Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
121 pág.
qualidade-na-construao-civil

Pré-visualização | Página 32 de 32

2012.
______. NBR 7504: envelope para transporte de produtos perigosos:características e dimensões.
Rio de Janeiro, 2001.
______. NBR 7505: armazenamento de líquidos in�amáveis e combustíveis: parte 1: armazenagem
em tanques estacionários. Rio de Janeiro, 2000.
______. NBR 8418: apresentação de projetos de aterros de resíduos industriais perigosos:
procedimento. Rio de Janeiro, 1984.
______. NBR 8419: apresentação de projetos de aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos:
procedimento. Rio de Janeiro, 1992.
______. NBR 10004: resíduos sólidos: classi�cação. Rio de Janeiro, 2004.
______. NBR 10005: procedimento para obtenção de extrato lixiviado de resíduos sólidos.
Rio de Janeiro, 2004.
______. NBR 10006: procedimento para obtenção de extrato solubilizado de resíduos sólidos.
Rio de Janeiro, 2004.
______. NBR 10007: amostragem de resíduos sólidos. Rio de Janeiro, 2004.
______. NBR 10157: aterros de resíduos perigosos: critérios para projeto, construção e operação:
procedimento. Rio de Janeiro, 1987.
______. NBR 10703: degradação do solo: terminologia. Rio de Janeiro, 1989.
Bibliografia
118 Qualidade na Construção Civil
______. NBR 11174: armazenamento de resíduos classe II – não inertes e III – inertes:
procedimento. Rio de Janeiro, 1990.
______. NBR 11175: incineração de resíduos sólidos perigosos: padrões de desempenho:
Procedimento. Rio de Janeiro, 1990.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12235: armazenamento de resíduos
sólidos perigosos: procedimento. Rio de Janeiro, 1992.
______. NBR 12553: geossintéticos: Terminologia. Rio de Janeiro, 2003.
______. NBR 12988: líquidos livres: veri�cação em amostra de resíduo. Rio de Janeiro, 1993.
______. NBR 13894: tratamento no solo (landarming): procedimento. Rio de Janeiro, 1997.
______. NBR 13896: aterros de resíduos não perigosos: critérios para projeto, implantação e
operação: procedimento. Rio de Janeiro, 1997.
______. NBR 13221: transporte terrestre de resíduos. Rio de Janeiro, 2010.
______. NBR 13784: detecção de vazamento em postos de serviços. Rio de Janeiro, 1997.
______. NBR 13786: porto de serviço: seleção de equipamentos para sistemas para instalações
subterrâneas de combustíveis. Rio de Janeiro, 2005.
______. NBR 15495-1: poços de monitoramento de águas subterrâneas em aquíeros granulares:
parte 1: projeto e construção. Rio de Janeiro, 2007.
______. NBR ISO 9000: sistemas de gestão da qualidade: undamentos e vocabulário.
Rio de Janeiro, 2005.
______. NBR ISO 9001: sistemas de gestão da qualidade: requisitos. Rio de Janeiro, 2008.
______. NBR ISO 9004: sistema de gestão da qualidade: diretriz. Rio de Janeiro, 2009.
______. NBR ISO14001: sistema de gestão ambiental: requisitos com orientações para uso. Rio de
Janeiro, 2004.
______. NBR ISO 14004: sistemas de gestão ambiental: diretrizes gerais. Rio de Janeiro, 2007.
______. NBR ISO 14010: diretrizes para auditoria ambiental: princípios gerais. Rio de Janeiro, 1996.
______. NBR ISO 14011: diretrizes para auditoria ambiental e procedimentos para auditorias.
Rio de Janeiro, 1997.
______. NBR ISO 14012: diretrizes para a auditoria ambiental: critérios de quali�cação.
Rio de Janeiro, 1996.
119Bibliografia
______. NBR ISO 14020: rotulagem ambiental: princípios básicos. Rio de Janeiro, 2002.
______. NBR ISO 14021: rotulagem ambiental: termos e de�nições. Rio de Janeiro, 2013.
______. NBR ISO 14022: rotulagem ambiental: simbologia para rótulos. Rio de Janeiro, 2011.
______. NBR ISO 14023: rotulagem ambiental: testes de Metodologias para Veri�cação. Rio de
Janeiro, 1999.
______. NBR ISO 14024: rotulagem ambiental: guia para certi�cação com base em análise
multicriterial. Rio de Janeiro, 1999.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 14031: avaliação da
perormance ambiental. Rio de Janeiro, 2004.
______. NBR ISO 14032: avaliação da perormance ambiental dos sistemas de operadores. Rio de
Janeiro, 1999.
______. NBR ISO 14040: análise do ciclo de vida: princípios gerais. Rio de Janeiro, 2006.
______. NBR ISO 14041: análise do ciclo de vida: inventário. Rio de Janeiro, 2006.
______. NBR ISO 14042: análise do ciclo de vida: análise dos Impactos. Rio de Janeiro, 2006.
______. NBR ISO 14043: análise do ciclo de vida: migração dos Impactos. Rio de Janeiro, 2006.
______. NBR ISO19011: diretrizes para auditorias de sistema de gestão da qualidade e/ou
ambiental. Rio de Janeiro, 2012.
CARVALHO, M. M.; PALADINI, E. P. (Coord.). Gestão da qualidade. Teoria e Casos. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2012.
CHIAVENATO, I. Administração nos novos tempos. 3. ed. Barueri: Manole, 2014.
CONAMA. Resolução 307/02. 5 jul. 2002.Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a
gestão dos resíduos da construção civil. Diário O�cial da República Federativa do Brasil,  Poder
Executivo, Brasília, DF, nº 136, 17 jul. 2002.
______. Resolução 348/04. 16 ago. 2004. Altera a Resolução CONAMA no 307, de 5 de julho
de2002, incluindo o amianto na classe de resíduos perigosos. Diário O�cial da República
Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 ago. 2004.
CONTADOR, J. C. (Coord.). Gestão de operações. São Paulo: Edgard Blücher, 1998, 593p.
D’ASCENÇÃO, L. C. M. Organização, sistemas e métodos. São Paulo: Atlas, 2001.
DEMING, W. E. Qualidade: a revolução da administração. Rio de Janeiro: Marques Saraiva, 1990.
Página1...2829303132