A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
57 pág.
AULA7_Espermograma_Morfofisiologia e patologias espermáticas_Fertilização in vivo

Pré-visualização | Página 3 de 3

câmara úmida é feita com a mesma suspensão celular preparada para avaliação da concentração espermática. Coloca-se 10 microlitros da amostra, devidamente homogeneizada, em uma lâmina, cobre-se com lamínula, remove o excesso de líquido (contato com papel, sem pressionar) e sela as laterais da lamínula com esmalte. A leitura é feita em microscopia de contraste de fase, com aumento de 100X em imersão;
	Os esfregaços corados são feitos com uma gota de sêmen puro, ou diluído. Coloca-se uma gota de sêmen numa lâmina e a estira, com auxílio de outra lâmina, deixando-a secar. A coloração pode ser feita posteriormente ou antes de estirar, fazendo-se, neste caso, uma homogeinização da amostra com o corante. O corante mais utilizado é a eosina-nigrosina, mas também podem ser utilizados outros corantes como o Vermelho-Congo, Azul de bromofenol e Blue Sperm.
	São contadas 200 células.
*
Gota Citoplasmática Proximal
Deficiente maturação epididimária, imaturidade sexual; Degeneração e Hipoplasia testicular
Defeitos de Inserção
Fossa de implantação rasa, estreita e assimétrica 
Degeneração e Hipoplasia testicular
Alterações do colo
	GCP: Imaturidade sexual (transitória, desaparecem quando os animais atingem a maturidade sexual); Em casos de degeneração, ocorre pico de GCP no início e final da fase degenerativa; Em casos de hipoplasia testicular, ocorre de modo persistente, sem haver flutuações.
*
Gota Citoplasmática Proximal
(Bovino, Azul de Toluidina) 
Alterações do colo
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
Alterações do colo
Saca-rolhas (Cork Screw)
Degeneração testicular em reprodutores velhos (GCP)
Pseudogota; Stump; Ausência de bainha mitocondrial; PI dupla ou tripla
Degeneração e Hipoplasia testicular
Alterações de Peça intermediária
*
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
Alterações de Peça intermediária
	A preparação da câmara úmida é feita com a mesma suspensão celular preparada para avaliação da concentração espermática. Coloca-se 10 microlitros da amostra, devidamente homogeneizada, em uma lâmina, cobre-se com lamínula, remove o excesso de líquido (contato com papel, sem pressionar) e sela as laterais da lamínula com esmalte. A leitura é feita em microscopia de contraste de fase, com aumento de 100X em imersão;
	Os esfregaços corados são feitos com uma gota de sêmen puro, ou diluído. Coloca-se uma gota de sêmen numa lâmina e a estira, com auxílio de outra lâmina, deixando-a secar. A coloração pode ser feita posteriormente ou antes de estirar, fazendo-se, neste caso, uma homogeinização da amostra com o corante. O corante mais utilizado é a eosina-nigrosina, mas também podem ser utilizados outros corantes como o Vermelho-Congo, Azul de bromofenol e Blue Sperm.
	São contadas 200 células.
*
Dobrada, Enrolada, Enrolada na extremidade
Problemas no epidídimo ou manipulação do sêmen
Dag defeito: peça intermediária ou cauda fortemente enrolada ou dobrada com ruptura das fibras
Bloom: caráter hereditário
Alterações de Cauda
*
Alterações de Cauda
Gota Citoplasmática Distal (Bovino, Azul de Toluidina) 
Alterações de Cauda
GCP (Peça Intermediária)
GCD (Peça Principal)
Alterações de Cauda
Cauda/PI enrolada e GCP (Bovino, Azul de Toluidina) 
Alterações de Cauda
Dag defect
Cauda dobrada com GCD (Suíno)
Alterações de Cauda
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
http://penta3.ufrgs.br/veterinaria/celula/
*
*
Obrigado!
“Somos todos iguais
Na chegada e na partida,
No encontro e despedida,
Na jornada pela vida, sem saber
Que a verdade está dentro de nós.”
Catedral
*