitar 
problemas com o monitoramento da saúde. 
27 
 
Para as empresas, os objetivos de atender os requisitos da RDC 216, trará uma melhor 
aparência à equipe de seus operadores e proporcionará melhor qualidade do produto para os 
usuários finais. Isso tornará a empresa mais credível e ajudará a reduzir os problemas de 
saúde causados por alimentos de baixa qualidade. 
 
28 
 
4. RISCOS AMBIENTAIS 
O gerenciamento de riscos pode ser definido como estratégias, procedimentos e 
práticas destinadas a identificar perigos e analisar, avaliar e controlar riscos de acidentes. É 
um aspecto básico que deve ser considerado na política abrangente de prevenção da empresa, 
programar um sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional. A gestão de riscos é a 
principal prioridade Como característica principal, nenhum acidente ou acidente próximo, ou 
seja, Advogado para evitar eventos adversos e infortúnios durante o exercício Atividades. 
Objetivando preservar a saúde do trabalhador, são de suma importância o 
reconhecimento, avaliação e o controle dos fatores de riscos presentes no ambiente de 
trabalho conforme determina a NR 9, que estabelece prioridades de elaboração e 
implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores 
como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA. Visa à 
prevenção da saúde e da integridade física dos trabalhadores por meio da antecipação, do 
reconhecimento, da avaliação e do consequente controle da ocorrência de riscos ambientais 
existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, considerando a proteção do meio 
ambiente e dos recursos naturais. 
É importante conceituar a diferença entre risco e perigo. Segundo ACAMT (2014), um 
perigo é um aspecto ou elemento material ou não material, e a situação ou ambiente de 
trabalho tem o potencial inerente de causar riscos à saúde e segurança no local de trabalho, 
isoladamente ou em combinação. Trabalho. Segundo a definição de ACAMT (2014), risco 
refere-se às consequências negativas relacionadas ao trabalho ou à possibilidade de danos à 
saúde e à saúde física e mental. Esse nível é determinado combinando a gravidade do possível 
dano e a probabilidade ou oportunidade de sua ocorrência. 
4.1 Tipos de Riscos Ambientais 
A maioria da literatura menciona cinco tipos de riscos ambientais, a saber: Risco 
químico, risco físico, risco biológico, risco ergonômico e risco mecânico (ou Acidente). 
Risco Químico: são riscos causados por substâncias químicas que podem estar 
presentes no ambiente de trabalho O contato com o corpo humano interage com efeitos locais 
ou generalizados. De Os riscos químicos referem-se às seguintes formas de substâncias: gás, 
29 
 
vapor, aerossol e líquido. Agentes químicos podem entrar através da pele, através O trato 
digestivo é absorvido principalmente pelos pulmões. O processo de utilização de reagentes 
cria riscos químicos acesso a produtos químicos de trabalhadores que não trabalham 
diretamente na tarefa. 
Risco Físico: é geralmente necessário fonte de transmissão (geralmente aérea). Esses 
agentes têm a capacidade de alterar o ambiente físico local é prejudicial e pode produzir lesão 
crônica. Fatores físicos são várias formas de energia em que os trabalhadores estarão em 
contato, geralmente divididos em: ruído, vibração, pressão anormal, temperatura extrema 
(quente e fria), radiação ionizado e não ionizado, bem como ultrassom e infrassom. 
Risco Biológico: considerado como tendo riscos biológicos: vírus, bactérias, Parasitas, 
protozoários, fungos e bacilos. Risco biológico micróbios causam inúmeras doenças em 
contato com pessoas. Muitas atividades profissionais tendem a ser expostas a esses riscos. 
Esse é o caso indústria alimentícia, hospitais, limpeza pública (coleta de lixo), laboratórios, 
etc. A principal abordagem envolvida no processo de poluição biológica é via cutânea ou 
percutânea, via respiratória (aerossol), via conjuntival e via oral. 
Risco Ergonômico: considera os riscos ergonômicos: trabalho manual, levantamento 
de peso, postura insuficiente, controle rigoroso da produtividade, situação de estresse, 
trabalho À noite, longas horas de trabalho, monótonas e repetitivas, impondo rotinas. Riscos 
ergonômicos podem causar doenças mentais E riscos físicos porque podem prejudicar 
seriamente a saúde dos trabalhadores nas mudanças nos estados físicos e emocionais 
prejudicam a produtividade, saúde e segurança, por exemplo: LER / DORT, fadiga física, dor 
muscular, pressão alta, distúrbios do sono, diabetes, doenças neurológicas, taquicardia, 
doenças digestivas (gastrite e úlceras), nervosismo, ansiedade, colunas, etc. 
Para evitar que esses riscos danifiquem as atividades e a saúde dos trabalhadores, 
devem ajustar as condições de trabalho e subordinar os trabalhadores Melhore a praticidade, o 
conforto físico e mental ao: processo de trabalho, melhores condições no local de trabalho, 
modernização equipamento mecânico, melhoria das relações interpessoais, ritmo de trabalho, 
ferramentas adequadas, postura correta, 
Risco Mecânico ou de Acidentes: é toda ação que levam a colocar em perigo os 
trabalhadores ou afetar sua saúde física e mental. Eles são considerados como risco de 
30 
 
acidentes: falta de estrutura física, máquinas e equipamento desprotegido, ferramentas 
insuficientes ou defeituosas, eletricidade; fogo ou explosão; animais venenosos e 
armazenamento insuficiente. Riscos mecânicos ou de acidentes atuam sobre ambiente de 
trabalho e operação direta do agente perigoso que pode causar ferimentos graves e diretos. 
Saboia (2015) mencionou que esses agentes estão sob a orientação de Norma 
Regulamento 12, que estabelece normas e medidas para garantir que integridade dos 
trabalhadores na prevenção de doenças causadas por acidentes equipamento mecânico. Como 
em 12.3 deste regulamento, o empregador é obrigado a tomar e tomar medidas proteger o 
trabalho em máquinas e equipamentos para garantir a integridade de saúde física e saúde do 
trabalhador. Portanto, a norma considera medidas Equipamento de Proteção, equipamento de 
proteção individual (EPI), Medidas de Proteção Coletiva (CEP) e de organização 
administrativa ou de